sábado, 5 de abril de 2008

Clássicos brasileiros...

A definição de clássico no dicionário representa um adjetivo que constitui modelo em belas-artes. Mas, a palavra clássico vai além disso e causa um certa confusão quando se trata de música brasileira! O que seria clássico dentro desse universo? Antes de mais nada, vou afirmar que essa pergunta não será respondida por mim nesse tópico ou talvez por ninguém porque é algo muito relativo.

A música clássica ou música erudita é um termo amplo utilizado costumeiramente para se referir à música produzida (ou baseada) nas tradições da música de concerto e eclesiástica ocidental, englobando um período amplo que vai, aproximadamente, do século IX até a atualidade. O termo "música clássica" só apareceu no início do século XIX, numa tentativa de se "canonizar" o período que vai de Bach até Beethoven como uma era de ouro.

A relação entre a música erudita e a música popular é uma questão polêmica (principalmente o valor estético de cada uma). Os adeptos da música erudita reclamam que este gênero constitui arte (e, por isso é menos vulgarizada) enquanto que a música popular é mero entretenimento (o que implica um público mais numeroso). Contudo, muitas peças musicais da música popular possuem um elevado valor artístico e, curiosamente, são chamadas de "clássicos".

Mas, o que se observa é que foi feito uma adaptação. Tomamos o termo clássico e rotulamos canções que marcaram época, que sobrevivem ao tempo, aos modismos, que se tornam inesquecíveis aos ouvidos dos brasileiros, independente da idade ou contexto em que surgiram tais obras.

E, outro fato curioso é que, enquanto a música clássica é formal, no que diz respeito aos acordes e à melodia, as músicas chamadas clássicos brasileiros não tem necessariamente uma formalidade, pois uma canção que se tornou um clássico não precisa ter acordes dissonantes, mas marca de uma forma surpreendente! O segredo está aí! O que acontece para uma canção marcar e se tornar um clássico nesse país? E qual o parâmetro que utlizamos para afirmar que essas canções são clássicas?

Esse é um assunto longo e parece inacabado. Na Argentina por exemplo, um estilo é clássico, o tango. Daí, algumas canções desse estilo ficaram na memória do país e internacionalmente remete qualquer ouvinte àquela nação, vide Camiñito, El dia que me quieras, Volver, La cumparsita, etc. O mesmo comentário pode ser feito em relação ao fado para Portugal e o bolero para o México. No Brasil, embora o ritmo predominante seja o samba, todas as influências externas e internas de miscigenação de um povo influenciaram positivamente essa diversidade de ritmos e clássicos que temos atualmente!

A confusão parece vir à tona quando pensamos enumerar algumas canções que chamamos de clássicas, seja de um artista ou da nação no geral. Uma tarefa dificílima, polêmica e nunca chegamos a um consenso! Aquarela do Brasil do Ary Barroso seria um clássico, mas eu também considero No rancho fundo, do mesmo autor um... Asa Branca do Luiz Gonzaga é um clássico, mas eu incluiria Qui nem jiló, Riacho do navio, Numa sala de reboco..., xiii, vamos para outro artista... As rosas não falam do Cartola é um clássico, mas eu também incluiria Acontece,... Só louco do Caymmi é um clássico, mas eu também incluiria Marina, ... Sampa do Caetano é um clássico, mas eu não poderia esquecer Você é linda, Força estranha, Meu bem meu mal, ... Detalhes do Roberto é um clássico, mas eu consideraria Emoções, Café da manhã, ... bom, vou parar porque esse foi um tópico que me fez ficar em conflito comigo mesmo! Não era esse o propósito, isso é clássico acontecer quando pensamos em clássicos que desejamos listar... Talvez vocês me ajudem a pensar melhor.

Na verdade isso é apenas uma brincadeira e, ao mesmo tempo uma provocação pra que vocês expressem suas valiosas opiniões, porque o verdadeiro sentimento que tenho é de orgulho por ficar confuso entre tantos clássicos. Vou deixá-los com uma canção que também considero clássica, no repertório de música brasileira:

Manhã de carnaval
(Luiz Bonfá e Antônio Maria)

Manhã, tão bonita manhã
Na vida, uma nova canção
Cantando só teus olhos
Teu riso, tuas mãos
Pois há de haver um dia
Em que virás

Das cordas do meu violão
Que só teu amor procurou
Vem uma voz
Falar dos beijos perdidos
Nos lábios teus

Canta o meu coração
Alegria voltou
Tão feliz na manhã
Desse amor

Um forte abraço a todos!

4 comentários:

Juliana disse...

Gostei muito do tema abordado e me senti igualmente confusa com tantas afirmações!
Gosto muito de música clássica... É um dos estilos de expressão musical mais libertadores e mais encantadores que já ouvi. As composições de Beethoven são um grande exemplo disso. Ele que, apesar do transtorno bipolar, da depressão, da surdez parcial e do pai alcoólatra e violento, conseguiu recriar-se constantemente.
Acho que os verdadeiros clássicos são aqueles que marcam e transcendem gerações. Que tocaram o coração das pessoas há um século ou uma década (pouco importa o tempo decorrido) e continuam nos emocionando até hoje!

Beijos

Milagros disse...

Clássicos brasileiros e não só, são para mim aquelas músicas que por sua qualidade e a pesar do tiempo estão sempre na actualidade, eu tenho esse hábito de dizer clássicos da música ligeira,
por exemplo essas músicas que nosso amigo Everaldo cita são sim , clássicos da música brasileira, ( Música clásica é outro campo diferente).
Deixo aqui alguns classicos e em primer lugar o Rei: "Detalhes", " Emoções", "Cavalgada", "Jesus Cristo", "Seus botões" "café da"
manhã", não ficaria por aqui, porque seriam muitas as músicas que considero clássicas de Roberto Carlos, mas não só RC tem clássicas da música brasileira,
por exemplo "Desafinado" " Aquarela do Brasil "Garota de Ipanema"
exactamente "Manhã de carnaval" que eu gosto tanto!
Há muitos cantores brasileiros com músicas que eu considero clássicas e que não vou dizer aqui porque seria uma lista muito grande.
Cantores no Brasileiro e sim de língua espanhola eu citaria Carlos Gardel com " A cumparsita" e Armando Manzanero em "Adoro"...
E fico por aqui.

Abraços para todos...

Adbeel disse...

Queria uma crítica sua sobre a canção samba de beção - Vinicius de moraes

Everaldo Farias disse...

Adbeel

Agradeço sua participação e colocarei a canção Samba da bênção, de Vinícius de Moraes, na pauta das futuras postagens do Blog. Ressalto que o que faço não posso chamar de críticas, mas apenas comentários sobre o que tais letras causam nas pessoas e em especial, em mim.

Um abraço!