terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Feliz 2014!!!

E chegamos ao final de 2013, saudando o novo ano que logo mais se inicia. Sei que parece apenas uma mudança numérica, uma página do calendário que se vai, mas desde que nascemos, aprendemos a contar essa data como um início não apenas numérico ou de um calendário que se inicia, mas o início de um novo tempo, uma nova etapa onde os sonhos e planos se renovam.

E viver deve ser isso mesmo, ter a capacidade de sempre renovar seus sonhos, ter novos planos que darão ou não certo, que estarão nos acertos e erros com os quais aprenderemos e crescemos. Que 2014 traga muitas experiências positivas a todos, nos campos profissionais e pessoais. É o ano da copa aqui no Brasil e muita coisa vai girar em torno disso. Às vezes é triste pensar que tem que haver uma copa para algumas coisas boas acontecerem, outras nem com isso. Mas, reascendamos nossa fé, numa chama que nunca devemos deixar se apagar!

Em termos de música brasileira, sonhos também se renovam sobre novas produções de nossos artistas. Novas canções, novos projetos, merecidas homenagens, novas composições, regravações, novos e bons hits, novos artistas talentosos surgindo, uma música cada vez melhor, é isso que sonhamos para esse ano. Nesse mês de janeiro, vivenciaremos alguns filmes, canções marcantes de 2013 e a série que traz os especiais de Roberto Carlos nos anos 90. Termino com um brinde pela nossa música e um brinde por 2014!

Um forte abraço a todos!

domingo, 29 de dezembro de 2013

♫Marcas do que se foi♫

Uma das canções mais tocadas na passagem do ano é essa, originalmente gravada pelos Incríveis e acredito que nesta passagem de ano não será diferente, em várias rádios e lugares desse país! Acho até bastante nostálgica, talvez sua levada ou até mesmo sua letra ou seu caráter tradicional. Não sei bem explicar, mas ela sempre toca, ou alguém a canta!

E quem observa sua letra percebe uma belíssima poesia dedicada à amizade e à paz, elementos indispensáveis em toda passagem de um ano para outro! Muitos observam apenas uma mudança numérica, mas é tempo de reflexão e de buscar sermos cada vez melhores, deixando as cicatrizes passarem junto com antigas feridas!

Marcas do que se foi
(Tavito, Ruy Maurity, José Jorge, Ribeiro J. Francisco, Márcio Moura e Paulo Sérgio Valle)

Este ano quero paz no meu coração
Quem quiser ter um amigo que me dê a mão
O tempo passa e com ele caminhamos todos juntos sem parar
Nossos passos pelo chão vão ficar

Marcas do que se foi
Sonhos que vamos ter
Como todo dia nasce
Novo em cada amanhecer

Um forte abraço a todos!

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Roberto Carlos Especial 2013

Roberto Carlos especial 2013
O Especial deste ano traz uma marca meio polêmica, pois comemora 40 anos e pelas contas e vídeos dos fãs, o primeiro especial aconteceu em 1974, mas em dezembro e não em janeiro, como encontrado em alguns textos. Enfim, independente disso, temos aqui mais um tradicional programa de final de ano que não trouxe esta como única polêmica: a funkeira Anitta também causou um certo desconforto na cabeça de alguns fãs, por fazer parte da lista de convidados. Indiferente a isso, Roberto cantou, dançou e atuou com ela e o número ficou interessante, acima das discriminações que sofreram, encantaram com Olha e o medley Show das poderosas/Se você pensa. Antes, a humorista Tatá Werneck simulou cantar, sendo uma fã do rei, a canção Força estranha, onde na verdade quem cantava era a própria Anitta. 

Roberto, Tatá e Anitta
Entre um intervalo e outro, depoimentos de astros como Tony Ramos, Jô Soares, Regina Duarte, Antônio Fagundes, Serginho Groisman, Luciano Huck e Ísis Valverde. Outros convidados vieram e abrilhantaram a noite ao lado do Roberto como o encontro tão aguardado por mim com Lulu Santos, que cantou sozinho As curvas da estrada de Santos (com direito a solo de gaita do próprio Lulu) e em dueto com o rei em Como uma onda. O tremendão Erasmo Carlos também surgiu e reviveu com o rei Meus amores da televisão, além de cantar sozinho a canção tema de abertura da novela das 7 Além do horizonte. Tim Maia também foi homenageado com a presença de Tiago Abravanel que cantou Não quero dinheiro, caracterizado de Tim e um dueto com Roberto em Negro gato.

Roberto Carlos e Lulu Santos
No mais, o mesmo Roberto Carlos e o mesmo começo com Emoções, terminando com Jesus Cristo, passando por Como vai você e Outra vez (com um novo arranjo e interpretação que emocionou), revivendo o sucesso do ano passado Esse cara sou eu, dedicando a seus fãs a canção Como é grande o meu amor por você, resgatando a belíssima canção Cartas de amor que estará na trilha da próxima novela das oito Em família. Alguns textos poéticos abrilhantaram a noite, sobretudo Todas as cartas de amor são ridículas, de Fernando Pessoa. Seus antigos hits em remix foram apresentados por Grandes DJ´s e um medley que envolveu as canções Fera ferida, O portão, É proibido fumar e É preciso saber viver. Um cenário luxuoso, a mesma orquestra afinada, a mesma roupa branca, com uma sutil gravata vermelha, um brinde com champagne e com o clássico italiano de mesmo nome, depois das felicitações e de um prêmio simbólico levado por Fátima Bernardes que apresentou um clipe com imagens de vários especiais durante esses 40 anos de especiais que, como este, também reviveu as mesmas emoções renovadas de um programa raro em nossa telinha, sobretudo por tanto tempo no ar! Pensei que seria até mais enfadonho, por parecer repetitivo, mas gostei do programa que deixa um ar de que, se quiser, Roberto pode sempre inovar e fazer coisas que emociona seus fãs fiéis!

Um forte abraço a todos!

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Feliz Natal 2013!!!

E nessa postagem desejo um Feliz Natal a todos os amigos, sobretudo os leitores deste espaço dedicado à música brasileira. Não serei muito original, pois a festa em si é tradicional e as palavras acabam soando repetitivas. Também não posso ousar deixar alguma canção, pois um país multicultural como o Brasil oferece os mais variados gostos e estilos musicais.

Sem falar que esse ano, embora tivemos bons lançamentos, alguns comentados por aqui, não vejo um que possa dizer este é o que pode ou deve ser ouvido nesta noite. E isso também tem um lado bom, pois como cada um tem seu gosto musical, também tem sua escolha para esta noite, portanto a trilha sonora é vasta, pois temos sempre um bom CD a ouvir.

Que o exemplo do Menino Jesus, que se fez humilde numa noite inesquecível para todos nós possa nos levar a refletirmos sobre seu amor que deve aflorar em todos os dias que virão, fazendo deles eternos natais! Que todos tenham hoje uma boa noite, com muito amor, reflexão e paz em todos os corações!

Feliz Natal a todos!

domingo, 22 de dezembro de 2013

♫Bate o sino♫

Esse é talvez o maior clássico de Natal que existe. Desde pequeno que o conheço, dos livros da escola, dos discos de Natal instrumental ou não, em todo repertório que se deseja expor os clássicos natalinos, essa canção não falta. E talvez por ter um tom inexplicável de pureza, atraia tantas crianças, essa versão de Jingle Bells, conhecida no mundo inteiro.

Sua letra apresenta elementos típicos da Noite de Natal: o sino, a capela, a paz, o milagre, o amor de Deus, os presentes, a humildade, o romantismo que antigamente existia também nessa noite, o verdadeiro sentido de uma noite mágica e revivida sempre com o mesmo sentimento e espírito fraterno que deveríamos ter todos os dias!

Bate o sino (Jingle Bells)
(Domínio público, Evaldo Ruy)

Bate o sino pequenino, sino de Belém
Já nasceu Deus Menino para o nosso bem
Paz na Terra pede o sino alegre a cantar
Abençoe Deus Menino este nosso lar

Hoje a noite é bela, juntos eu e ela
Vamos à capela, felizes a rezar
Ao soar o sino, sino pequenino
Vai o Deus menino, nos abençoar.

Um forte abraço a todos!

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

CD Ivan Lins - Um novo tempo

Desde as primeiras postagens que fizemos sobre temas natalinos, este projeto é citado como uma referência deste tema em nossas terras, com suas belas canções. Lançado em 1999, Um novo tempo foi o CD natalino de Ivan Lins que buscou fugir do óbvio ao mexer com esse tema e propor um Natal autenticamente brasileiro, destacando nossa maneira de vivenciar esta festa.

É claro que clássicos estão lá como Noite Feliz, Bate o sino e também os clássicos nacionais Boas festas e Natal das crianças. Duetos com Jose Feliciano na canção carro-chefe Um feliz Natal e com Simone em Um Natal brasileiro. Mas, Ivan refez a letra de Adeste Fideles e também compôs com alguns parceiros as canções Festas, Noite pra festejar, além de resgatar Um novo tempo em medley com a clássica Fim de ano.

Também de novos compositores, gravou Ô de casa e Papai Noel de camiseta, além de resgatar Véspera de Natal, de Adoniran Barbosa. A canção Então é Natal, clássico de Lennon, ficou de fora da reedição deste projeto que aconteceu em 2012. Um ótimo trabalho, com a marca de nosso grande músico e uma tentativa de abrasileirar essa festa tão maravilhosa!

Um forte abraço a todos!

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Programas especiais de fim de ano

Lá se foi o tempo em que as programações de fim de ano empolgavam e, hoje em dia, mesmo com o acesso a tantos canais abertos e fechados, internet e tantas formas de comunicação, ficar diante da telinha no mês de dezembro já não tem tanta atratividade quanto antes. Não sei se isso acontece pelo desgaste de algumas atrações ou pela pobreza de ofertas que dispomos.

Mas, há uns 20 anos atrás ou até menos, todos estávamos ansiosos para descobrir a programação de fim de ano das emissoras e, olhe que nessa época só tínhamos TV aberta. Talvez naquela época possuíamos mais gênios na televisão e a criatividade era um toque a mais em nossa árvore. Em termos de musicais, temos pouquíssimas opções, a exemplo do tradicional especial de Roberto Carlos, que este ano completa 40 anos na Globo.

Mas, os musicais encontravam mais espaços na TV e outros artistas ofereciam seus especiais, com seus convidados e seus repertórios. Atualmente, um ou outro programa musical é exibido, um show na virada do ano com artistas que se destacaram no decorrer do ano e programas que já não garantem mais a atratividade de outrora e habitam o fim de ano que já não nos prende às telinhas, sem nenhuma raridade ou criatividade!

Um forte abraço a todos!

domingo, 15 de dezembro de 2013

♫Um sino feliz♫

Os sinos também são belíssimos símbolos revividos nesta época, pois retratam o som de chamada das Igrejas para apreciarmos a festa do nascimento divino. Gosto muito desta canção, seja em seu original inglês, ou também em sua versão em português feita pelo Cláudio Rabello para o CD Em família, temático de Natal que Chitãozinho e Xororó lançaram em 1997.

Com a participação de Sandy e Júnior, essa faixa mostra mesmo um projeto em família e uma belíssima interpretação, com pitadas country para este que é mais um clássico mágico deste tempo, delicioso de ser revivido, em sua levada e letra que enaltece a alegria e o som deste momento!

Um sino feliz  (Jingle bells rock)
Joe Beal, Jim Boothe e Cláudio Rabello

Bate o sino, pequenino ao som do rock
"Vem e me toque", é o sino quem diz
Não há neve aqui como em nova iorque
Bate o sino nessa noite feliz

"Bate o sino, pequenino" era a canção
Que o papai cantava com seu irmão
Olhando as estrelas piscando no céu
Atrás do papai noel

Já faz tempo e ainda lembro
Dos sonhos que sonhei
Cantem hinos, batam sinos
Feliz Natal então pra todos vocês

Bate o sino, pequenino com novo toque
Bate ao som do rock
Cante e dance e depois peça bis
Bate um sino feliz!

Um forte abraço a todos!

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Olhando as estrelas - 41

E hoje é mais um dia de aniversário de Gonzaga, pois se estivesse vivo, faria 101 anos e sempre lembraremos deste que foi, além de um rei para os nordestinos, um dos maiores artistas que este país já conheceu. E pra quem pensa que ele apenas navegou pelas praias nordestinas, a série Olhando as estrelas traz hoje um inusitado encontro: o rei do baião e o rei da voz do rádio, Nelson Gonçalves.

Nelson sempre gostou de grandes duetos e gravou vários e memoráveis encontros. Este é um dos mais inusitados, onde dividiu com o rei do baião a faixa Asa branca, do repertório de Gonzaga e um clássico nacional. Não podemos dizer que temos aqui a melhor leitura dessa canção, mas ao menos, a mais inusitada forma de apresentá-la.

Poucos imaginariam que um boêmio e romântico como Nelson, se atrevesse a gravar algo dessa natureza que foge ao seu estilo, mas isso sempre foi uma característica dos nossos grandes astros, como Gonzaga que se uniu nesse dueto a um de seus grandes companheiros de início de gravadora, como dialogam ao final da canção!

Um forte abraço a todos!

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

CD e DVD Milton Nascimento Uma travessia - 50 anos de carreira

Uma ótima pedida para este Natal é o CD duplo e o o DVD Uma travessia - 50 anos de carreira, do Milton Nascimento, lançado este ano, com o qual comemora 50 anos de carreira, passando a limpo grandes clássicos que fizeram sua trajetória e a história da música brasileira, além de parcerias com seus inesquecíveis companheiros, desde o Clube da esquina. Sempre desejei um projeto assim do Milton e creio que aqui ele conseguiu reunir o que eu desejava, em termos de repertório.

Pois estão presentes os clássicos Cais, Amor de índio, Morro velho, Maria Maria, Clube da esquina nº 2, Nos bailes da vida, Para Lennon e McCartney, Canção da América, Coração de estudante e Travessia, todas imprescindíveis, a meu ver, talvez por serem minhas preferidas e por si só, já valeriam qualquer trabalho. Mas, ainda temos Vera Cruz, Canção do sal, Lília, Anima, Lágrimas do sul, Raça, Sofro calado e Canções e momentos.

Lô Borges é o grande convidado e com ele, Bituca divide os vocais em Clube da esquina nº 2, Nada será como antes, Para Lennon e McCartney, além de solar no palco suas canções Nuvem cigana, O trem azul e Um girassol da cor do seu cabelo. Wagner Tiso aparece com seu piano na faixa Coração de estudante, da qual também é compositor. Com arranjos do próprio Milton, temos aqui um excelente trabalho que retrata 50 anos de história de um dos maiores mestres da nossa música de todos os tempos!

Um forte abraço a todos!

domingo, 8 de dezembro de 2013

Blog Música do Brasil - 6º aniversário

E o Blog Música do Brasil sopra suas seis velas amanhã, feliz por continuar ativo e tratando desse tema tão fascinante que é a nossa música, a meu ver, a melhor do mundo, embora estejamos já a um bom tempo com poucas e agradáveis novidades em nosso cenário musical. Sabemos que temos grandes nomes que precisam de oportunidades e conseguirem seu devido espaço, e sabemos que os consagrados artistas já não produzem com tanta inspiração e de forma constante como antes.

Um blog parece ser algo já meio antiquado diante de outras redes sociais, entretanto esse espaço continua por aqui, e outras fontes que são mais procuradas entram como nossas aliadas na divulgação, como é o caso do Twitter e do Facebook onde divulgo esse meu modesto trabalho e contabilizo suas curtidas, sempre com sutis mudanças e postagens e a mesma vontade de contribuir com os artistas e suas obras, nessas poucas palavras que os dedico! 

Pra vocês, esse bolo musical virtual e o desejo de que nossa música se renove e sempre haja espaço no passado, presente e futuro para que mais alguém possa falar, tocar e promover essa paixão que temos. Vocês, os leitores, e eu o escritor desse modesto espaço compartilhamos nossa alegria não por existir o Blog Música do Brasil e este completar seis anos, mas por termos uma mesma paixão em comum que nos junta nesse momento a esse e outros textos musicais! Muito obrigado a todos e um brinde à música brasileira!

Um forte abraço a todos!

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Os Intérpretes do Brasil - 32

Ângela Maria é intérprete por excelência. Mais que justa sua participação nessa série, pois está naquele patamar de difícil escolha por tantas canções tão bem lapidadas em sua voz. Basta ouvir sua homenagem à Dalva de Oliveira e a canção Que será, em um dueto belíssimo com Fagner. Eis uma grande canção, imortalizada pela Dalva, mas que Ângela a reviveu tão bem, mostrando sua eterna admiração.

Babalu é daquelas canções que muitos ouviram e, quando não se tinha a cultura de associar a canção ao seu devido compositor, todos devem ter achado que se tratava de uma canção da Ângela. Essa sim é imortal em sua voz, embora tenhamos outras regravações, como a de Ney Matogrosso que, também a cantou junto com a "sapoti" no CD Amigos.

Também considero marcante Lábios de mel, que também consta no CD amigos e como um dueto com Fagner. Considero outra marca da sapoti que sabe deixar bem seu toque em outras canções que poderiam ser citadas como Desabafo, Vida de bailarina, Gente humilde, Falhaste coração, Escuta, Kalu, etc. Vida longa à sapoti!

Um forte abraço a todos!

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Amigos para sempre...

O Brasil sempre apreciou os grandes tenores do mundo e eles sempre figuraram em nossas terras. Exemplo disso foram os grandes shows que Pavarotti ou Boccelli fizeram em nossas terras, sempre bem sucedidos. E uma das grandes lendas desse estilo é José Carreras, natural de Barcelona, na Espanha e que atende pelo nome de Josep Carreras i Coll.

Juntamente a Plácido Domingos e Luciano Pavarotti integra os chamados Três tenores, que realizaram grandes concertos juntos e são responsáveis pela popularização e também pelo CD mais vendido desse estilo. Aqui no Brasil, Carreras aprecia a música erudida, pouco conhecida entre nosso povo e também é sucesso em suas apresentações solo.

Entre os sucessos em sua voz, destacamos Amigos para siempre, Nessun dorma, La donna é mobile, Memory, Amore perduto, Granada, entre tantas óperas e árias que sua voz teve o privilégio de emitir e nossos ouvidos tiveram a graça de poder desfrutar e não apenas o público brasileiro, mas todo o mundo!

Um forte abraço a todos!

domingo, 1 de dezembro de 2013

♫Um feliz Natal♫

Presente no CD de Natal de Ivan Lins, que falaremos em breve, Um feliz natal abre as comemorações natalinas de 2013, pois como de costume, dezembro é tempo de comentarmos sobre essas canções que marcam nossas datas tradicionalmente a cada ano.

Composta por José Feliciano, que também participa da gravação de Ivan, que fez a versão em português, a letra de Um feliz Natal é apresentada com trechos em português, espanhol e inglês, num desejo coletivo de boas festividades a todas as nações que, embora convivam com suas diferenças, possuem festas como esta que as une. Elemento típico do Natal, a união, exaltada na letra!

Um feliz Natal
(José Feliciano e Ivan Lins)

Um feliz Natal, um feliz Natal
E que Deus lhe guarde próspero ano e felicidade

Por um Natal luz de um tempo novo,
por um Natal justo e amoroso
Por um Natal lindo pro meu povo
É o que quer meu coração

Feliz Navidad,  feliz Navidad feliz Navidad
próspero anõ y felicidad

I wanna wish you a Merry Christmas,
I wanna wish you a Merry Christmas,
I wanna wish you a Merry Christmas,
from the bottom of my heart!

Um forte abraço a todos!

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Olhando as estrelas - 40

No Maracanã, em 2009.
Não dá pra falar da vida de Roberto Carlos, sem citar sua amiga Wanderléa. Da mesma forma, não dá pra contar a vida da Ternurinha, sem citar ao menos uma vez, o rei! Até namorados já foram no passado. Mas, a amizade e a vida artística de ambos se cruzaram no decorrer de suas carreiras desde o início, quando apresentaram o programa Jovem Guarda e se tornaram figuras imprescindíveis, quando se quer contar essa passagem musical de nosso país.

Mas, a Jovem Guarda não é o limite dessa amizade que passa por filme juntos, O diamante cor-de-rosa, canções compostas para ela gravar, entre elas Você vai ser o meu escândalo e Na hora da raiva e especiais de TV, pois Wandeca é a cantora que mais participou do Roberto Carlos especial nesses 40 anos: 1975, 1978, 1981, 1985, 1990, 1993, 1995, 2004, 2006, além do show do rei no Maracanã, em 2009 e também do elas cantam Roberto, em 2011.

Década de 60.
Infelizmente nunca gravaram juntos em discos oficiais um do outro. Gravaram uma versão de É preciso saber viver, em trio com Erasmo para o filme e também um dueto que figura no projeto de 2006 do rei, onde apresenta alguns de seus encontros nos especiais, com a canção Ternura, que ambos já haviam gravados em seus discos com suas respectivas versões. Mas, percebe-se que a amizade entre os dois é ainda maior que seus encontros musicais e artísticos que sempre aconteceram e fizeram brilhar suas estrelas!

Um forte abraço a todos!

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Os Músicos do Brasil - 47

Produtor, pianista, regente, compositor, são muitas atribuições nesse riquíssimo currículo do maestro Nelson Ayres, ou Nelson Luís Ayres de Almeida Freitas. Natural de São Paulo/SP, iniciou sua carreira ainda nos anos 60, como pianista em vários grupos e conjuntos. Mais tarde, lança alguns discos, com sua própria banda.

Em seu currículo já passaram nomes como Astrud Gilberto, Milton Nascimento, Chico Buarque, Simone, Dori Caymmi, Nana Caymmi, Francis Hime, Mônica Salmaso, Renato Braz, entre outros. Além de projetos pessoais que envolvem seus lançamentos e seus shows país afora, com sua banda.

Pra quem ainda crer que não temos bons músicos, eis um grande nome que continua atuando e enriquecendo a nossa música com sua arte, mesmo que desconhecida por muitos, mas apreciada por tantos outros!

Um forte abraço a todos! 

domingo, 24 de novembro de 2013

♫Copacabana♫

Não são apenas as cidades que são cantadas por nossos intérpretes, mas também ruas, bairros, avenidas, lugares desse nosso belíssimo país. Um verdadeiro clássico da nossa música, já interpretado por grandes nomes que vão de Gal Costa a Emílio Santiago, Nana Caymmi a Tom Jobim, Dick Farney a Gilberto Gil, enfim, todos os nomes que desejam destacar essa praia do Rio de Janeiro.

Braguinha, nosso João de Barro, com certeza tornou-se inesquecível, por entre outras coisas, conseguir descrever em poucas palavras uma das paisagens mais bonitas e que dificilmente algum turista que visita o Rio deixa de conhecer e, claro, com aquela poesia típica de canções compostas em sua época!

Copacabana
(João de Barro e Alberto Ribeiro)

Existem praias tão lindas cheias de luz
Nenhuma tem o encanto que tu possuis
Tuas areias, teu céu tão lindo
Tuas sereias sempre sorrindo

Copacabana princezinha do mar
Pelas manhãs tu és a vida a cantar
E á tardinha o sol poente
Deixa sempre uma saudade na gente

Copacabana o mar eterno cantor
Ao te beijar ficou perdido de amor
E hoje vive a murmurar só a ti
Copacabana eu hei-de amar

Um forte abraço a todos!

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

CD Vanessa da Mata canta Tom Jobim

Um dos melhores, se não, o melhor trabalho lançado neste ano, fruto de projeto onde Vanessa da Mata deixa de lado seu repertório e aceita o desafio de cantar clássicos de Tom Jobim. Quem escuta o CD de início, pode estranhar, porque tais clássicos são muito presentes em nossa mente da forma original como foram gravados e imortalizados por seus intérpretes.

Mas, Vanessa foi muito profissional e os gravou bem a seu estilo. Isso mesmo, você escuta as canções de Tom bem ao estilo jovial e brasileiro de Vanessa interpretar. E com a participação de Eumir Deodato, músico que trabalhou com Tom Jobim, o resultado é esse bem sucedido projeto, que emocionou vários locais por onde Vanessa se apresentou durante este ano no projeto que deu origem ao CD e que poderia vir com um DVD também, quem sabe com os bastidores e trechos dos shows registrados.

E o repertório do CD passa por Caminhos cruzados, Fotografia, Só danço samba, Este seu olhar, Chovendo na roseira, Por causa de você, Eu sei que vou te amar, Desafinado, Sabiá, Dindi, Wave, Só tinha de ser com você, Falando de amor, Samba de uma nota só, Correnteza e Estrada do sol. Desafio cumprido e um ótimo projeto onde ela apresenta canções tão marcantes da nossa vida, sob sua ótica que não representa melhoras ou pioras em suas versões originais, mas as tornam mais joviais!

Um forte abraço a todos!

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Os compositores do Brasil - 74

Recentemente partiu para o andar de cima Paulo Tapajós Gomes Filho ou simplesmente Paulinho Tapajós, compositor renomado de nossa música, natural do Rio de Janeiro/RJ e autor de algumas canções inesquecíveis como Sapato velho, Andança, Irmãos coragem, No tempo dos quintais, Cantiga por Luciana, Saudade demais, Lá vem ela, Tá na hora, Frevo da saudade, Em qual estrada, entre tantas.

Em seu currículo estão artistas que gravaram suas canções como Roupa Nova, Beth Carvalho, Fagner, Milton Nascimento, Jair Rodrigues, Maysa e outros que foram produzidos por ele como Ivan Lins, Toquinho, Vinícius de Moraes, Nara Leão, Carlos Lyra, Jorge Benjor, Gilberto Gil, além de algumas trilhas de filmes de Os trapalhões.

Um compositor como esse será lembrado por sua contribuição musical, por suas parcerias, por suas produções, atuações nos bastidores da melhor música do mundo, a brasileira que, reconhece, embora de forma tímida, nomes como o dele em suas belíssimas criações!

Um forte abraço a todos!

domingo, 17 de novembro de 2013

♫Frisson♫

Essa canção já foi gravada por vários nomes e dentre eles, três leituras diferentes, mas igualmente belas: Roupa Nova, Elba Ramalho e Ivete Sangalo já gravaram esse clássico dos anos 80. Particularmente, gosto bastante da versão da Elba, feita no projeto O grande encontro, no terceiro CD. Composta por Tunai e Sérgio Natureza, também foi sucesso na voz de Tunai, lá na década de 80 e tornou-se  imprescindível nos shows dele.

A letra de Frisson descreve a festa que o personagem sente por ter encontrado seu grande amor, felicidade de sentir a presença desse amor que era esperado e que agora é o momento dos dois seguirem juntos pra sempre, pela mesma estrada, vivenciando esse aguardado momento! Pra quem acredita num amor para sempre, trata-se de um grande clássico das canções de amor bem sucedidas.

Frisson
(Tunai e Sérgio Natureza)

Meu coração pulou
Você chegou, me deixou assim
Com os pés fora do chão
Pensei: Que bom
Parece, enfim, acordei

Pra renovar meu ser
Faltava mesmo chegar você
Assim, sem me avisar
Pra acelerar um coração

Que já bate pouco
De tanto procurar por outro
Anda cansado
Mas quando você está do lado
Fica louco de satisfação
Solidão nunca mais

Você caiu do céu
Um anjo lindo que apareceu
Com olhos de cristal, me enfeitiçou
Eu nunca vi nada igual

De repente
Você surgiu na minha frente
Luz cintilante
Estrela em forma de gente
Invasora do planeta amor
Você me conquistou

Me olha, me toca
Me faz sentir
Que é hora, agora
Da gente ir

Um forte abraço a todos!

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

CD Ivete Sangalo As nossas canções

Gosto da Ivete Sangalo, intérprete de músicas românticas, pois a considero uma excelente cantora desse estilo. Acho que se Ivete gravasse só músicas desse gênero, seria das melhores. Mas, o mercado e, principalmente ela sabem que não dá pra se prender apenas a esse estilo. Vez por outra, lança uma coletânea onde aglutina seus sucessos desse gênero.

É o caso de seu mais recente lançamento, a coletânea As nossas canções, que junta grandes canções românticas, ausentes em outra coletânea lançada há mais ou menos uns dez anos atrás: Se eu não te amasse tanto assim, que em breve abordaremos. É como se uma completasse a outra e satisfizessem ouvintes como eu que adora vê-la navegar nesse estilo. Puxada pela canção que faz parte da novela Amor à vida, O amor em paz, outras belíssimas canções, algumas também temas de novelas, figuram nesse projeto.

São elas Não me compares (com Alejandro Sanz), Pensando em nós dois (com Seu Jorge), Eu nunca amei alguém como eu te amei, No brilho desse olhar, Deixo, Quando a chuva passar, Agora já sei, Me levem embora, Coleção (ao vivo), Teus olhos (com Marcelo Camelo), Easy, Retratos e canções e Eu sei que vou te amar, além de Atrás da porta e O meu amor (que fizeram parte do projeto com Gilberto Gil e Caetano Veloso). Senti falta de uma belíssima canção romântica dela, somente eu e você, que não figura em nenhuma das duas coletâneas que citei, mas esta não deixa de ser uma ótima pedida para os românticos de plantão!

Um forte abraço a todos!

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Novelas ou filmes com nomes de canções

Recentemente li uma reportagem que achei bem interessante e quis reproduzir a curiosidade que ela abordava aqui no Blog. É que são várias as novelas ou filmes que se valem dos títulos ou trechos de canções para emplacarem seus enredos que duram algumas horas, nos casos dos filmes ou alguns meses, nos casos das novelas.

No caso das novelas, sobretudo globais, temos a atual Além do horizonte e outras como Coração de estudante, Começar de novo, Como uma onda, Beleza pura, Cheias de charme, Pecado capital, Irmãos coragem, Pai herói, Da cor do pecado, Fera ferida, Insensato coração, etc. Mas, o contrário também acontece, pois algumas canções são encomendadas mediante a apresentação do título da próxima obra que surgirá. Anos dourados, por exemplo, foi um caso clássico em que Tom fez a música e Chico não conseguiu fazer a letra a tempo para a estreia e exibição da série.

Mas, nem sempre as canções são temas da abertura ou figuram na trilha sonora daquela novela, como muitos esperam. No caso dos filmes, temos também as mesmas curiosidades como por exemplo O menino da porteira, À beira do caminho, A ostra e o vento, Faroeste caboclo, Bete balanço, Bye bye Brasil, etc. Isso só pra citar algumas coincidências ou parcerias entre a música brasileira e as telenovelas e/ou o cinema nacional!

Um forte abraço a todos!

domingo, 10 de novembro de 2013

♫Um amor puro♫

Vez por outra Djavan aflora seu romantismo como poucos sabem fazer dentro da nossa música. E quando associa a isso suas melodias, harmonias é o que se pode chamar de uma das mais perfeitas artes que a música brasileira possui. Essa canção foi uma das inéditas do CD ao vivo duplo de 1999 e tornou-se uma das mais românticas de seu repertório.

A letra de Um amor puro traz aquelas grandes declarações de amor bem sucedidas que arrebata qualquer coração a sonhar com um amor dessa natureza, puro e verdadeiro, em tempos em que as pessoas já não sabem o que é amar de verdade, banalizando esse sentimento a saciedades particulares de seus egos. Para quem acredita que amor assim existe, eis um grande clássico:

Um amor puro
(Djavan)

O que há dentro do meu coração
Eu tenho guardado pra te dar
E todas as horas que o tempo
Tem pra me conceder
São tuas até morrer

E a tua história, eu não sei
Mas me diga só o que for bom
Um amor tão puro que ainda nem sabe
A força que tem
é teu e de mais ninguém

Te adoro em tudo, tudo, tudo
Quero mais que tudo, tudo, tudo
Te amar sem limites
Viver uma grande história

Aqui ou noutro lugar
Que pode ser feio ou bonito
Se nós estivermos juntos
Haverá um céu azul

Um amor puro
Não sabe a força que tem
Meu amor eu juro
Ser teu e de mais ninguém

Um forte abraço a todos!

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Os Intérpretes do Brasil - 31

Atualmente o Brasil pode ser considerado o país das grandes intérpretes. Isso parece ser algo cíclico, pois já foi dos grandes intérpretes masculinos. Daniela Mercury faz parte desse grupo atual e é a homenageada dessa série em que destacamos três grandes interpretações desses astros que geralmente não compõem, mas se dedicam à lapidação de uma grande obra, a tornando imortal!

Considero ela a melhor intérprete de Chico César e para justificar isso basta observar a canção À primeira vista, ou a meu ver, a mais linda, Pensar em você, ambas do compositor paraibano. Sei que Daniela apresenta um repertório essencialmente voltado para o axé, mas destaco suas interpretações mais fantásticas aquelas em que navega pelo romantismo e mais perto de seu estilo está Mutante, de Rita Lee.

Em terras de axé, Daniela também não fica pra trás, ao contrário, é nesse estilo próprio que consegue imortalizar a canção Você não entende nada, de Caetano Veloso, mas que, a meu ver, ficou definitiva em sua interpretação, lá no início de sua carreira. Outras interpretações figuram de forma lamentáveis por não serem citadas, mas isso só reforça o caráter de grande intérprete que esta artista possui, o que justifica essa postagem e singela homenagem!

Um forte abraço a todos!

terça-feira, 5 de novembro de 2013

A polêmica sobre as biografias não autorizadas

De forma modesta, gostaria de expor minha opinião sobre esse tema tão comentado atualmente, focando nas biografias dos músicos brasileiros que sempre foram temas de minhas postagens. Vejo uma discussão necessária e que merecia aprofundamento: a liberdade de expressão, defendida a ferro e fogo pela imprensa brasileira e, o direito à privacidade, defendido por um grupo de artistas. Dois valores máximos, gigantes e que devem ser discutidos com muita maturidade, muita propriedade num país que deseja ser cada vez mais democrático.

Mas, o que temos visto é uma troca de farpas e muitas vezes, ofensas pessoais que nivelam o debate por baixo. Jornalistas acusando artistas de censores, procurando desqualificá-los, quando estes se colocam no lado oposto do debate e aquela máxima que diz que o direito de um acaba onde começa o do outro parece ter sido esquecido. Não vejo um debate entre inteligentes e burros, censores e pobres censurados, artistas ricos e jornalistas que querem pegar carona nessa riqueza. Ambos tem sua parcela de acertos ao acender essa polêmica que pode amadurecer pensamentos, ao invés de empobrecê-los com ofensas gratuitas.

Como fã, gosto das biografias e pouco me interessa saber se foi ou não autorizada. O fã quer saber tudo sobre o artista. Muitas vezes sua vida pessoal também o interessa e isso não é nada surpreendente num país onde os reality shows são campeões de audiência. O biógrafo defende que o artista é apenas seu objeto de estudo histórico e não pode perder seu trabalho, nem dissociar o lado pessoal do profissional, pois não realizará um trabalho pela metade, enfatizando também que não é legal que haja cortes no que faz. O biografado não quer ver passagens de sua vida particular sendo devassada e, mesmo que a imprensa já tenha feito isso, não deseja a repetição, nem a perpetuação de tais passagens em uma obra, defendendo que só ele mesmo saberia se autobiografar, contando aquilo que julgar necessário. Ainda tem o lado financeiro que não pode ser visto de forma inferior, pois seria uma ingenuidade de ambas as partes.

Tomando partido de cada um dos lados, vemos que ambos tem suas máximas. Algumas figuras precisam entrar para a história de forma plena, muito embora quando observamos alguns personagens históricos, pouco interessa saber sua vida pessoal, a meu ver. Há trechos de nossas vidas que não queríamos que fossem expostas ou revividas e será que sou um psicopata por pensar assim? Biografia é sim um tema delicado e precisa da participação de todos os envolvidos e não pode ser visto como um regresso à censura. E parece que a própria imprensa anda censurando o que defende o grupo de artista que pensa contrário a ela. Será que o preço da fama é a perca total da privacidade? Creio que precisamos amadurecer bem esse tema, sem baixar o nível, até porque o país tem outros temas mais graves que este, pelos quais não vejo nem imprensa, nem artistas muito empenhados em resolvê-los!

Um forte abraço a todos!

domingo, 3 de novembro de 2013

♫Um segredo e um amor♫

Gosto muito das canções do Jorge Vercillo e, nas poucas vezes que interpretou outras canções, apresentou seu lado intérprete de maneira bastante interessante. Depois foi a vez de Sandy interpretar essa canção, lançando mão de um fox, o que a deixou ainda mais charmosa, a canção, a meu ver.

Em uma letra formada por três estrofes, Um segredo e um amor traz aquele clima de mistério que muitas relações amorosas apresentam. Talvez um pouco de impaciência, uma vontade enorme de gritar esse segredo se confronte com a ideia de que os sonhos não mais existiriam se o segredo sumisse e por isso mesmo é interessante apreciar e conservar sua existência!

Um segredo e um amor (Secret love)
(Paul Francis Webster, Sammy Fain e Dudu Falcão)

Um segredo e um amor
O que será maior em mim
O segredo desse amor
Não pode mais viver assim

Se eu pudesse revelar
Os versos que eu te dediquei
Se eu pudesse te contar
Os sonhos todos que sonhei

Se eu gritasse para o mundo ouvir
Até onde a voz pudesse ir
Eu não seria um sonhador
E nem mais um segredo, meu amor!

Um forte abraço a todos!

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Olhando as estrelas - 39

A série Olhando as estrelas traz hoje dois astros da década de 60, que apresentaram o programa O fino da bossa juntos e atuaram em vários momentos, na TV Record, em seus programas e em programas de colegas. Conhecidos como A pimentinha e o Cachorrão, estamos falando de Elis Regina e Jair Rodrigues.

Até hoje, Elis foi e sempre será a maior saudade artística de Jair, que sempre presta homenagens à sua eterna colega, cantando algum de seus sucessos, desde a época em que atuaram juntos, também no filme Dois na bossa. Seria interessante pensar na ideia de um disco só com músicas dela, cantada por ele.

Na década de 70, cada um seguiu sua carreira, o que provocou uma natural distância entre eles, pois suas carreiras sempre foram intensas e com agendas lotadas de shows. Acredito que se fosse possível, teriam gravado um disco ou shows juntos e é lamentável não termos arquivos da época em que apareciam em seus programas e também em festivais, onde as estrelas se encontravam!

Um forte abraço a todos!

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Os Músicos do Brasil - 46

Ele é um dos maiores da nossa história musical e um dos melhores do mundo. Radamés Gnatalli é natural de Porto Alegre/RS e foi compositor, arranjador e pianista. Começou no piano ainda cedo e isso tem sido uma característica dos grandes músicos, essa ligação com a música desde a infância. Dizer que tornou-se um dos maiores do mundo não é exagero, pois seu currículo não caberia em uma simples postagem.

Só pra se ter uma ideia, foi arranjador da Rádio Nacional e trabalhou em clássicas gravações como Carinhoso, Rosa e Jardineira na voz de Orlando Silva, Aquarela do Brasil com Francisco Alves e Copacabana com Dick Farney. Outros nomes que passaram em seu currículo são Tom Jobim, Doryval Caymmi, Ângela Maria, Cauby Peixoto, Dalva de Oliveira, João Bosco, entre tantos.

Radamés nos deixou em 1988, cravando na música nacional seu nome como uma referência para os principais músicos contemporâneos, sobretudo por ter feito parte do que de melhor ocorreu na música brasileira nos últimos tempos, participando direta ou indiretamente de cada acontecimento, sempre influenciando com sua arte!

Um forte abraço a todos!

domingo, 27 de outubro de 2013

♫Samba de uma nota só♫

Tom Jobim juntou a seu lado romântico, toda bagagem de teoria musical que possuía para tentar criar um clássico e foi bem sucedido, pois o resultado é esse: Samba de uma nota só que, para quem conhece, ficou apenas na ideia de que é apenas uma nota, porque muitas são  as notas dissonantes que compõem a harmonia desse clássico.

A letra traz uma tentativa, como já dizemos, mais que bem sucedida, de demonstrar que em uma nota apenas todo o amor seria exposto. Eu diria até que é uma canção que explora a fidelidade que deve haver entre um casal apaixonado, pois como Tom e Newton expõem, quem quer todas as notas, acaba numa nota só, nessa canção também presente no projeto recente de Vanessa da Mata!

Samba de uma nota só
(Tom Jobim e Newton Mendonça)

Eis aqui este sambinha feito numa nota só.
Outras notas vão entrar, mas a base é uma só
Esta outra é conseqüência do que acabo de dizer.
Como eu sou a conseqüência inevitável de você.

Quanta gente existe por aí que fala tanto e não diz nada,
Ou quase nada.
Já me utilizei de toda a escala e no final não sobrou nada,
Não deu em nada.

E voltei pra minha nota como eu volto pra você.
Vou contar com uma nota como eu gosto de você
E quem quer todas as notas: ré, mi, fá, sol, lá, si, dó
Fica sempre sem nenhuma, fique numa nota só

Um forte abraço a todos!

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

CD Simone sou eu

Em 1993, Simone comemorou 20 anos de carreira com esse CD onde apresentava grandes clássicos da música brasileira em sua interpretação ímpar! E o que dizer de um trabalho que reuniu a grande "cigarra", interpretando canções de grandes nomes como Roberto, Erasmo, Djavan, Caetano, Vinícius, Milton, Chico, Pixinguinha, Isolda, Herbert e Sueli, entre outros?

Pois é, nesse trabalho encontramos Sangrando, Amor de índio, Ela e eu, Outra vez, Iolanda, Mar e lua, Meu bem querer, Alma, Carinhoso, Onde anda você, Jura secreta, À distância, Caçador de mim. Só por ai, já teríamos um excelente trabalho, mas continua com Canções e momentos, Sou eu, Raio de luz, Quase um segundo e Vendedor de sonhos.

Com o padrão de qualidade que poucos artistas tem como a Simone apresenta, um excelente CD que traz a cantora na capa, em uma foto ainda criança, mostrando que ainda tem muito a nos presentear com suas gravações, shows e lançamentos!

Um forte abraço a todos!

terça-feira, 22 de outubro de 2013

As cidades cantadas - 16

Voltando a esta série em que mesclamos a música com cidades conhecidas de nosso país, vamos hoje cantar não apenas uma cidade, mas uma ilha. Itamaracá é uma ilha de Pernambuco, localizada no litoral norte de nosso Estado. Nas décadas de 80 e 90 era destino certo de vários turistas e até hoje é um dos pontos mais bonitos de nosso litoral.

Reginaldo Rossi sempre cantou essa Ilha, demonstrando uma paixão imensurável por essa terra, como sempre tem cantado em seus shows. Pela beleza do local e por diversos pontos turísticos, Reginaldo define Itamaracá como paraíso. Confesso que já admirei mais a Ilha e torço pra que volte a ter uma administração que a devolva a vitrine turística que apresentava quando essa canção foi lançada!

Itamaracá
(Reginaldo Rossi)

Itamaracá é uma ilha encantada
Lugar mais bonito que eu vi
Itamaracá é um reino encantado
E todos são reis por aqui

Ilha de sonho, de luz e de cor
Pedra que canta o amor
Essa areia tão branca
Teu céu e o teu mar
Paraíso é Itamaracá

Um forte abraço a todos!

sábado, 19 de outubro de 2013

Vinícius de Moraes - 100 anos!!!

E hoje comemoramos 100 anos de vida de um dos maiores nomes da nossa literatura e música nacional: Vinícius de Moraes. Poderíamos ter uma única postagem só pra dizer que nomes como Roberto Carlos, Chico Buarque, Toquinho, Tom Jobim, Milton Nascimento, Caetano Veloso, Fagner, Maria Bethânia, Gal Costa, Adriana Calcanhoto, Nana Caymmi, Agnaldo Rayol, Simone, Ivete Sangalo, Nelson Gonçalves, João Gilberto, Fábio Jr., Ângela Maria, Julio Iglesias, Frank Sinatra e tantos outros já gravaram suas canções.

Outra postagem citaria verdadeiros clássicos como Eu sei que vou te amar, Garota de Ipanema, Aquarela, Samba da bênção, Onde anda você, Se todos fossem iguais a você, Rosa de Hiroshima, A felicidade, Pela luz dos olhos teus, Eu não existo sem você, Tarde em Itapoã, O amor em paz, Ela é carioca, Gente humilde, Samba de Orly, entre tantas e ainda assim, esqueceria essa ou aquela belíssima canção que fez parte de todos os brasileiros ou estrangeiros que apreciam a música brasileira de qualidade.

Onde ele estiver, deve saber que nós brasileiros somos agradecidos por tanta contribuição musical, uma poesia ímpar! Há cem anos atrás, no Brasil, nasceu um homem que foi responsável por algumas das páginas mais lindas da nossa música, um homem que também nos ensinou a saber amar, a prestarmos atenção a detalhes poéticos, românticos que só quem ama consegue captar, por isso, hoje é um dia de festa para o Brasil! Um brinde à música brasileira, um brinde a Vinícius!

Um forte abraço a todos!

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

CD Nelson Gonçalves Ainda é cedo

Em seu último trabalho, Nelson Gonçalves mostra porque foi sucesso e até hoje é a inesquecível voz que este país pode apresentar. Visitando compositores contemporâneos ao seu trabalho, deu uma rejuvenescida no seu repertório, mostrando aos jovens que ainda era cedo para ir embora. Um dos melhores CD´s de 1997, este trabalho foi puxado pela canção Faz parte do meu show, de Cazuza.

O projeto se inicia com Como uma onda, que traz seu criador Lulu Santos em uma participação especial no violão. Apesar da voz já não ser a mesma, considero versões belíssimas para canções como De mais ninguém, Meu erro, Você é linda, Bem que se quis, Caso sério, Nada por mim e Simples carinho, onde Nelson passeia com propriedade no repertório de Marisa Monte, Rita Lee, Paralamas do Sucesso, Caetano Veloso e Ângela Ro Rô!

Completam o trabalho a faixa-título e as canções Estácio Holly Estácio e Me chama. Considero este último trabalho do Nelson uma lição para todos nós de que sempre será cedo para acharmos que já demos o melhor de si! Ele se superou e mostrou que não carregava em si um artista preconceituoso, o que faz justiça a uma carreira inesquecível como foi a sua!

Um forte abraço a todos!

terça-feira, 15 de outubro de 2013

♫Uma pra mim, outra pra tu♫

E vamos comemorar o Dia dos Professores mais uma vez com uma canção de Luiz Gonzaga e dessa vez com um de seus últimos sucessos, parceria bem sucedida com João Silva. Uma canção que traz na letra aquela manha nordestina, a esperteza na hora de fazer contas de uma forma bem humorada, que gira em torno das supostas mulheres da festa, cantada na disputa da canção.

Luiz Gonzaga sempre foi um professor, não apenas na matemática ou no português! Um mestre na música, que influenciou vários artistas que vieram depois. Em cada um encontramos um pouco de Gonzaga, mesmo que este apresente um ritmo distante do autêntico forró. E encontrar um pouco de um mestre em cada aluno é algo de poucos bons professores como é o caso de  Luiz Gonzaga.

Uma pra mim, outra pra tu
(Luiz Gonzaga e João Silva)

Cumpadre sê tá vendo o que eu tô vendo.
Cumpadre olha quanto murundú.
Tem muié no salão de todo jeito.
Mas vamo repartir direito, uma pra mim outra pra tú

Cumpadre tú tará desconfiando.
Do compadre conterrâneo, fio do Véio Januário.
Não mas cumpadre, debaixo dos lençóis.
Só tem até venha a nós, nas contas do seu rosário.

Cumpadre fique quieto vai por mim.
Vamo lá que eu tô contando separando direitim

Uma pra mim, uma pra mim, uma pra tu, outra pra mim.
Uma pra mim, outra pra tu, uma pra mim, Outra pra mim...

Um forte abraço a todos!

domingo, 13 de outubro de 2013

Os compositores do Brasil - 73

Um dos grandes e reconhecidos compositores desse país chama-se Fausto Boreal Cardoso, mais conhecido como Fausto Fawcett. Natural do Rio de Janeiro/RJ, sua carreira deslancha nos anos 80, quando lançou seu primeiro trabalho, com o hit Kátia Flávia.

Posteriormente, passa a trabalhar com Fernanda Abreu, que passa a gravar algumas de suas canções e dividir algumas parcerias. Entre outros sucessos temos Rio 40 graus, Balada do amor inabalável, Garota sangue bom, O mal é contagioso, São Paulo SP, Supernova, etc.

Além de Fernanda, o grupo Skank também já gravou e dividiu algumas parcerias com Fausto que, também é escritor, autor teatral e jornalista. Como cantor, Fausto também lançou quatro discos em sua carreira, cantando alguns de seus sucessos.

Um forte abraço a todos!

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

CD Rita Lee Aqui, ali em qualquer lugar

Nossa rainha do rock nacional se rendeu a seus grandes ídolos e lançou em 2001 o CD Aqui, ali, em qualquer lugar em homenagem aos Beatles. Com versões em português e originalmente em inglês, Rita dá uma leitura diferenciada a estes clássicos, alguns mantidos no estilo Rock, outros em Bossa nova.

Puxado pelo hit Pra você eu digo sim, versão de If I fell, que também aparece em inglês, este trabalho traz ainda em português Minha vida (versão de In my life, que também aparece em inglês), Aqui ali em qualquer lugar (versão de Here, there and everywhere, que também aparece totalmente em inglês) e Tudo por amor (versão de Can´t buy me love, que só aparece em português).

Originalmente em inglês e com belíssimas versões com a marca da Rita, temos A hard day´s night, White a little help from my friends, All my loving, She loves you, Michelle, I want to hold your hand, Lucy in the sky whit diamonds. Um grande trabalho onde nossa diva revive os quatro rapazes de Liverpool e os apresenta a novas gerações, mesclando seus grandes sucessos com sua forma ímpar de interpretar as canções que marcam nossas vidas!

Um forte abraço a todos!

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Pequenina do meu amor...

Como falei recentemente, o Brasil sempre está de portas abertas para bons artistas estrangeiros que desejam colaborar com nossa cultura! São vários os nomes e uma das artistas mais populares chama-se Ermelinda Pedroso Rodrigues d´Almeida, que todos aqui conhecem simplesmente por Perla. 

Natural de Caacupe, no Paraguai, Perla tornou-se uma das mais populares em nossas terras, sobretudo por suas guarânias e pelo alcance vocal. Seu sucesso veio na década de 70, quando firmou residência em nossas terras e também fez várias versões para canções do grupo Abba. Entre seus sucessos temos Fernando, Pequenina, Recuerdos de Ypacaraí, Galopeira, Meu primeiro amor, Estrada do sol, Deus como te amo, Sonhos, Índia, etc.

Perla continua fazendo shows e se apresentando em alguns programas populares, talvez não com tanta frequência como nas décadas de 70 e 80, no auge de seu sucesso, mas sempre reencontrando seu público que a consagrou como uma das estrangeiras mais populares de nossa música!

Um forte abraço a todos!

domingo, 6 de outubro de 2013

♫Meu erro♫

Na vida, os erros são bastante comuns, pois refletem em nosso lado humano todas as limitações comuns a um ser. A repetição deles é que talvez não possa ser aceitável ou compreendida de forma natural e serena. Essa canção já foi gravada por grandes nomes da nossa música como Nelson Gonçalves e Zizi Possi, composta por Hebert Viana e imortalizada por sua banda Paralamas do sucesso.

Confesso que curto mais uma versão menos "acelerada" como é o caso da leitura feita pela Zizi. Na verdade, a versão perfeita pra mim é aquela apresentada no acústico da banda, onde dividiram os vocais com esta cantora! A letra é perfeita, destaca alguém que se esforçou ao máximo por uma relação, enquanto do outro lado, sempre foi ignorado, chegando aquele ponto indesejado de "agora é tarde". Incrível como ainda existem pessoas assim ou sempre existem pessoas desse tipo, que só percebem o erro quando perdem algo valioso. Isso é muito comum, o que deixa a canção sempre atual!

Meu erro
(Hebert Viana)

Eu quis dizer
Você não quis escutar
Agora não peça
Não me faça promessas

Eu não quero te ver
Nem quero acreditar
Que vai ser diferente
Que tudo mudou

Você diz não saber
O que houve de errado
E o meu erro foi crer
Que estar ao seu lado bastaria

Ah! Meu Deus!
Era tudo o que eu queria
Eu dizia o seu nome
Não me abandone

Mesmo querendo
Eu não vou me enganar
Eu conheço os seus passos
Eu vejo os seus erros

Não há nada de novo
Ainda somos iguais
Então não me chame
Não olhe pra trás

Você diz não saber
O que houve de errado
E o meu erro foi crer
Que estar ao seu lado bastaria

Ah! Meu Deus!
Era tudo o que eu queria
Eu dizia o seu nome
Não me abandone jamais

Um forte abraço a todos!

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Os Intérpretes do Brasil - 30

Não bastasse ser a grande compositora, cantora e violonista que é, Adriana Calcanhoto é também uma intérprete por excelência, merecedora de destaque em postagens como esta e também em qualquer outro lugar onde se exalte suas leituras de outros artistas, deixando seu toque pessoal e artístico.

É o caso da canção Mulher sem razão, de Cazuza, que já foi interpretada por grandes nomes da nossa música, mas que encontra em Adriana, sua forma imortal, a meu ver. E o que dizer sobre a leitura dada a Fico assim sem você, de Claudinho e Buchecha, que encontrou nela a suavidade e delicadeza que a letra pedia, mesclando com elementos da música dos grandes Mc´s.

Também gosto demais de Naquela estação, canção de Caetano Veloso, João Donato e Ronaldo Bastos, que possui na Adriana uma interpretação definitiva. Enfim, grandes canções que encontram na sua voz, nos acordes de seu violão, na sua musicalidade o caminho para transitar junto a um público apreciador da sua forma de apresentar seus trabalhos inesquecíveis!

Um forte abraço a todos! 

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Dias azuis...

Ele tem sangue da melhor música brasileira. A frase é explicada quando compreendemos que estamos falando de Daniel Jobim, neto de Tom Jobim e filho do compositor e violonista Paulo Jobim. Começou sua carreira integrando o Quarteto Jobim Morelenbaum, junto com a seu pai, Jacques e Paula Morelenbaum.

Mais tarde, forma com Paulo Jobim e o baterista Paulo Braga o Jobim Trio, que realiza várias apresentações, além de ter gravado em parceria com Milton Nascimento o disco Novas Bossas, no qual consta clássicos, além da canção Dias azuis, de Daniel. No CD de Roberto Carlos e Caetano Veloso (2008) também gravou a canção Águas de março, além de acompanhar o rei no solo da faixa Lígia e em outras canções.

Daniel também tem algumas parcerias internacionais e entre elas com Sean Lennon, filho de John. Quem o escuta tocar, percebe a presença influente do avô e, mais que isso, a certeza de que estamos diante de um grande músico que, assim como Tom, pode oferecer muita coisa boa à nossa música!

Um forte abraço a todos! 

domingo, 29 de setembro de 2013

Olhando as estrelas - 38

Vinícius, Nara e Chico
Mais uma postagem em homenagem a nosso poetinha, Vinícius de Moraes, que comemora neste ano seu centenário. Já abordamos anteriormente seus encontros com Tom Jobim e Toquinho e hoje, mais um parceiro constante e inesquecível: Chico Buarque de Holanda.

Não foram muitas as parcerias. Entre os dois, mais especificamente foram apenas duas: Valsinha e Desalento, ambas clássicos sempre lembrados pelo Chico em seus shows. Outras, que também contaram com outro parceiro a mais foram Gente humilde, Olha Maria, Estamos aí e Samba de Orly. Com Toquinho, Chico também fez Samba pra Vinícius, em homenagem ao eterno poeta que muito o ajudou em seu início de carreira.

Vinícius era amigo dos pais de Chico e assim frequentava sua casa, quando iniciou essa amizade que originou todas estas parcerias e anos de amizade e muita bebida, relatada também no filme Vinícius. Duas estrelas da maior grandeza que a música brasileira tem a nos oferecer!

Um forte abraço a todos!

sábado, 28 de setembro de 2013

♫É tão bom te amar♫

Não me canso de ressaltar o trabalho do Nando Cordel, pois suas canções apresentam uma doçura inigualável dentro da música brasileira e aqui temos mais um bom exemplo com esta, gravada pela Fafá de Belém, que foi trilha sonora da novela A Indomada e também pelo próprio Nando, posteriormente.

Um fato curioso nesta canção é que além de retratar um amor bem sucedido e emocionante, mostra que, mesmo quando houveram alguns desentendimentos, o amor foi mais forte e isso é contado de forma natural, sem tanta dor, apenas pra justificar que o melhor entre o casal é permanecer grudado.

É tão bom te amar
(Nando Cordel)

Derrama teu amor na minha vida
Aperta minha mão me dá prazer
Meu coração espera o teu amor
Sedento de emoção e bem querer

A gente desgrudou, sofri demais
Não dá pra ser feliz sem te amar
Não quero nunca mais deixar você
A gente colhe sempre o que plantar

Você nasceu pra ser minha alegria
Meu amor, como eu queria
Que esse amor fosse sem fim

Eu ando com saudade dos teus beijos
Quero matar meu desejo
Ficar com você pra mim

Não me faça solidão
Eu preciso de você
Vem regar meu coração de amor
Que tá doido pra te ver

Um forte abraço a todos!

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Os compositores do Brasil - 72

Nós que somos fãs de Roberto Carlos, gostamos tanto de suas canções que estendemos esse sentimento a seus músicos, seus compositores, as pessoas que colaboram com sua carreira. Maria Helena dos Santos Oliveira ou simplesmente Helena dos Santos, natural de Conselheiro Lafaiete/MG foi uma senhora humilde que teve sua vida pautada nas composições presentes nos primeiros discos do Roberto.

Entre elas, temos Na lua não há, Meu grande bem, Como é bom saber, Sorrindo para mim, Esperando você, Fiquei tão triste, Nem mesmo você, Do outro lado da cidade, O astronauta, Agora eu sei e Recordações. Outros artistas também gravaram suas canções, como é o caso de Joanna. Sua vida mudou e pode viver confortavelmente com essas gravações e também escreveu o livro O rei e eu, onde conta sua relação com Roberto, de quem também era confidente.

Helena partiu para a eternidade em 2005. Ela mesmo contou que Roberto foi seu grande apoio, pois as últimas canções creditadas a ela, tinham um toque todo especial do rei: "ele me pediu uma letra falando de alguém que estava com saudades de outro alguém que morava no outro lado da cidade", ou algo do tipo: "não sei se teria toda aquela ideia de O Astronauta." A verdade é que eis uma grande compositora da música brasileira e da história de sua majestade!

Um forte abraço a todos!

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Chuva, traga o meu benzinho...

Ele é Demetrio Zahra Neto, cantor da época da Jovem guarda, que todos conhecem apenas como Demétrius. Natural de São Paulo/SP, iniciou sua carreira ainda no fim dos anos 50, mas foi nos anos 60 e mais precisamente durante a Jovem Guarda que conheceu o ápice de seu sucesso, com a canção Ritmo de chuva, rendendo milhões de discos vendidos.

Essa canção seria regravada posteriormente por outros artistas como José Augusto e se tornaria clássico daquele movimento, não podendo faltar em qualquer bom repertório de Jovem Guarda de bandas hoje em dia. Também compôs para Roberto a canção Preciso me encontrar e fez sua versão para Ternura, o que rendeu o apelido de Ternurinha, para Wanderléa que a regravara depois.

Parou de cantar por muito tempo e dedicou-se a outros projetos imobiliários particulares, vez por outra lançando uma coletânea com seus sucessos, tendo sempre a versão de Ritmo de chuva como carro-chefe. Fez muito sucesso também com a canção que Roberto compôs pra ele: Eu não presto, mas eu te amo. Outros sucessos foram Nas voltas do mundo, O amor que perdi, A bruxa, Coração magoado, Melhor você ficar, entre outros.

Um forte abraço a todos!

domingo, 22 de setembro de 2013

CD Lulu canta & toca Roberto e Erasmo


Um dos melhores CD´s produzidos nos últimos anos, uma das mais belas homenagens a essa dupla de compositores históricos da nossa música. Enfim, muitas são as boas definições que podemos dar a este trabalho onde Lulu Santos bebe de uma das suas principais fontes, pois sempre afirmou que foi a Jovem Guarda que o paramentou a ser o músico que é!

Lulu dá roupagem nova e ousada a canções que, como muitos sabem, são verdadeiros clássicos e difíceis de serem mudadas, algo que já foi regravado por outros, imortalizado por seus criadores. E é justamente essa vontade de mostrar sua leitura dos fatos que engrandece ainda mais esse projeto, sobretudo em Como é grande o meu amor por você que, de tão simples e clássica, ganhou um luxuoso assobio; ou em Eu te darei o céu que vestiu-se de reggae; ou ainda uma nova versão (já tinha feito isso em 1995) para Se você pensa, ambas com êxito.

Todo o CD pode ser apontado como um êxito, pois Lulu já tem estrada suficiente para saber o que faz ao regravar Emoções, As curvas da estrada de Santos, Minha fama de mau, Sou uma criança não entendo nada, Sentado à beira do caminho, Não vou ficar, Festa de arromba, Quando, Você não serve pra mim e É preciso saber viver, todas com o carimbo de quem aprendeu e hoje até ensina a estes e outros ídolos. Roberto e Erasmo agradecem a reverência! E o Brasil também!

Um forte abraço a todos!

sábado, 21 de setembro de 2013

♫Verde♫

Somos privilegiados porque dispomos de cantores, músicos, compositores, artistas que conseguem expressar em suas devidas artes, os mais variados aspectos que envolvem nossa vida e muitas vezes mesclando nossos sentimentos com a natureza. É o caso desta canção, um dos primeiros sucessos de Leila Pinheiro.

Lançada em 1985, retrata a força e fé interior unida a um forte sentimento ufanista de um país pós ditadura, carregando aquele velho sentimento típico do brasileiro de sempre recomeçar acreditando que tudo pode dar certo. E esse otimismo, alguns anos depois não foi vão, pois apesar de ainda estarmos distantes do que chamamos de ideal, percebemos que houveram significativos avanços nesses anos todos e isso só dá impulso para continuarmos em busca de novas esperanças, da nossa inigualável tonalidade de verde!

Verde
(Eduardo Gudin)

Quem pergunta por mim
Já deve saber
Do riso no fim
De tanto sofrer

Que eu não desisti
Das minhas bandeiras
Caminho, trincheiras, da noite
Eu, que sempre apostei
Na minha paixão

Guardei um país no meu coração
Um foco de luz, seduz a razão
De repente a visão da esperança
Quis esse sonhador
Aprendiz de tanto suor
Ser feliz num gesto de amor
Meu país acendeu a cor

Verde, as matas no olhar, ver de perto
Ver de novo um lugar, ver adiante
Sede de navegar, verdejantes tempos
Mudança dos ventos no meu coração
Verdejantes tempos
Mudança dos ventos no meu coração

Um forte abraço a todos!

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Simplesmente aconteceu...

Algumas cantoras e cantores nascem em outros países e encontram no Brasil um campo farto para seus sucessos. É o caso da italiana, natural de Roma, Chiara Civelo que toca violão desde os 12 anos e aos 14 frequentava aulas de canto. Aos 18 anos foi para os Estados Unidos, quando lança seus primeiros trabalho.

Este primeiro disco já contou com algo brasileiro, a canção Outuno, de Rosa Passos. Também Beijo partido, na versão lançada para o Japão. Trazida ao Brasil por Daniel Jobim, interage com alguns músicos nacionais, sobretudo Ana Carolina, com quem dividiu a primeira parceria: Resta. Depois disso constrói a cada ano uma carreira sólida, seja compondo com estes amigos ou gravando suas próprias canções.

Entre seus sucessos, temos Simplesmente aconteceu, Ela não sabe dizer adeus, Problemas, Al posto del mondo, Reis, Sofá, Mais que a mim, 10 minutos, etc. O Brasil tem disso: uma música tão eclética e que se torna um celeiro para todo aquele que deseja fazer uma boa música. Só falta um pouco mais de incentivo e espaço para esses novos talentos.

Um forte abraço a todos!