domingo, 24 de fevereiro de 2008

Quem pode querer ser feliz se não for por amor?...

Cantor, compositor e violonista (desde os 12 anos) de Minas Gerais, João Bosco é tido como mais um ícone da música brasileira. O iníco de sua carreira começou com uma brilhante parceria com nada mais nada menos que Vinícius de Moraes, em 1967. Em 1970, conhece o poeta Aldir Blanc e estréia uma dupla de compositores das mais famosas e requisitadas do país!

Também teve o privilégio de ser um dos compositores a entrar na obra de Elis Regina, que imortalizou um dos seus maiores sucessos: O bêbado e o equilibrista. Além desse, Elis também emprestou seu talento para Dois pra lá, dois pra cá, bolero que fez a carreira do João deslanchar, e também caiu na graça de Ângela Maria. E o que dizer de Memória da pele, gravada por Maria Bethânia? Simone deu um toque definitivo em Desenho de giz, em 2000, com a participação do próprio João, nos vocais!

Mas, não são apenas os intérpretes que se desfrutam das composições recheadas de dissonantes que esse mineiro faz. Todos são unânimes em afirmar que ninguém interpreta melhor Papel Machê que o próprio, sobretudo na hora dos vocais. Papel machê é também campeã de regravação, seja de cantores consagrados como Zizi Possi, seja de artistas da noite que a definem como imprescindível numa apresentação! São inúmeros os sucessos deste compositor entre seu público que delira ao ouvir Quando o amor acontece, Jade e Corsário, além das já citadas e de tantas outras.

João também se destaca por ter feito o primeiro acústicos mtv em 1992, quando nem era sucesso esse empreendimento musical. Atualmente divulga o cd/dvd Obrigado, gente!, onde faz um apanhado de toda sua carreira com seus grandes sucessos, sua batida de violão e seu eterno carisma seja no samba, seja nas baladas, no sucesso merecido...


Um forte abraço a todos!

3 comentários:

James disse...

Grande João !! Grande Everaldo !!!

Leda disse...

A música polular brasileira, é muito rica em talentosos músicos e cantores; na minha opinião em primeiro lugar, está ROBERTO CARLOS BRAGA. Mas, é claro, tem muita gente boa.
Um abraço Everaldo.

juliana disse...

João Bosco é ímpar em originalidade.
Já fiquei emocionada com várias de suas canções e com a forma como as interpreta. Só alguém muito sensível para pensar no lindo trecho: "quem pode querer ser feliz, se não for por amor?".

Beijos