domingo, 18 de janeiro de 2009

Meu país

Essa belíssima canção retrata toda emoção de Zezé di Camargo ao retratar nosso país. Utilizada também em campanhas políticas país afora, Meu país foi gravada em 1997 pela dupla Zezé e Luciano e também pela Roberta Miranda.

É mais uma canção ufanista que nosso cancioneiro apresenta, mas ao contrário de muitas que apontam sempre os desastres e pessimismos, deixando sempre a culpa nas mãos de alguém, essa letra aponta para as maravilhas que esse povo otimista produz através de seu trabalho e seu suor e pela natureza tão generosa que esse país dispõe. E, embora demonstre que falta consciência política e humana por parte dos governantes e de uma minoria, a canção mostra que nem por isso deixamos de amar nossa terra.

É um chega pra lá do Zezé nessa minoria que ainda insiste em criticar suas canções e composições por simples discriminação ou preconceito. Seria melhor refletir sobre essa letra e sobre o que estamos fazendo para melhorar nosso país, pois os políticos são reflexos de um povo e obras como essas só demonstram que podemos fazer mais pelo nosso país e pelo ser humano.

Meu país
(Zezé di Camargo)

Aqui não falta sol, aqui não falta chuva
A terra faz brotar qualquer semente
Se a mão de Deus protege e molha o nosso chão
Por que será que tá faltando pão?

Se a natureza nunca reclamou da gente
Do corte do machado, a foice, o fogo ardente
Se nessa terra tudo que se planta dá
Que é que há, meu país? O que é que há?

Tem alguém levando lucro
Tem alguém colhendo o fruto
Sem saber o que é plantar

Tá faltando consciência
Tá sobrando paciência
Tá faltando alguém gritar

Feito um trem desgovernado
Quem trabalha tá ferrado
Nas mãos de quem só engana

Feito mal que não tem cura
Estão levando à loucura
O país que a gente ama

Feito mal que não tem cura
Estão levando à loucura
O Brasil que a gente ama

Um forte abraço a todos!

2 comentários:

Juliana Moura disse...

Eu nunca havia dedicado atenção à letra dessa música. Gostei muito mesmo... Um conteúdo crítico bastante forte e palavras que se adequam à realidade que vivenciamos.
O aspecto político-social de algumas letras brasileiras são sempre bem abordadas aqui no blog e isso é ótimo!

Beijos!

Anita Fonseca disse...

Muito tocante essa letra. Concordo que temos muita fartura sim, só falta a vontade de ajudar dos que estão no topo.

Abraços.