terça-feira, 17 de junho de 2008

O sol vai voltar amanhã...

Flávio Venturini é um grande cantor e compositor, grande músico mineiro. Começou tocando acordeom e em seguida, piano. Oriundo do Clube da Esquina, do qual faziam parte Beto Guedes, Lô Borges e Milton Nascimento, entre outros, integrou o grupo musical O Terço, onde se revelou como compositor. Em 1979, formou o grupo 14 bis que o popularizou em definitivo, chegando a gravar 8 discos antes de partir para carreira solo em 1988.

Uma característica em seu trabalho de composição é que já dividiu parcerias com diversos amigos como Milton Nascimento, Ronaldo Bastos, Guarabyra, Lô e Márcio Borges, Jorge Vercilo e Renato Russo. Seus sucessos se tornaram inesquecíveis: Clube da esquina 2, Espanhola, Fênix, Linda juventude, Mais uma vez, Paisagem na janela, Prenda minha, Caçador de mim, Amor de índio, Sol de primavera, Todo azul do mar, entre outras composições suas e de parceiros citados acima, brindando também seu excelente lado intérprete, além de ser um excepcional pianista, na melhor linhagem Guilherme Arantes e Ivan Lins, todos discípulos de Tom Jobim.

São muitas canções que poderíamos destacar desse grande músico, algumas tiveram alcance internacional expressivo, como Espanhola, que foi gravada por vários outros intérpretes. Ou Fênix, que é parceria com Jorge Vercilo. Todo azul do mar é tido como uma das canções mais românticas da música brasileira, já tendo sido regravada pelo Roupa Nova. Ficamos com a letra de Mais uma vez, em parceria com Renato Russo, recente sucesso de novela e rádios e que nos deixa em altas reflexões sobre nosso convívio social:

Mais uma vez
(Flávio Venturini e Renato Russo)

Mas é claro que o sol vai voltar amanhã
Mais uma vez, eu sei
Escuridão ja vi pior, de endoidecer gente sã
Espera que o sol ja vem

Tem gente que está do mesmo lado que você
Mas deveria estar do lado de lá
Tem gente que machuca os outros
Tem gente que não sabe amar

Tem gente enganando a gente
Veja a nossa vida como está
Mas eu sei que um dia a gente aprende

Se você quiser alguém em quem confiar
Confie em si mesmo
Quem acredita sempre alcança...

Mas é claro que o sol vai voltar amanhã
Mais uma vez, eu sei
Escuridão já vi pior, de endoidecer gente sã
Espera que o sol já vem

Nunca deixe que lhe digam que não vale a pena
Acreditar no sonho que se tem
Ou que seus planos nunca vão dar certo
Ou que você nunca vai ser alguém

Tem gente enganando a gente
Veja a nossa vida como está.
Mas eu sei que um dia a gente aprende

Se você quiser alguém em quem confiar
Confie em si mesmo
Quem acredita sempre alcança...

Um forte abraço a todos!

7 comentários:

Juliana disse...

Eu não poderia deixar de comentar no post escrito sobre um dos meus compositores favoritos. Amor de índio, Caçador de mim, Clube da esquina n°2 são algumas das melhores músicas que já ouvi e que realmente tocam o meu coração. Muito bom ler um texto que relembre tantas coisas bonitas, tantos cantores e compositores maravilhosos e um período marcante e decisivo para a musicalidade de Milton Nascimento, Beto Guedes, Lô Borges e Flávio Venturini: as iluminadas tardes mineiras.

Beijos

Vinícius Faustini disse...

Enfim eu consigo voltar a publicar algo, tanto no meu blogue quanto comentar aqui. Estava muito difícil no meu PC...

Gosto muito de Flávio Venturini, em especial a música "Todo azul do mar". Suas músicas aliam sensibilidade com sinceridade nas palavras. Só não acho ele muito bom de show, é um pouco frio, provavelmente por timidez.

Abraços, homem! E tem post novo lá no Emoções de Roberto Carlos...

Vinícius Faustini

www.emocoesrc.blogspot.com

marta filgueira disse...

Descobri esse espaço através de pesquisa simplificada no google. Só posso dizer uma coisa: parabéns!!!! É um dos blogs mais bonitos ao qual tive acesso, voltarei sempre.

Marta Filgueira

Fabiano Cavalcante disse...

Admiro muito o trabalho do Flávio Venturini e considero sua obra de uma sensibilidade rara.

Quanto a música escolhida para ilustrar o post, quero destacar que o próprio Flávio Venturini já havia gravado - e passado despercebida, tempos antes de fazer sucesso pós mortem de Renato Russo.

Parabéns.

Fabiano Cavalcante
www.aplauso.zip.net

James Lima disse...

Registrando presença !

James
www.robertocarlos.vai.la

Alexandre Martins disse...

Ja que falemos sobre música brasleira nesse blog, além de Roberto carlos, cito Tom Jobim.
Fato é que a bossa nova foi e sempre será lembrada tanto aqui no Brasil, e principalmento na América do Norte, que apesar do American Way of Life, em termos de representação extrema de cultura(Jazz, /blues), sofreu nesse contexto uma grande influência da bossa nova, abraçando com tudo o nosso Antonio Carlos Jobim. Resumindo nós somos um país rico em todos os sentidos, e precisamos exaltar e reconhecer nossos ícones da MPB, em vida.


Alexandre Martins

Alexandre Martins disse...

Ja que falemos sobre música polular brasileira e Roberto Carlos, cito: Tom Jobim, que falecido porém vivo para todos brasileiros e músicos, foi e sempre será um ícone da bossa nova. Nosso mestre Antonio Carlos Jobims, que com sua humildade, personalidade, e experiência colossal, influenciou o jazz que é um movimento puramente norte americano, diga-se de passagem país do american way of life, necessita de músicos que seguem o seu legado!

Assitam: http://www.youtube.com/watch?v=ZURSIYh1ui4

Alexandre Martins