sábado, 31 de dezembro de 2011

Fim de ano

E finalizamos o mês de dezembro e o ano de 2011 com um clássico tocado exaustivamente na data de hoje. Fim de ano, Adeus ano velho ou Valsa da despedida como é conhecida foi criada em 1951 por Francisco Alves, Felisberto Martins e David Nasser, gravada por um cantor paulista chamado João Dias Rodrigues Filho e desde então não pode faltar no último dia do ano.

E com essa postagem, com essa canção, o Blog Música do Brasil deseja a seus leitores uma ótima passagem de ano, com muita saúde, paz e amor nos corações e que algum momento difícil de 2011 seja amenizado e superado com a certeza de que outro ano se inicia e com ele a paz de outros momentos que virão, sempre com a fé e o amor que Deus nos concede em todos os dias de nossas vidas!

Fim de ano
(Francisco Alves, Felisberto Martins e David Nasser)

Adeus ano velho
Feliz ano novo
Que tudo se realize
No ano que vai nascer
Muito dinheiro no bolso
Saúde para dar e vender

Para os solteiros
Sorte no amor
Nenhuma esperança perdida
Para os casados
Nenhuma briga
Paz e sucesso na vida

Um forte abraço e feliz ano novo a todos !

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Este ano quero paz no meu coração...

Mais uma grande banda oriunda da década de 60, mais precisamente da Jovem Guarda. Começaram a carreira como os The Clevers, mas o sucesso veio mesmo quando já eram conhecidos como Os Incríveis. Seus integrantes originais foram Domingos Orlando, Mingo; Waldemar Mozema, Risonho; Antônio Rosas Seixas, Manito; Luiz Franco Thomas, Netinho; Demerval Teixeira Rodrigues, Neno, que foi substituído em 1965 por Lívio Benvenutti Júnior, o Nenê.

Entre os sucessos da banda, temos O milionário (apenas instrumental), Era um garoto que amava os Beatles e os Rolling Stone, Eu te amo meu Brasil, Marcas do que se foi, Pra frente Brasil, Coisa linda, Aline, O vagabundo, Perdi você, Minha oração, Molambo, etc. Na foto acima, uma das formações mais recentes, com alguns membros da formação original ausentes!

Como todas as bandas, os integrantes dos Incríveis dão um tempo, dedicando-se a outros projetos, e depois retomam a banda para reviverem os grandes sucessos. Vale lembrar que ainda na época da Jovem guarda, eles participaram do filme Os Incríveis nesse mundo louco. E não é exagero dizer que suas canções ficaram, pois toda copa do mundo escutamos Pra frente Brasil e todo fim de ano toca nas rádios Marcas do que se foi, entre outros sucessos!

Um forte abraço a todos!

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Os Músicos do Brasil - 28

Ele tem em seu currículo grandes nomes da música brasileira como Elis Regina, Fagner, Chico Buarque, Edu Lobo, Erasmo Carlos, Simone, Baden Powell, Família Caymmi, Tom Jobim , Gal Costa, Os Mutantes, Caetano Veloso, entre tantos nomes com os quais já trabalhou em shows ou discos, sobretudo nas décadas de 60 e 70. Seus primeiros arranjos foram para Celly Campelo, nas canções Banho de lua e Estúpido cupido.

O trabalho desse excepcional maestro, considerado por muitos como o melhor que o Brasil já conheceu está intimamente ligado aos arranjos de shows e discos de Roberto Carlos, com quem trabalhou durante quase toda a década de 70, sendo inclusive responsável por sua primeira grande turnê em 1970, até meados de 1977, quando saiu do comando da orquestra do rei, dando lugar ao seu pupilo Eduardo Lages.

Natural de Campinas/SP, Francisco de Moraes, mais conhecido como Chiquinho de Moraes (infelizmente em minhas pesquisas não pude me certificar sobre seu nome completo), começou a estudar piano aos cinco anos de idade e participou de vários festivais em diversas emissoras de TV. Apesar de dados escassos na internet sobre ele, através dessa postagem, apresentamos uma singela homenagem, frente ao grande músico que ele representa, pois quem já trabalhou com ele ou ouviu alguns de suas criações sabe e deve concordar com essas e outras justas homenagens!

Um forte abraço a todos!

domingo, 25 de dezembro de 2011

CD O melhor do Natal

Antigamente, imperavam nas lojas e nas casas das pessoas discos instrumentais que garantiam a trilha sonora dessa festa mágica. Lá em casa, quase furei o vinil e depois de alguns anos, adquiri o CD que apresento hoje: O melhor do Natal. Vendido atualmente a preços populares, esse é um dos CD´s mais bonitos desse estilo, que acredito merecer uma renovada por parte dos instrumentistas desse país.

No repertório, temos só clássicos como Jingle Bells (Bate o sino), Happy Xmas (Então é Natal), Pinheirinho do Agreste, White Christmas (Natal Branco), Árvore de Natal, O Natal chegou, Silent Night (Noite Feliz), Boas festas, Fim de ano, Natal das crianças, O velhinho e Os três reis, desse projeto datado de 1982.

Sem saber ao exato quem são os músicos responsáveis por esse trabalho, já que o antigo vinil apenas trazia na capa o título de Conjunto natalino, esse disco fez a festa em muitos lares desse país e, como ainda é vendido, creio que os mais saudosos desse estilo e apreciadores dessas interpretações instrumentais tão sensíveis, continuarão a tocá-lo hoje e durante muito tempo!

Um forte abraço e Feliz Natal a todos!

sábado, 24 de dezembro de 2011

Natal das crianças

No Brasil também foram criadas e gravadas várias canções dedicadas ao Natal e, algumas se confundem com clássicos natalinos de outros países, pois alcançam o mesmo patamar. Essa canção, por exemplo, é um clássico nacional bastante simpático de 1955, do compositor Blecaute, ou Octavio Henrique de Oliveira.

Acho interessante porque une à festa, alguns de seus principais personagens: as crianças, sem desprezar também os idosos, representados pela vovó e pelo vovô. Lindo também é sentir essa canção cantada nas escolas e pelos corais e uma coisa que deu muito certo são as onomatopéias (blim, blom...), sobretudo na gravação da Simone!

Natal das crianças
(Blecaute)

Natal, Natal das crianças
Natal da noite de luz
Natal da estrela-guia
Natal do Menino Jesus

Blim, blão, blim, blão, blim, blão
Bate o sino da matriz
Papai, mamãe rezando
Para o mundo ser feliz

Blim, blão, blim, blão, blim, blão
O Papai Noel chegou
Também trazendo presente
Para vovó e vovô

Um Feliz Natal a todos!

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Os compositores do Brasil - 44

Clássicos natalinos também surgiram no Brasil e um deles é creditado a esse grande compositor: José de Assis Valente, ou simplesmente Assis Valente, autor de Boas festas. Baiano, migrou para o Rio de Janeiro em 1927 e em 1930 começou a compor sambas. Seu primeiro sucesso foi Tem francesa no morro.

Muitos intérpretes da época gravaram suas composições e entre eles, Carmem Miranda, Orlando Silva, Altamiro Carrilho, Carlos Galhardo, Moreira da Silva, Francisco Alves, Mário Reis, Marlene e, posteriormente à sua partida, temos Novos baianos, Elis Regina, Simone, Chico Buarque, Maria Bethânia, Adriana Calcanhoto, Chitãozinho e Xororó, Ivan Lins, etc.

Boas festas é seu maior sucesso e todo Natal é cantado em todas as festas, compondo a lista dos grandes clássicos. Mas ele é autor de outros sucessos como Brasil pandeiro, Fez bobagem, Camisa listrada, Minha embaixada chegou, Cai cai balão, Boneca de pano, E o mundo não se acabou, entre outros.

Um forte abraço a todos!

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Se a juventude que essa brisa canta ficasse aqui comigo mais um pouco...

Ele é Alfredo José da Silva, mas todo o Brasil o conheceu por Johnny Alf. Natural do Rio de janeiro, ele está associado à Bossa Nova, pois a partir desse acontecimento musical que se firmou como cantor, compositor e pianista, sendo um dos artistas mais respeitados desse país. Partiu para a eternidade em 2010.

Começou seus estudos de piano cedo, aos nove anos de idade e aos 14 anos já tinha um grupo musical. Em 1952, já trabalhava em programa de televisão, do César de Alencar e a partir daí, tocou com vários nomes como Dick Farney, Sérgio Mendes, Sylvia Telles, Lúcio Alves, Gal Costa, Chico Buarque, Zizi Possi, Emílio Santiago, Caetano Veloso, Sandra de Sá, Gilberto Gil, Roberto Menescal, João Donato, Carlos Lyra, entre outros.

Eu e a brisa foi sem dúvida seu maior sucesso, mas outras canções de seu repertório são Seu Chopin desculpe, Ilusão à toa, Nós, Rapaz do bem, Olhos negros, O que é amar, Nossa festa, E aí?, Podem falar, etc. Ele é daqueles artistas inesquecíveis, sobretudo para quem conviveu e presenciou seu talento!

Um forte abraço a todos!

domingo, 18 de dezembro de 2011

CD e DVD Paula Fernandes ao vivo

Esse foi o CD/DVD mais vendido de 2011 e uma ótima pedida para esse Natal, para quem curte o gênero, claro! Com esse trabalho, Paula Fernandes firmou-se como uma das melhores do país e, definitivamente decolou em sua carreira, colhendo os frutos de seu merecido sucesso, afinal, que vozeirão o Brasil ainda não conhecia! Provou também que quando o projeto é bom não há pirataria que vença! Sucesso pode ser inexplicável, mas nesse caso está aliado a talento, algo raro nas músicas radiofônicas atuais!

O repertório foca na maior parte em suas composições que ainda não tinham caído no gosto popular. Como sucessos radiofônicos de 2011, temos Pássaro de fogo, Pra você, Meu eu em você, Complicados demais, Voa, Jeito de mato e Quero sim. Convidados como Leonardo em Tocando em frente, Victor e Léo em Não precisa e Marcus Viana (acompanhando com violino) em Quando a chuva passar, abrilhantam ainda mais o projeto que levanta a bandeira do gênero sertanejo romântico, sobretudo por ser na voz de uma cantora, já que ainda são poucas que têm espaço nesse estilo.

Outras canções são Amargurado/Sem você/Ainda ontem chorei de saudade, Navegar em mim, Sensações, Pra que conversar?, Seio de Minas, Isso é amar você e Costumes, regravação de Roberto e Erasmo. No DVD temos ainda as canções Apaixonados pela lua, Índia (com Leonardo), Debaixo do cacho/Apaixonado por você, Tarde demais, Man! I fee like a woman e Jeito de mato (numa versão que conta com a participação de Almir Sater), além de Making of.

Um forte abraço a todos!

sábado, 17 de dezembro de 2011

Jesus Cristo

Esse é um clássico da música brasileira, uma canção da fase soul de Roberto Carlos, que abriu caminhos para a música gospel nacional, segmento hoje tão divulgado e explorado por vários músicos. Lançada em 1970, Jesus Cristo foi a primeira canção com a qual o rei da música brasileira cantou sua fé compondo a trilha sonora dos Natais dos brasileiros durante vários anos, desde então.

Também regravada por Bethânia, ainda na década de 70 e, posteriormente por Simone (em seu CD natalino), Victor e Léo, Rosana e por Eduardo Lages (em versão instrumental), Jesus Cristo traz no título e na letra toda a devoção pelo aniversariante do mês, conclamando um coro universal em torno de seu poderoso nome, como sempre vemos nessa festa tão santa que Deus nos concede a cada ano!

Jesus Cristo
(Roberto Carlos e Erasmo Carlos)

Jesus Cristo, Jesus Cristo,
Jesus Cristo, eu estou aqui
Jesus Cristo, Jesus Cristo,
Jesus Cristo, eu estou aqui

Olho no céu e vejo uma nuvem branca que vai passando
Olho na terra e vejo uma multidão que vai caminhando
Como essa nuvem branca essa gente não sabe aonde vai
Quem poderá dizer o caminho certo é você meu Pai

Jesus Cristo, Jesus Cristo,
Jesus Cristo, eu estou aqui
Jesus Cristo, Jesus Cristo,
Jesus Cristo, eu estou aqui

Toda essa multidão tem no peito amor e procura a paz
E apesar de tudo a esperança não se desfaz
Olhando a flor que nasce no chão daquele que tem amor
Olho no céu e sinto crescer a fé no meu Salvador

Jesus Cristo, Jesus Cristo,
Jesus Cristo, eu estou aqui
Jesus Cristo, Jesus Cristo,
Jesus Cristo, eu estou aqui

Em cada esquina vejo o olhar perdido de um irmão
Em busca do mesmo bem nessa direção caminhando vem
É meu desejo ver aumentando sempre essa procissão
Para que todos cantem na mesma voz essa oração

Jesus Cristo, Jesus Cristo,
Jesus Cristo, eu estou aqui
Jesus Cristo, Jesus Cristo,
Jesus Cristo, eu estou aqui

Um forte abraço a todos!

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Visitei uma família engraçada...

Ela foi um grande nome da Jovem Guarda, também citada na Festa de arromba de Erasmo Carlos. Apesar de ser pouco lembrada hoje, já que partiu para a eternidade em 2008, os anos 60 foram outros porque conheceram o talento de Antônia Maria Pavão, ou simplesmente Meire Pavão, com sempre foi conhecida!

Natural de Taubaté/SP, filha e irmã de músicos, Meire , depois da Jovem Guarda, fez apresentações esporádicas também voltadas para o público infantil. Talvez por falta de incentivos, aconteceu de alguns artistas da nossa música brasileira, como Meire, não encontrarem seu espaço conquistado!

Entre os sucessos de seu repertório, temos A família Buscapé, Areia quente, Bem bom, Bonitinho, Cansei de lhe pedir, Lápis colorido, A mesma praia o mesmo mar, Robertinho meu bem, etc. E, essa é uma pequena lembrança de alguém que também escreveu seu sucesso na música brasileira!

Um forte abraço a todos!

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

CD Luiz Gonzaga ao vivo - Volta pra curtir

Comemorando o 99º aniversário de vida, apresentamos mais um trabalho do eterno rei do baião, nosso Luiz Gonzaga. Captado de um show realizado em 1972, no Rio de Janeiro, esse CD lançado em 2001, apresenta grandes clássicos de Gonzaga, além de ser um registro único de como eram seus shows, onde contava suas histórias e desfilava seus eternos sucessos, com toda sua simplicidade, profissionalismo, com toda a marca Gonzaga!

Aqui estão canções mais conhecidas como Boiadeiro, Siri jogando bola, Qui nem jiló, Cigarro de paia, Lorota boa, Asa branca, A volta da asa branca, Assum preto, Estrada de Canindé, Respeita Januário, Numa sala de reboco, O cheiro de Carolina, O xote das meninas, No meu pé-de-serra, Baião, Pau de arara, Oia eu aqui de novo,  Juazeiro, Hora do adeus, A feira de Caruaru, até as menos conhecidas como Moda da mula preta, Macapá, Ana Rosa, Adeus Rio, Aquilo bom, Derramaro o gai, Imbalança e Olha a pisada.

Esse momento foi muito importante para Gonzaga, porque foi em um tempo em que ele se sentia esquecido da mídia, por conta do sucesso do rock e de outras tendências nacionais. Caetano e Gil foram importantes na divulgação dele, que era ídolo dos baianos e graças a isso, pode tocar pela primeira vez na zona sul da cidade maravilhosa. Foi também um dos primeiros shows em que Dominguinhos o acompanhou. Gonzaga fará em 2012 cem anos e para nós, pernambucanos e todos os brasileiros, somos orgulhosos e agradecidos a Deus por um dia termos presenciado um artista dessa natureza, tão fiel à sua terra e ao seu povo!

Um forte abraço a todos!

domingo, 11 de dezembro de 2011

Olhando as estrelas - 21

Especial de 1986, cantando Estrada do sol.
E essa série chega à sua última edição do ano, mais que especial, trazendo dois astros da maior grandeza da música brasileira: o maior cantor e o maior músico que o Brasil já conheceu, em minha humilde concepção: Roberto Carlos e Tom Jobim. A relação entre os dois começou cedo, pois antes mesmo de ser o rei da música brasileira, Roberto cantava algumas canções de Tom Jobim, quando era crooner. Já nos anos 70, dizem que Tom fez algumas canções especialmente para Roberto gravar como Lígia, Wave e Luiza. Apesar do rei não gravar na época, no show Detalhes (1987-1990), apresentava um medley intitulado "As mulheres do Tom", onde cantava Ana Luiza/Lígia/Ângela.

Especial de 1981
Nos especiais da Globo, Roberto e Tom se encontraram quatro vezes: em 1976, quando cantaram Lígia, número reeditado em 1978, mas dessa vez só com voz e piano (que consta no CD/DVD duetos do Roberto, de 2006); em 1981, com Maria Bethânia, em homenagem a Vinícius de Morares, onde cantaram Eu sei que vou te amar e, finalmente em 1986, em um dueto que eu elegeria como um dos cinco mais lindos do Roberto, onde cantaram Estrada do sol, de Tom e Dolores, e conversaram sobre a natureza. Roberto ainda interpreta Tom nos especiais de 1977 (Wave), 1986 (Dindi), 1986 (Correnteza, com Djavan), 2006 (Insensatez em espanhol), 2008 (Chega de saudade, com Caetano) e 2011 - Jerusalém (Eu sei que vou te amar).

Especial de 1978 e CD/DVD duetos
No CD Canciones que amo de 1997, Roberto gravou pela primeira vez Tom Jobim, com a canção Insensatez, em versão hispânica feita pelo próprio rei. E, em 2008, junto com Caetano Veloso, presta uma homenagem ao Tom, gravando um CD/DVD só com canções dele. Roberto e Tom são responsáveis por algumas das mais belas páginas da música brasileira e, em defesa da natureza, atuaram juntos, cada um a seu modo por um mundo melhor, provando também que quando se encontraram, proporcionaram o brilho referente à magnitude de grandes estrelas que o universo nos proporciona!

Um forte abraço a todos! 

sábado, 10 de dezembro de 2011

Natal todo dia

Essa canção é uma das inéditas compostas para o projeto de canções natalinas que o Roupa Nova lançou em 2007. A canção abre o disco que possui outras inéditas e também regravações (já foi comentado anteriormente).

Natal todo dia é uma mensagem que enaltece o ambiente desse mês e deixa a pergunta de que como seria bom se todos os dias fossem Natais e vivêssemos nesse clima de harmonia, paz, esperança e fraternidade mútua! "Que bom se ele nunca tivesse mais fim..." Ainda bem que todos os anos temos Natal, afinal, como diz a letra, o melhor presente é o amor!

Natal todo dia
(Maurício Gaetani)

Um clima de sonho se espalha no ar
Pessoas se olham com brilho no olhar
A gente já sente chegando o Natal
É tempo de amor, todo mundo é igual

Os velhos amigos irão se abraçar
Os desconhecidos irão se falar
E quem for criança vai olhar pro céu
Fazendo pedido pro velho Noel

Se a gente é capaz de espalhar alegria
Se a gente é capaz de toda essa magia
Eu tenho certeza que a gente podia
Fazer com que fosse Natal todo dia

Se a gente é capaz de espalhar alegria
Se a gente é capaz de toda essa magia
Eu tenho certeza que a gente podia
Fazer com que fosse Natal todo dia

Um jeito mais manso de ser e falar
Mais calma, mais tempo pra gente se dar
Me diz porque só no Natal é assim
Que bom se ele nunca tivesse mais fim

Que o Natal comece no seu coração
Que seja pra todos, sem ter distinção
Um gesto, um sorriso, um abraço, o que for
O melhor presente é sempre o amor

Um forte abraço a todos!

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Blog Música do Brasil - 4º aniversário!!!

Começo essa postagem com uma curiosidade: algumas festas brasileiras começam nas vésperas de suas oficiais datas como é o caso das festas juninas e Natal. Carnaval, nem se fala, tem o antes, durante e depois. Amanhã, dia 09/12/2011, esse Blog completa quatro anos e comemoramos a partir de hoje, nesse mês que é mais que festivo para todos nós, por conta das festas de fim de ano!

Pois é! Há exatos quatro anos, comecei a escrever um pouco sobre essa paixão pela música brasileira, que não é só minha, mas de todos que por aqui passam, pois a cada ano contabilizo números maiores. Nesse último ano por exemplo, fomos mais vistos pois tivemos 80.000 visitas, mais que nos anos anteriores, quando contabilizávamos 60.000 visitas anuais. Recentemente dei uma melhorada no visual, levando adiante a ideia número um do Blog que é, além de apresentar artistas, canções, CD´s e DVD´s, séries; oferecer a música brasileira sob meu gosto, particular e eclético como é o próprio cancioneiro popular brasileiro.

Se Deus permitir, outras postagens virão, com nomes conhecidos e esquecidos de nossa música, com compositores, músicos, canções, séries onde eles se encontram, cidades cantadas, artistas internacionais quase brasileiros pelo sucesso que aqui alcançaram, CD´s e DVD´s que indico por gostar deles, filmes, programas musicais, etc. Tudo isso é um simples trabalho que representa o desejo de falar ao mundo virtual sobre a música brasileira e a paixão que ela representa em mim e em todos que por aqui passam! Obrigado a vocês por tudo! A festa é nossa, sempre! Um brinde à música brasileira! E esse bolo virtual, pescado na internet para todos nós e para nossa música!

Um forte abraço a todos!

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

E uma saudade bate forte...

Esses são os irmãos Aparecido dos Reis Morais e Márcio dos Reis Morais, ambos naturais de Franca/SP. Mas, todo o Brasil conhece mesmo Gian e Giovani. Desde pequenos, tinham inclinação para a música e cantavam com outro irmão que desistiu da carreira musical, mas a dupla persistiu e chegou a vender um carro que possuíam na época para gravarem um tape para apreciação.

O primeiro disco só viria em 1988, com Amante anônimo e Espuma de cerveja. A partir daí, vários lançamentos e vários sucessos em canções como Nem dormindo consigo te esquecer, O grande amor da minha vida, Nossa Senhora Aparecida, Olha amor, Caçador de corações, Faz de conta, Não dá pra te esquecer, Você em minha vida, Aperte o play, Um dois três, etc.

É mais uma tradicional dupla neo-sertaneja que já vem há algumas décadas conquistando e cativando seu público com seus sucessos que ficam eternizados em seus shows, apresentados país afora. Não dá pra citar dez duplas sertanejas do Brasil e não citá-los e isso foi conquistado com muito trabalho e dedicação à música!

Um forte abraço a todos!

domingo, 4 de dezembro de 2011

Os Intérpretes do Brasil - 13

Essa série nasceu esse ano e chega a dezembro com Alcione, uma das intérpretes que mais emociona em sua releituras. As canções ganham sua marca, sua voz, sua leitura ímpar e se tornam inesquecíveis. O que dizer de Estranha loucura, da dupla Sullivan e Massadas? Há alguém que a escute e ainda não pense: a canção da Alcione? O mesmo pode ser dito de Mulher ideal.

A "marrom" também fez uma leitura inesquecível de O meu amor, de Chico Buarque, junto com outra pérola de nossa música, a Maria Bethânia. Gosto muito de Pior é que eu gosto, da Isolda, que também ganhou a marca Alcione, assim como Faz uma loucura por mim, O surdo, Sufoco, O mundo é de nós dois, Nem morta, Olha, e mais recentemente, Sua estupidez, do repertório do Roberto.

É, sem sombra de dúvidas, Alcione é uma intérprete que está no topo das estrelas nacionais e, creio que todo compositor nacional gostaria de ver o que aconteceria se ela gravasse algo seu, como faria, pois quase sempre, a surpresa é agradável e inesquecível!

Um forte abraço a todos!

sábado, 3 de dezembro de 2011

Estrela guia

Dezembro é dedicado às canções natalinas e hoje apresentamos uma canção que não sei se é um clássico, mas que representa muito bem essa época, sobretudo pela doçura de sua letra. Mais um sucesso da dupla de compositores Sullivan e Massadas, imortalizada pela Xuxa.

Estrela guia associa bem essa época às crianças, grandes protagonistas dessa festa universal. E questiona se ainda existe alguém que não curte essa festa, esse momento, essa noite fantástica aguardada durante todo o mês e talvez todo o ano, com toda essência e paz que o coração possa se envolver, diante da maior festa da humanidade!

Estrela guia
(Michael Sullivan e Paulo Massadas)

Quem é que nunca esperou
Numa noite assim tão bela
Coração cheio de sonhos
Sapatinho na janela

Quem é que nunca chorou
Quando vê o bom velhinho
Mesmo que fosse o papai
Todo cheio de carinho

Quem é que nunca pediu
Por um mundo diferente
Pra trazer felicidade
Embrulhada num presente

Nessa noite que Ele vem
Todo mundo é uma criança
Toca o sino de Belém
Enchendo o ar de esperança

Nessa noite tão feliz, vem me dar a tua mão
Hoje o coração me diz, vem cantar essa canção
Vem brilhar Estrela guia, ilumina todo o céu
Traga o amor e a harmonia, com o meu Papai Noel

Um forte abraço a todos!

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Aqui, lá e em todo lugar...

Falar dos Beatles e sua influência no Brasil em apenas uma postagem é uma covardia. O legado deixado pelos rapazes de Liverpool pelo mundo afora e em terras tupiniquins é imensurável, sem falso exagero. John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Star montaram um império musical invejável, sendo até hoje a banda mais famosa do planeta. Mesmo assim, sendo um Blog de Música brasileira, deixo minha singela homenagem a esses artistas tão importantes para a humanidade.

John e George já não estão entre nós, mas suas canções sim! E o mais curioso é que para os que acompanham os Beatles a uma certa distância, como é o meu caso, ou seja, quem não conhece a fundo a discografia da banda, acaba confundindo canções do grupo, com músicas que surgiram nas respectivas carreiras solos que cada eterno Beatle trilhou após o fim do grupo, em 1970. É claro que gostamos de Imagine e Happy Xmas, do John; o mesmo pode ser dito para My Sweet Lord do George, mas incontáveis mesmo foram os clássicos da banda.

O que dizer de canções como Help, Hey jude, Let it be, Yesterday, If I feel, Something, And i love her, Michelle, Eleanor Rigby, Here there and every were, All my loving, All you need is love, Come toghether , I wanna hold your hand, entre tantas? Esse grupo influenciou e mudou o comportamento de muitos jovens e muitos artistas brasileiros foram influenciados por eles. Só pra citar, temos Roupa Nova, Caetano Veloso, Roberto Carlos, Erasmo Carlos, Gilberto Gil, Rita Lee, Lulu Santos, Milton Nascimento, Raul Seixas, Renato Russo, Zé Ramalho, entre outros!

Um forte abraço a todos!

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Você se lembra, foi isso mesmo que se deu comigo...

Ele é outro grande nome da canção popular da Era do rádio. Natural de Cataguases/MG, Lúcio Ciribelli Alves, ou simplesmente Lúcio Alves foi cantor, compositor e instrumentista, começando a tocar violão ainda na infância. Tendo como ídolo Orlando Silva, começou a se apresentar em rádios, quando já morava no Rio de Janeiro, interpretando canções de seu ídolo.

Formou grupo e depois, em carreira solo, fez bastante sucesso, sobretudo nos anos 40 e 50, com sucessos como De conversa em conversa, Brumas, Sábado em Copacabana, Teresa da praia, Chão de estrelas, Dindi, Valsa de uma cidade, Samba da minha terra, O barquinho, Nem eu, Se todos fossem iguais a você, Castigo, Estrada do sol, Fim de caso, Rosa, Mudando de conversa, entre outras.

Lúcio partiu para a eternidade em 1993, mas fica a lembrança do grande intérprete, além de músico e compositor que foi de seu tempo, sendo classificado entre os primeiros nomes da Era do rádio e também um dos grandes precursores e difusores da Bossa Nova.

Um forte abraço a todos!

domingo, 27 de novembro de 2011

Olhando as estrelas - 20

Dois grandes nomes do rock nacional. Um, ícone da geração anos 60 e outro, ídolo da geração anos 80. Dois artistas fãs um do outro: Erasmo Carlos e Lulu Santos. Erasmo é um dos ídolos do Lulu, que muito foi influenciado pela Jovem Guarda. Mas, Erasmo também aprendeu a ser fã do Lulu, fato esse repetido pelo próprio tremendão quando se refere ao pupilo.

Lulu Santos já gravou canções da dupla Roberto e Erasmo: O calhambeque e Se você pensa são exemplos. A interação com Erasmo vai além, quando participa do CD Erasmo Carlos convida 2, de 2007, onde abre o projeto com a faixa Coqueiro verde, uma das melhores do disco e uma das melhores coisas feitas pelo Lulu, que afirmou isso no programa do Raul Gil, anos atrás.

Lulu também cita Erasmo na faixa Made in Brasil, de seu primeiro acústico. Seria muito interessante, se Lulu fizesse um trabalho todo reverenciando seu ídolo, o que não deve estar muito distante de acontecer, pois soube que no próximo ano, fará alguns shows com repertório apenas de Roberto e Erasmo, do período Jovem Guarda. E, quem sabe, Erasmo gravar algo do Lulu, pois as estrelas brasileiras são assim: brilham e se reverenciam, brilhando ainda mais!

Um forte abraço a todos!

sábado, 26 de novembro de 2011

Se todos fossem iguais a você

Essa canção é mais um clássico da nossa música e mais um clássico de Tom e Vinícius. Quase todos os grandes intérpretes desse país já cantaram essa canção que pode ser vista por uma vertente romântica, mas que consegue ir além desse sentimento e exaltar a admiração extrema entre dois seres, ou quem sabe até uma admiração religiosa, uma paisagem florida como essa, etc.

Acredito que por possuir letra, harmonia e melodia belíssimos, Se todos fossem iguais a você já estava destinada a ser inesquecível e pelo fato de poder servir em tantas ocasiões, quando simplesmente seu título já é o bastante, podemos dizer que se trata de uma perfeita canção.

Se todos fossem iguais a você
(Tom Jobim e Vinícius de Moraes)

Vai tua vida,
Teu caminho é de paz e amor
A tua vida
É uma linda canção de amor

Abre os teus braços e canta
A última esperança
A esperança divina
De amar em paz

Se todos fossem iguais a você
Que maravilha viver
Uma canção pelo ar
Uma mulher a cantar
Uma cidade a cantar,
a sorrir, a cantar, a pedir

A beleza de amar
Como o sol, como a flor, como a luz
Amar sem mentir, nem sofrer

Existiria a verdade
Verdade que ninguém vê
Se todos fossem no mundo iguais a você

Um forte abraço a todos!

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Eu ontem fui à festa na casa do bolinha...

Frequentemente falamos de bandas, grupos ou duplas. Hoje falaremos de um trio oriundo do final dos anos 50 e que fez muito sucesso na época da Jovem Guarda: o Trio esperança, formado pelos irmãos Mário Correia José Maria, Regina Correia José Maria e Eva Correia José Maria, a Evinha e, em outra formação contou também com Marisa Correia José Maria, todos naturais do Rio de Janeiro/RJ.

O grupo vocal começou a se apresentar em programas de calouros no início dos anos 60 e o sucesso veio com canções como Filme triste, O sapo, Meu bem Lollipop, Festa do bolinha, Gasparzinho, Primavera, Na hora do almoço, Arrasta a sandália, Bolinha de sabão, entre outras. É claro que, como a maioria dos grupos, este também se desfez e se refez ao longo dos anos.

Evinha seguiu carreira solo, mas vez por outra, reencontra os irmãos para reviverem os tempos áureos do Trio, inclusive se unindo a outros irmãos, os Golden boys para realizarem shows, chegando a gravar um Dvd, recentemente. Na foto, a formação original do grupo batizado por Paulo Gracindo e que foi um dos grandes cartazes da Jovem Guarda.

Um forte abraço a todos!

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Os Músicos do Brasil - 27

Esse é mais um renomado músico que esse país possui e que talvez não o renda o merecido aplauso. Natural do Rio de Janeiro/RJ, Eumir Deodato de Almeida começou a tocar acordeão aos 12 anos e em seguida iniciou seus estudos de piano, orquestração, arranjo e regência, firmando seu nome como grande produtor musical e maestro desde os anos 70, já produzindo mais de 500 discos de diversos artistas e bandas.

Constam em seu currículo, nomes como Wilson Simonal, Marcos Valle, Milton Nascimento, Tom Jobim, Aretha Franklin, Frank Sinatra, Tony Bennett, Astrud Gilberto, Gal Costa, João Donato, Titãs, Carlinhos Brown, Elis Regina, Vinícius de Moraes, entre tantos outros. Também compositor, vez por outra lança seus próprios trabalhos onde, com seu piano, navega do funk ao samba, passando pelo jazz e por canções românticas.

Com uma carreira internacional premiada, Deodato também trabalhou em diversas trilhas sonoras de filmes de Hollywood e nacionais como Bossa Nova (2000), de Bruno Barreto. Foi responsável pela seleção dos participantes para o II Festival Internacional da Canção em 1967 e credita-se a ele a descoberta de Milton Nascimento, que nesse festival lançou-se com os sucessos Travessia e Morro velho.

Um forte abraço a todos!

domingo, 20 de novembro de 2011

CD e DVD Titãs Acústico MTV

Um dos melhores acústicos de todos os tempos foi apresentado em 1997 pela banda Titãs, em um trabalho que influenciaria outros acústicos que viriam depois deste. O projeto contou com a participação de convidados como Arnaldo Antunes (em O pulso), Fito Paez (em Go back), Jimmy Cliff (em Querem meu sangue), Marisa Monte (em Flores), Marina Lima (em Cabeça de dinossauro) e Rita Lee (em Televisão, com Roberto de Carvalho ao piano).

Vale lembrar que nesse mesmo ano, tivemos também os acústicos da Gal e da Rita (ambos já comentados aqui) e os Titãs devolveram a gentileza da Rita, participando também do acústico da cantora na faixa Papai me empresta o carro. Mas, voltando ao acústico Titãs, além dos convidados, tivemos alguns clássicos e algumas canções novas da banda que também viriam a se tornar imprescindíveis em seus shows como Comida, Pra dizer adeus, Família, Os cegos do castelo, Marvin, Nem 5 minutos guardados, Palavras, Hereditário, A melhor forma, 32 dentes, Não vou lutar, Homem primata e Diversão.

Esse projeto foi tão bem recebido pelos amantes da boa música que deu uma nova guinada na carreira da banda que, embora reformulada (atualmente , sem alguns dos integrantes que participaram desse disco, cada um por um motivo peculiar) continua fazendo shows e hits país afora. Com a produção de Liminha, esse é o melhor ou um dos melhores trabalhos dos Titãs, que dedicou o projeto à banda Mamonas Assassinas.

Um forte abraço a todos!

sábado, 19 de novembro de 2011

Caminhos do sol

Essa é uma das canções mais lindas dos anos 80, sucesso na voz imortal de Zizi Possi. Retrata um amor unido à paisagem, ao brilho que um dia ensolarado possa nos oferecer.

E, mesmo descrevendo um amor que não deu certo, apresenta elementos suficientes para afirmar que tudo pode  melhorar, se esse sentimento for retomado, agora de forma mais madura, aprendendo cada vez mais com a voz sempre agradável da Zizi.

 Caminhos do sol
(Herman Torres – Salgado Maranhão)

Sem você a vida pode parecer
Um porto além de mim
Coração sangrando
Caminhos de sol no fim

Nada resta, mas o fruto que se tem
É o bastante pra querer
Um minuto além
Do que eu possa andar com você

Te amo e o tempo não varreu isso de mim
Por isso estou partido e tão forte assim
O amor fez parte de tudo que nos guiou
Na inocência cega, no risco das palavras
e até no risco da palavra Amor

Um forte abraço a todos!

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Os compositores do Brasil - 43

Ele tá com música na novela das oito. A canção Eu nunca amei alguém como eu te amei, gravada pelo Roberto Carlos em 1994, foi regravada por Ivete Sangalo para a novela Fina estampa. Além de um dos mais renomados maestros desse país e um dos maiores divulgadores da música instrumental atual, Eduardo é também uma referência na composição nacional.

Tendo em seu currículo várias gravações do Roberto Carlos, consta em sua lista de intérpretes astros como José Augusto, Claudette Soares, Kátia, Chitãozinho e Xororó, Rosemary, Emílio Santiago, Gilliard, Agnaldo Timóteo, entre tantos, que navegaram em suas parcerias com Paulo Sérgio Valle, César Augusto e Alésio Barros.

Em conversa com seus fãs, Eduardo já afirmou que é compositor de poucas canções por ano e como essas canções são sempre sucessos, temos a certeza de que outros grandes intérpretes gostariam de ganhar alguma pérola sua para lapidarem, como aconteceu com Confissão, Como foi, Eu quero voltar pra você, A minha vida, De coração, Cenário, Nunca te esqueci, Momentos tão bonitos, Vê se volta pra mim, Assunto predileto, Eu vou sempre amar você, entre outras. Seu lançamento instrumental ficou para 2012 e nós, seus fãs, aguardamos com a mesma expectativa de sempre o CD Romances que ele está produzindo com o mesmo profissionalismo que compôs essas e tantas outras que ainda ouviremos!

Um forte abraço a todos!

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Homenagem ao malandro

Feriado do dia da Proclamação da República e fui buscar o significado de República no dicionário, encontrando o seguinte, de acordo com o Houaiss: "forma de governo em que o Estado se constitui de modo a atender o interesse geral dos cidadãos". E aí me pergunto: além de estarem curtindo o merecido descanso, embora haja quem pense que temos feriados demais, será que o brasileiro reflete sobre isso? Será que nossos governantes estão mesmo dedicados à soberania popular?

Com uma classe política tão desacreditada, por tantos arranhões que recebemos no decorrer de nossa história antiga e recente, tornam-se opacas as pessoas sérias que se envolvem nesse meio. Sinto que o país está nas mãos de um grupo só, cada vez sem oposição e sem muito direcionamento para essa soberania popular, numa espécie de malandragem, como conta essa canção do Chico, em que foi procurar aquele conhecido malandro e se surpreendeu com a modernização dessa classe que, em nada tem haver com a tradicional figura social que ele conhecia, parecidíssimo com alguns políticos atuais dessa nossa República:

Homenagem ao malandro
(Chico Buarque)

Eu fui fazer um samba em homenagem
à nata da malandragem, que conheço de outros carnavais
Eu fui à Lapa e perdi a viagem,
que aquela tal malandragem não existe mais

Agora já não é normal, o que dá de malandro regular profissional,
malandro, com o aparato de malandro oficial,
malandro, candidato a malandro federal,
malandro com retrato na coluna social;
malandro com contrato, com gravata e capital, que nunca se dá mal.

Mas o malandro para valer, não espalha,
aposentou a navalha, tem mulher e filho e tralha e tal
Dizem as más línguas que ele até trabalha,
Mora lá longe chacoalha, no trem da central

Um forte abraço a todos!

domingo, 13 de novembro de 2011

Almanaque da Jovem Guarda

A Jovem Guarda foi um movimento musical importantíssimo para a música brasileira e que não se resumiu a um programa de televisão da Record nos anos de 1965 a 1968, mas a acontecimentos antes e depois desse período, envolvendo artistas que viriam a influenciar outros nomes e movimentos posteriores!

É o que conta esse Almanaque da Jovem Guarda, de Ricardo Pugialli, da Editora Ediouro, lançado em 1999 como o livro No embalo da Jovem Guarda e reeditado como Almanaque em 2006. Um material rico em fotos, reportagens da época, lançamentos fonográficos e raridades como o conteúdo do caderninho de anotações que Roberto Carlos fazia em 1959, quando cantava na Boate Plaza, incluindo o set list de suas apresentações.

Não é um livro que conta cronologicamente todos os acontecimentos do movimento, mas que ressalta ano a ano a evolução de cada artista e os Mexericos da Candinha e torna-se indispensável na estante daqueles que apreciam e são saudosos daquelas Jovens tardes de domingo!

Um forte abraço a todos!

sábado, 12 de novembro de 2011

Codinome Beija-flor

Essa é mais um clássico da música brasileira, imortalizada pelo autor, Cazuza, e por outras vozes femininas como Simone e Joanna, além do Barão Vermelho, Luiz Melodia e outros intérpretes país afora. Fala de um amor partido, mas com elementos bastante particulares do personagem central da canção que, com certeza, plantou essa identificação com o povo brasileiro que tanto amou essa música.

As coisas particulares estão presentes na forma como o personagem se refere à pessoa amada, à qual se refere apenas como Beija-flor, fala ao seu ouvido segredos de liquidificador (que, embora existam tantas teorias para essa expressão, o próprio autor afirma que são apenas os movimentos circulares com a língua) e expõe todos os esforços para que o sentimento oculto entre eles finalizassem em sucesso, lamentando pelo fracasso e pelas rusgas deixadas com essa dor que parece anular todo o esforço e a dedicação ofertada.

Codinome beija-flor
(Cazuza, Reinaldo Arias e Ezequiel Neves)

Pra que mentir
Fingir que perdoou
Tentar ficar amigos sem rancor
A emoção acabou
Que coincidência é o amor
A nossa música nunca mais tocou

Pra que usar de tanta educação
Pra destilar terceiras intenções
Desperdiçando o meu mel
Devagarzinho, flor em flor
Entre os meus inimigos, beija-flor

Eu protegi o teu nome por amor
Em um codinome, Beija-flor
Não responda nunca, meu amor
Pra qualquer um na rua, Beija-flor

Que só eu que podia
Dentro da tua orelha fria
Dizer segredos de liquidificador

Você sonhava acordada
Um jeito de não sentir dor
Prendia o choro e aguava o bom do amor

Um forte abraço a todos!

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Quando ela passa, o mundo inteirinho se enche de graça...

Ela é uma das cantoras que tem mais reconhecimento internacional: Astrud Evangelina Weinert, mais conhecida como Astrud Gilberto, uma referência de Samba e Bossa nova. Natural de Salvador/BA, mudou-se para o Rio de Janeiro na adolescência, onde conheceu João Gilberto e casou-se com ele, que lhe abriria as portas para a música, posteriormente em um disco gravado com Tom Jobim e com o músico Stan Getz.

Depois de cantar a versão de A garota de Ipanema em inglês no disco Getz/Gilberto, lança seu primeiro disco em 1965 e firma-se como uma das maiores referências da Bossa Nova e das interpretações de grandes clássicos desse gênero em inglês e em português como Corcovado, A felicidade, Água de beber, Dindi, Águas de março, Só tinha de ser com você, Como fué, Desafinado, Live today, etc.

Apesar de ter poucos lançamentos no decorrer de toda sua carreira e de fazer poucas aparições e apresentações no Brasil, não podemos negar que o sucesso de Astrud Gilberto no exterior faz a música brasileira ser mais divulgada e respeitada, e com isso só podemos render essa homenagem através dessa singela postagem!

Um forte abraço a todos!

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Só queria ficar com você na paz...

Ele é Orlando de Morais Filho, mais conhecido por Orlando Morais. Cantor e compositor, Orlando despertou para a música ainda criança, quando começou a tocar piano aos 4 anos de idade. Lançou seu primeiro cd em 1990, que contou com parcerias com Caetano Veloso em Divinamente nua e crua e com Cazuza nas canções Oriental e Portuga.

A partir daí, entre os sucessos emplacados de seu repertório, temos Na paz, O que vem a ser felicidade, Cruzando raios, Figura, Firmamento, Lindo lago do amor, A montanha e a chuva, No trânsito, O amor, entre tantos outros sucessos onde dividiu parcerias ou gravações com artistas como Gilberto Gil, Maria Bethânia, Dominguinhos, Djavan, etc.

Casado com a atriz Glória Pires, Orlando continua divulgando seu trabalho e vez por outra somos premiados com o estouro de algum sucesso seu, seja em trilha de novela, como muito já aconteceu, seja em algum novo projeto sempre bem reconhecido por todos!

Um forte abraço a todos!

domingo, 6 de novembro de 2011

Os Intérpretes do Brasil - 12

Marisa Monte não é por acaso uma das maiores estrelas da nossa música em todos os tempos. Destacam-se a cantora, a compositora, a musicista e por que não dizer, a intérprete? Basta observar que nem todas as canções que canta são de sua autoria, mas todas são sucessos e recebem o carimbo, a marca MM, ficando difícil dissociar a canção de sua intérprete.

É o caso por exemplo de Bem que se quis, um de seus primeiros sucessos, uma versão de Nelson Motta. Outro exemplo é a interpretação que ela dá a Rosa, sucesso da Era do rádio. Diariamente, do Nando Reis caiu como uma luva para sua voz. Suas releituras ao vivo também merecem destaque e aí podemos incluir De noite na cama, Xote das meninas e Panis et circences, que também receberam seu toque todo particular.

Mas, adiante, temos Dança da solidão de Paulinho da Viola, que ficou bárbaro. E o que dizer de Seu sabiá de Caetano e Eu te amo te amo te amo do rei Roberto? Chocolate e O que me importa devem ter emocionado muito ao Tim Maia e a seus fãs!  E nas participações em trabalhos de colegas, isso também se verifica, pois é só observar Não quero ver você triste no Erasmo convida 2. E se ainda há alguma dúvida, temos um cd todo de samba, com várias interpretações para analisarmos essa tendência de perfeita intérprete dessa grande estrela da nossa música!

Um forte abraço a todos! 

sábado, 5 de novembro de 2011

Manhã de carnaval

Imagina uma canção gravada por Sinatra e Pavarotti, Julio Iglesias e Luis Miguel, Gal e Bethânia, Emílio e Fagner, Caetano e João Gilberto, Maysa e Nara. Tal canção existe e é um clássico nacional e que ultrapassou as fronteiras desse país, tornando-se uma das mais conhecidas internacionalmente: Manhã de Carnaval.

Uma das poucas canções do filme Orfeu Negro que não era de Tom e Vinícius, Manhã de carnaval se popularizou como a canção do filme, interpretada por Agostinho dos Santos. E é nessa hora que a gente entende como surge um clássico, pois com mais de 50 anos, essa canção continua sendo atual e cultuada como uma das mais belas canções da música brasileira.

Curioso é que ela tem três versões de letras diferentes. Dizem que a esposa de Luiz Bonfá, Maria Helena Toledo, alterou a primeira versão para o filme. Percebi também nos encontros de Pavarotti com Caetano e depois com Gal e Bethânia, que era apresentado uma versão diferente, mais extensa. Segue as versões, todas românticas, desde a mais tradicional até as outras versões com seus primeiros registros:

Manhã de carnaval
(Antônio Maria e Luiz Bonfá)

(Versão tradicional)

Manhã, tão bonita manhã
Na vida uma nova canção
Cantando só teus olhos
Teu riso e tuas mãos
Pois há de haver um dia
Em que verás

Das cordas do meu violão
Que só teu amor procurou
Vem uma voz
Falar dos beijos perdidos
Nos lábio teus

Canta o meu coração,
Alegria voltou
Tão feliz a manhã desse amor

Versão gravada pela Maysa

Manhã, tão bonita manhã
De um dia feliz que chegou
O sol no céu no surgiu
E em cada cor brilhou
Voltou o sonho então
Ao coração

Depois desse dia feliz
Não sei se outro dia haverá
É nossa manhã
Tão bela afinal
Manhã de carnaval

Canta o meu coração,
Alegria voltou
Tão feliz a manhã desse amor

Versão gravada por Pery Ribeiro

Manhã, tão bonita manhã
Na vida uma nova canção
Em cada flor, o amor
Em cada amor, o bem
O bem do amor faz bem
Ao coração

Então vamos juntos cantar
O azul da manhã que nasceu
O dia já vem
E o seu lindo olhar
Também amanheceu

Canta o meu coração,
Alegria voltou
Tão feliz a manhã desse amor

Um forte abraço a todos!

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Que bela coisa, uma jornada de sol...

Ele popularizou a ópera no mundo e a música brasileira sempre o reverenciou e foi reverenciada por ele. O italiano Luciano Pavarotti deixa o significado da palavra saudade mais forte entre todos nós que acompanhamos seu sucesso e suas interações com grandes músicos nacionais. Quem não lembra da emoção que foi o show Tenores da década de 90, quando ao lado dos amigos Domingos e Carreras, interpretaram entre outras nossa Aquarela do Brasil?

Mas, a ligação entre o tenor e nosso país iria além, sobretudo nos encontros com Caetano Veloso, Maria Bethânia e Gal Costa e com Roberto Carlos, todos na década de 90. Aliás, com o rei teríamos um outro em 2007 que, infelizmente não aconteceu por problemas de saúde do tenor, que nos deixou nesse mesmo ano, mas será sempre lembrado como um dos mensageiros da paz, pela sua obra e por seu trabalho humanitário.

Entre suas canções mais lembradas, sobretudo aqui no Brasil, temos Oh sole mio, Ave Maria, Nessun dorma, Caruso, Volare, La donna é mobile,  Panis Angelicus, Mamma, Passione, Granada, Amigos para siempre, Torna a surriento, Manhã de carnaval, Baby can i hold you tonight, Miss Saravejo, entre tantas da eterna voz da paz!

Um forte abraço a todos!

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Tirou partido de mim, abusou...

Essa dupla de cantores ficou conhecida no final dos anos 60, após o Festival Internacional da Canção, sendo sucesso incontestável, sobretudo na década de 70. Nascidos em Salvador/Ba, eles são Antônio Carlos Marques Pinto e José Carlos Figueiredo, mais conhecidos como Antônio Carlos e Jocáfi. Curioso é que o nome Jocafi é formado pelas iniciais de seus três nomes.

Foi a canção Catendê, defendida naquele Festival que tornou a dupla conhecida e abriu caminhos para outros sucessos como Desacato, Toró de lágrimas, Dona Flor e seus dois maridos, Diacho de dor, Estrela amante, Aventureiro, Forrobodó, Vá brincando e a mais conhecida de todas Você abusou, que teve enorme sucesso internacional, contando aí a releitura de Stevie Wonder.

A dupla é também regravada por outros nomes como Elis Regina, Gilberto Gil, Jorge Aragão, Luiz Gonzaga, Sérgio Mendes, entre outros, o que explica o porquê de estar na ativa a tanto tempo, sempre reencontrando seu público fiel!

Um forte abraço a todos!

domingo, 30 de outubro de 2011

Olhando as estrelas - 19

Fagner e Joanna protagonizaram vários encontros maravilhosos que premiaram não apenas seus respectivos fãs, mas toda a música brasileira. Em 1991, se encontraram nos corredores do mesmo estúdio onde gravavam seus respectivos discos quando Joanna comentou que estava gravando uma versão de Lejânia, que viria se tornar Meu primeiro amor. Aceitando o convite, Fagner gravou com ela a faixa que entrou nos discos dos dois e foi sucesso, sendo a versão mais conhecida dessa canção aqui no Brasil.

Mais tarde, em 1998, no cd Amigos e canções do cantor, Joanna divide os vocais com ele na faixa Saudade, que também apareceria no Dvd homônimo que ainda trazia Meu primeiro amor e que você confere nas fotos apresentadas nessa postagem. Em 2003, no projeto acústico da cantora, foi a vez de Fagner ser o convidado na canção Amor alheio, que também apareceria em telão no projeto cd/dvd Ao vivo em Portugal, da cantora em 2006.

Esses são os encontros desses dois grandes cantores da nossa música e que, juntos, fizeram suas estrelas brilharem ainda mais em canções que alcançaram o topo das paradas e embalaram muitos casais românticos país afora! Sem falar que são dois nomes que vez por outra figurarão nessa série, pois sempre aparecem em duetos fantásticos da música brasileira.

Um forte abraço a todos!

sábado, 29 de outubro de 2011

Leva

Essa é também das mais lindas do repertório do Tim e das mais inspiradas da dupla Sullivan e Massadas (sempre eles, campeões de hits dos anos 80), tema da novela global Um sonho a mais, em 1985.

Eu nunca entendi porque as pessoas criticam tanto essa década por causa de canções românticas como essa, definidas como melosas ou pausterizadas. Acho muito lindo alguém dizer todas essas palavras a outra pessoa e acho até que hoje em dia falta muito disso: alguém levar um som, como esse de Tim Maia e encontrarem juntos a felicidade em seus bons sentimentos!

Leva
(Michael Sullivan e Paulo Massadas)

Foi bom eu ficar com você o ano inteiro
Pode crer foi legal te encontrar
Foi amor verdadeiro

É bom acordar com você
Quando amanhece o dia
Dá vontade de te agradar
Te trazer alegria

Tão bom encontrar com você
Sem ter hora marcada
De falar de amor bem baixinho
Quando é madrugada

Tão bom é poder despertar
Em você fantasias
Te envolver, te acender
Te ligar, te fazer companhia

Leva
O meu som contigo, leva
E me faz a tua festa
Quero ver você feliz

É bom quando estou com você
Numa turma de amigos
E depois da canção
Você fica escutando o que eu digo

No carro, na rua, no bar
Estou sempre contigo
Toda vez que você precisar
Você tem um amigo

Estou pr'o que der e vier
Conte sempre comigo
Pela estrada buscando emoções
Despertando os sentidos

Com você, primavera, verão
No outono ou no inverno
Nosso caso de amor tem sabor
De um sonho eterno

Leva
O meu som contigo, leva
E me faz a tua festa
Quero ver você feliz

Um forte abraço a todos!

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Chuva de prata que cai sem parar...

Ele foi um dos criadores da banda Renato e seus blue caps, juntamente com seus irmãos Paulo César e Renato Barros. Depois de pouco tempo, seguiu carreira solo, se firmando como um grande nome da Jovem Guarda e depois como um dos maiores compositores desse país: Edson Vieira de Barros ou simplesmente Ed Wilson.

Natural do Rio de Janeiro/RJ, como cantor colecionou sucessos como Garota fenomenal, Telefonema, Minha estrada, Ela me deixou chorando e O carro do papai. Como compositor, temos entre outros grandes êxitos Chuva de prata, Pede a ela, Aguenta coração, Não diga nada, entre outros. 

Ed Wilson partiu para a eternidade em 2010. E continua sendo lembrado como um dos expoentes da Jovem Guarda e da composição nacional, e esta é apenas mais uma singela homenagem que ele merecidamente recebe!

Um forte abraço a todos!

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Os Músicos do Brasil - 26

Durante muitos domingos presenciamos um grande músico em um programa da Tv Globo. Ele acompanhava os artistas ao vivo e às vezes, mesmo sendo alvo de gozações, não escondia seu enorme talento. Seu nome: Rubens Antônio da Silva, mas todos o conhecem por Caçulinha. Natural de Piracicaba/SP, Caçulinha é lembrado por suas aparições no programa Domingão do Faustão e também pela direção musical do Sai de baixo.

Acordeonista e pianista, seu currículo é bem mais extenso e tem trabalhos realizados com gente como João Gilberto, Elis Regina e Jair Rodrigues no programa O fino da bossa, Miltinho, Roberto Carlos, Elizeth Cardoso, Caetano Veloso, Luiz Gonzaga, Nelson Gonçalves, entre tantos.

Caçulinha também já lançou discos instrumentais e participou de várias gravações de discos dos mais variados estilos musicais desse nosso país. Atualmente deu uma pausa e descansa de uma vida dedicada à música, mas realiza aparições esporádicas no programa do Fausto, onde por mais de vinte anos foi responsável por apresentações ao vivo de grandes astros da nossa música!

Um forte abraço a todos!

domingo, 23 de outubro de 2011

CD Julio Iglesias – Calor

Li em uma entrevista recente que Julio Iglesias pretende lançar novo trabalho no Brasil e isso para nós, fãs de seu sucesso, é um alento, pois estamos saudosos de suas gravações, sua voz. Enquanto isso, mais um ótimo trabalho dele, lançado em 1992, sob o título de Calor e com aquela qualidade Julio que conhecemos.

Como canções radiofônicas tivemos Milonga e a belíssima A quero como é, que só pelos solos de sax associados à voz do Julio são de arrepiar. Como os lançamentos no Brasil geralmente são frutos de versões de gravações originais em espanhol, temos ainda Na cana e no café e Sonho triste, que se trata de uma versão do clássico Uno, inclusive sendo lançada em português em outros países. A grande surpresa em nossa língua aparece na faixa Me ama mô, composta por Martinho da Vila.

Completam o trabalho as canções em espanhol Lia, De domingo a domingo, Y aunque te haga calor, Esos amores e Somos (que já conhecemos em português em disco lançado anteriormente). Um trabalho que não pode faltar na coleção de todo romântico que aprecia a obra do Julio e que também sonha com novos lançamentos.

Um forte abraço a todos!

sábado, 22 de outubro de 2011

Ela une todas as coisas

Essa é uma  das canções mais bonitas do repertório do Jorge Vercilo. Tema da novela Global Duas caras, é uma das mais românticas dos últimos anos e sua poesia impressiona pela sensibilidade em descrever a pessoa amada através de elogios imensuráveis e comparados  às belezas da natureza.

Acho muito marcante quando ele fala que ela está em todas as coisas boas e até no vazio, pois é quando adquire formas abstratas em seu sentimento, figurando ainda mais forte. Ponto para os compositores e para o intérprete que a imortalizou entre nós.

Ela une todas as coisas
(Jorge Vercilo e Jota Maranhão)

Ela une todas as coisas
como eu poderia explicar
um doce mistério de rio
com a transparência de um mar

Ela une todas as coisas
quantos elementos vão lá
sentimento fundo de água
com toda leveza do ar

Ela está em todas as coisas
até no vazio que me dá
quando vejo a tarde cair
e ela não está

Talvez ela saiba de cor
tudo que eu preciso sentir
Pedra preciosa de olhar
Ela só precisa existir para me completar

Ela une o mar
com o meu olhar
Ela só precisa existir
pra me completar

Ela une as quatro estações
Une dois caminhos num só
Sempre que eu me vejo perdido
une amigos ao meu redor

Ela está em todas as coisas
até no vazio que me dá
quando vejo a tarde cair
e ela não está

Talvez ela saiba de cor
tudo que eu preciso sentir
Pedra preciosa de olhar
Ela só precisa existir para me completar

Ela une o mar
com o meu olhar
Ela só precisa existir
pra me completar

Une o meu viver
com o seu viver
Ela só precisa existir
para me completar

Um forte abraço a todos!

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Daqui pra frente tudo vai mudar...

A dupla Jane e Herondy é formada por Jane Vicentina do Espírito Santo e por seu marido,  José Roberto Bueno de Lima. Em 1970 se casaram e formaram a dupla Jane e Herondy, lançando o primeiro LP em 1975, com versões de canções estrangeiras. Mas, o estouro nacional veio no ano seguinte com a canção Não se vá, que levou a dupla ao topo das paradas de sucessos e shows em todo o país.

Ao final da década de 70 e na maior parte dos anos 80, a dupla lançou vários sucessos e entre eles temos Eu não sabia que você existia, Música suave, Inteirinha, Se eu pudesse, Coisinha estúpida, Como Deus mandou um dia, Quando olhei pra você, Juntos para sempre, Amante, Guacira, Ama-me, Amigos para sempre, etc.

Apesar de desconhecidos de muitos na atualidade, essa dupla fez muito sucesso em seu tempo e conquistou um público fiel muito forte. Com poucos lançamentos em suas carreiras, Jane e Herondy continuam juntos e formam uma das poucas duplas em que homem e mulher cantam juntos no Brasil e continuam fazendo shows país afora, após recuperação de saúde do Herondy, que sofreu AVC, ano passado.

Um forte abraço a todos!

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Os compositores do Brasil - 42

Vamos inverter dessa vez e citar primeiro a obra desse extraordinário compositor, pois o que dizer de canções como Foi a noite, Desafinado, Samba de uma nota só, Meditação, Caminhos cruzados, Discussão, entre outras não tantas, mas marcantes, algumas, verdadeiros clássicos da nossa música?

Esse é Newton Ferreira de Mendonça ou simplesmente Newton Mendonça, um dos principais parceiros de Tom Jobim. Natural do Rio de Janeiro/RJ, o também pianista Newton viveu apenas 33 anos e mal pode ver o sucesso de suas parcerias, inesquecíveis até hoje, pois sempre temos algum bom intérprete passeando por suas composições.

Basta dizer que além de Tom Jobim, tivemos como intérpretes de sua obra Gal Costa, Caetano Veloso, João Gilberto, Nana Caymmi, Pedro Mariano, Sylvia Telles, Dalva de Oliveira, Leila Pinheiro, Maysa, Ana Carolina, Isaurinha Garcia, entre outros que, com suas interpretações demonstram que trabalhos como os seus são e serão sempre inesquecíveis!

Um forte abraço a todos!

domingo, 16 de outubro de 2011

CD Milton Nascimento ao vivo - Amigo

Ouvir Milton Nascimento é sempre agradável e quando canta com um coral de crianças e com uma grande orquestra o acompanhando é, sem sombra de dúvidas, algo que permeia a perfeição em termos de som, de música. E isso pode ser conferido nesse cd lançado em 1995, resultado de um show gravado em setembro de 1994 no Palácio das Artes em Belo Horizonte.

Com um show intitulado Amigo, acompanhado da Orquestra de Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo, sob a regência do maestro Nelson Ayres e tendo em algumas faixas o Coral das crianças programa curumim, o show é também uma homenagem a Ayrton Senna, falecido naquele ano.

Somos contemplados com a voz, a orquestra, o coral e também com clássicos como Canção da América, Eu sei que vou te amar, Coração de estudante, O cio da terra, Paula e Bebeto, Bola de meia bola de gude, além de Que bom amigo, Estrelada, Veja esta canção, Simples, Panis angelicus e Milagre dos peixes. É certo que é um disco ao vivo que não saiu em DVD, nem abordou outros clássicos do Milton, mas em termos de produção artística, considero o melhor dele até então!

Um forte abraço a todos!

sábado, 15 de outubro de 2011

O professor

Garimpando na música brasileira, além da canção Anjos da guarda da Leci Brandão, apresentada aqui em outro ano, temos também essa em homengem aos mestres das salas de aulas de nosso país. Hoje, dia do professor, é uma data em que, apesar de tantas dificuldades e tanta falta de motivação, encontramos a certeza de que todos possuem um ou mais mestres inesquecíveis em sua história.

Gostei dessa canção de Tânia Maya, uma cantora que merece mais destaque na nossa música, mas que já é muito conhecida por ter nos presenteado com esse verdadeiro hino para essa data. Gosto quando o autor destaca tantas figuras importantes em nossa história, indagando onde estão os mestres desses ilustres. Isso é gratificante e dá um alento de que ainda vão descobrir a importância exata dessa classe de trabalhadores,  imprescindível na construção desse país e isso também na música brasileira!

O professor
(Celso Viáfora)

Quem com pó de giz
Um lápis e apagador
Deu o verbo a Vinícius
Machado de Assis, Drummond?

Quem ensinou piano ao Tom?
Quem pôs um lápis de cor
Nos dedos de Portinari,
Picasso e Van Gogh?

Quem foi que deu asas a Santos Dumont?
Crianças têm tantos dons
Só que, às vezes, não sabem
Quantos só se descobrem
Porque o mestre enxergou
e incentivou

É, só se faz um país com professor
Um romance, um croquis, com professor
Um poema de amor
Um país pra ensinar seus jovens

Um forte abraço a todos e parabéns a todos os professores!

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Me ame com ternura...

É difícil em uma única postagem falar da importância desse ídolo internacional que tanto influenciou artistas da nossa música. É isso mesmo, se você perguntasse a artistas dos mais variados estilos como Roberto e Erasmo Carlos ou Tim Maia, Alceu Valença ou Zezé di Camargo, Eduardo Lages ou Raul Seixas, Rita Lee ou Jerry Adriani, ou muitos outros citariam Elvis Presley como uma das suas mais fortes influências musicais.

O rei do rock mundial brilhou no Brasil com vários sucessos e estes também seriam difíceis de serem todos citados, a exemplo de Love me tender, Kiss me quick, Suspicions mind, My way, Bridge over troubled water, Blue suede shoes, Hound dog, Tutti frutti, Unchained melody, It´s now or never, Loving you, Only you, Jailhouse rock, Heartbreak Hotel, Don't be cruel, Can´t help falling in love, Long tall sally, entre tantas.

Elvis foi embora em 1977, mas é eternamente lembrado como o rei do rock mundial e continua sendo forte influência para novos artistas brasileiros e estrangeiros, com seus filmes, suas músicas, sua inconfundível voz. Acredito que, se não for o maior, está entre os cinco que mais possuem covers no mundo e basta perceber a frase sempre repetida: Elvis não morreu, que já diz tudo!

Um forte abraço a todos!