domingo, 17 de dezembro de 2017

♫Parabéns pra Jesus♫

Chitãozinho e Xororó também gravaram outras canções que nos remetem ao Natal, como esta, no CD do Pe. Marcelo Rossi Canções para o novo milênio, em 2000. Da autoria destes dois grandes compositores Michael Sullivan e Carlos Colla, esta canção também foi regravada por Xuxa e Joanna.

O tema central da letra desta canção deveria ser o tema de todas as Noites Natalinas: mesmo com tanta propaganda, comidas, presentes, festas, estamos diante do sentido maior desta festa onde, em uma noite inesquecível, Deus se fez menino e habita entre nós, para nossa felicidade, para levantarmos ao cairmos, para enxugarmos cada lágrima que nos cai e acreditarmos sempre no melhor!

Parabéns pra Jesus
Michael Sullivan e Carlos Colla

Tudo que nós já vivemos
Tudo que vamos viver
Ele é quem sabe o motivo
Ele é quem pode dizer
Ele é quem sabe a verdade
Ele é quem mostra o caminho
E quem procura por Ele, não vive sozinho

Ele é o pão e o vinho
Ele é o princípio e o fim
Ele é o Rei e o cordeiro
Ele é o não e o sim
Ele só quer alegria, risos e felicidade
E paz na terra aos homens de boa vontade

Vamos cantar parabéns pra Jesus
comemorar parabéns pra Jesus
Nos abraçar nessa noite feliz
Em que o amor ascendeu sua luz

Vamos cantar parabéns pra Jesus
comemorar parabéns pra Jesus
Nos abraçar nessa noite feliz
A estrela guia do céu nos conduz
Parabéns pra Jesus

Ele é o melhor amigo
Ele é o pai e o filho
Ele é maior do que a morte
É o destino e o trilho
Ele é carinho mais doce
Ele é a flor e a semente

Ele é quem sabe o que existe aqui dentro da gente
Ele é a água mais pura
Ele é o sol e o luar
Ele venceu o deserto e andou nas águas do mar
Ele é o mestre dos sábios
Ele é o Rei e o Senhor
Ele por mim deu a vida, em nome do amor

Um forte abraço a todos!

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

CD Luiz Gonzaga Baião de dois

E hoje faz 105 anos de nascimento de Luiz Gonzaga, o eterno rei do baião. Em 2012, comemorando seu centenário, a Sony lançou essa coletânea, em que aproveitava a voz de "Lua" em novos duetos memoráveis, alguns mais comuns como Fagner, Gonzaguinha, Elba Ramalho e Dominguinhos, outros mais inusitados como Zeca Pagodinho, Ivete Sangalo e Zélia Duncan.

É o que temos nas 15 faixas, todas com clássicos de Gonzagão: Asa branca (com Fagner), Siri jogando bola (com Zeca Pagodinho), Forró de cabo a rabo (com Dominguinhos), Nem se despediu de mim (com Ivete Sangalo), Estrada de Canindé (com Chico César), Danado de bom (com Zeca Baleiro), Qui nem jiló (com Zélia Duncan), A volta da asa branca (com Zé Ramalho).

E ainda, temos Deixa a tanga voar (com Jorge de Altinho), Baião de dois (com Alcione), Onde tu tá neném (com Geraldo Azevedo), Paraíba (com Elba Ramalho), Plano piloto (com Alceu Valença), Forró nº 1 (com Gal Costa) e A vida de viajante (com Gonzaguinha). Os dois últimos fonogramas, não foram feitos originalmente para este projeto, sendo aproveitados de gravações anteriores. Com produção de José Milton e do Fagner, temos aqui um grande CD para ouvirmos sempre, em todos os aniversários e festas juninas onde tocam Gonzagão!

Um forte abraço a todos!

sábado, 9 de dezembro de 2017

Blog Música do Brasil - 10º aniversário!!!

E hoje o Blog Música do Brasil faz exatos 10 anos! Não seu autor, que tem um pouquinho mais que uma década, mas lembo quando fiz uma década e fiquei surpreso com o número. E isso também acontece com este espaço. Há dez anos atrás Blog era algo em moda e hoje talvez seja antiquado. Mas, continuo com o mesmo sentimento que descrevi nesses dez anos: a vontade de falar sobre a melhor música do planeta, a brasileira.

Nem a demora em encontrar esses bolos que posto aqui em formato de imagens, mas que nunca os provei, nem as repetições de agradecimentos que faço todo ano me desmotivam a pensar que não há inspiração pra falar o que sinto em uma postagem única. Fico feliz com o formato, com a vontade de continuar, com a vontade de inovar e trazer novidades a alguém que copia, lê ou simplesmente vê de vez em quando o que aqui faço.

Um brinde ao Tom, aos Chicos, ao Milton, ao Caetano, ao Gil, aos Joãos, ao Lulu, aos Paulos, aos Zecas, ao Martinho, aos Jorges, ao Ivan, ao Djavan, ao Fábio, ao Eduardo, aos Carlos, aos Zés, ao Erasmo, aos Gonzagas, ao Fagner, aos Geraldos, ao Lenine, ao Emílio, à Bethânia, à Gal, à Rita, à Alcione, à Marisa, à Ângela, à Zizi, à Simone, à Joanna, à Nana, à Isolda, às Anas, à Adriana, à Elis, à Elba, aos tantos Robertos, que assim como eu, famosos ou anônimos, cantam e encantam esse país e, de vez em quando, passam por aqui em simples palavras que pretendem contar um pouquinho dessa arte que nunca envelhece!

Um forte abraço a todos!

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

DVD A viagem

Foi lançado em 2017 pela Globo Marcas este box contendo 14 DVD´s com um dos maiores sucessos da televisão nos anos 90: a novela A viagem, de Ivani Ribeiro. Originalmente apresentada em 1994 e reprisada posteriormente no Vale a pena ver de novo, A viagem trata de assuntos como vida após a morte, alma gêmea e bons valores como perdão e irmandade.

Com direção de Wolf Maia e um grande elenco que traz Antônio Fagundes, Christiane Torloni, Guilherme Fontes, Maurício Mattar, Miguel Falabela, Lucinha Lins, Suzy Rêgo, Laura Cardoso, Andréa Beltrão, Cláudio Cavalcanti, Nair Belo, Ary Fontoura, Yara Cortês, entre tantos que estão de volta nesse sucesso que, descobri a pouco tempo se tratar de um remake dos anos 70 que conta a linda história de amor entre Diná e Otávio, além da vingança de Alexandre, tudo contado sobre a ótica de que nada termina neste plano.

A trilha sonora traz Roupa nova (A viagem), Fábio Jr. (Esqueça), Milton Nascimento (Beijo partido), Fafá de Belém (Poeira de estrelas), Zeca Pagodinho (Cada um no seu cada um), Patrícia Marx (Quando chove), Yahoo (Caminhos de sol), Blitz (Mais uma de amor), entre outros que trazem a beleza deste clássico das novelas brasileiras.

Um forte abraço a todos!

domingo, 3 de dezembro de 2017

♫Papai Noel de camiseta♫

Começamos dezembro falando de canções natalinas e esta consta no CD do Ivan Lins, do compositor Celso Viáfora, em que aborda canções natalinas sob a ótica brasileira. E esta talvez seja a canção mais representativa dessa temática porque aqui no Brasil tá um calor danado e não teria porque o velho Noel está com toda aquele casaco, símbolo do frio de sua "suposta terra", o Pólo Norte.

E o mais legal é, além de destacar como seria a vestimenta de Noel, enfatizar características de uma festa tão tradicional, mas com uma culinária e cultura toda própria do Brasil, com direito à feijoada, samba do morro de Noel Rosa, doce de leite, pimenta, subúrbio, e uma festa que tenta zerar as diferenças, ao menos no sentimento que ela distribui a todos!

Papai Noel de camiseta
Celso Viáfora

Papai noel irá chegar de camiseta
Metido num chinelo e de bermuda jeans
Tocando agogô invés de uma sineta
Cantando do xará o "palpite infeliz"
Então será Natal
A noite vai ser mais feliz

Estenderá uma toalha na sarjeta
Em qualquer praça de subúrbio do país
Trará cachaça, arroz, feijão, a malagueta
Doce de leite, balas de goma e quindins
Aí será Natal
A noite vai ser mais feliz

E surgirão blocos mirins
De suas camas de jornal
E drag-queens
Os reis magros do carnaval
De pé no chão
Os solitários da paixão
Um tamborim
Alguém trará um violão
Um bandolim
E a multidão vai sambar com a batida dos sinos

Ali no morro nascerá mais um menino
E, no primeiro sol, virão os bem-te-vis
Num dia de natal
A gente pode ser feliz

Um forte abraço a todos!

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Olhando as estrelas - 65

E a série olhando as estrelas aparece mais uma vez trazendo duas das maiores estrelas musicais que possuímos: Caetano Veloso e Gal Costa. Baianos, da Tropicália, começaram a carreira praticamente juntos e penso que poderia atribuir a Gal como sendo a intérprete número um da obra dele, até mais que sua irmã, Maria Bethânia.

Músicas gravadas dele não dá nem pra citar todas, pois uma postagem seria pouco, mas vale lembrar alguns dos grandes sucessos dela como Força estranha, Tá combinado, Coração vagabundo, London london, Você não entende nada, Baby, Dom de iludir, Luz do sol, Vaca profana, Nua ideia, além de todas as canções do álbum Recanto. Em dueto, já cantaram os sucessos Sorte, A luz de Tieta, Tá combinado, entre outros.

Sem sombra de dúvidas, Caetano e Gal possuem carreira de estrelas e isso é incontestável. O encontro entre eles gera sempre alguma ótima surpresa e os amantes da música brasileira desejam que isso aconteça ainda mais, talvez em um novo show ou novas gravações de canções inéditas como sempre tem ocorrido na discografia de nossa diva, com a colaboração de nosso gênio!

Um forte abraço a todos!

domingo, 19 de novembro de 2017

♫Sonífera ilha♫

Um dos primeiros e maiores sucessos da banda Titãs, regravada por outros nomes como Adriana Calcanhoto, Sonífera ilha tornou-se muito mais que clássico da banda, sendo um dos topos do rock nacional. Composta por cinco nomes, atuais e ex-integrantes, foi uma das mais tocadas no ano de seu lançamento, 1984 e até hoje é executada nos shows da banda.

Com uma letra curta, de apenas dois versos que se repetem, mas sem cansar o ouvinte, considero que o melhor desta canção está na sua levada, na sua melodia e no seu rock, sem desmerecer a letra romântica que expressa o desejo de qualquer um em estar num paraíso chamado ilha, com quem se ama e deseja se sintonizar pra sempre!

Sonífera ilha
Marcelo Fromer, Branco Mello, Toni Bellotto, 
Ciro Pessoa e Carlos Barmak

Não posso mais viver assim ao seu ladinho
Por isso colo o meu ouvido no radinho de pilha
Pra te sintonizar sozinha, numa ilha...

Sonífera Ilha!
Descansa meus olhos
Sossega minha boca
Me enche de luz

Um forte abraço a todos!

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

CD José Augusto - Nosso amor é assim

Em 1996 José Augusto lançou um dos melhores discos de sua carreira e o melhor, a meu ver, de toda a década de 90. Intitulado de Nosso amor é assim, a faixa que dá nome ao disco não foi melhor que os grandes sucessos que ficaram deste trabalho como Juro que não vou mais chorar e A minha história, versão da canção italiana La mia storia tra le dita, que Ana Carolina também fez uma diferente versão anos depois em Quem de nós dois, mas que a versão dele está mais próxima do original.

Além destas, temos grandes canções, potenciais sucessos radiofônicos, mas que se perderam no tempo como Mágoa, Fim de semana, Só você (diferente da canção com o mesmo nome lançada em 1989) e Gostoso vai e vem (com participação de Amelinha). Ainda temos as regravações de Espanhola e Eu só quero um xodó, além da canção Prelúdio para um rei, em homenagem a Roberto Carlos.

Completam o trabalho as canções Mãe, Moreninha, Longe da cidade e a faixa título Nosso amor é assim. Um grande trabalho do Zé, que ainda pode ser encontrado nos sebos, já que seus discos estão quase todos fora de catálogo, o que é uma pena, pois muitos fãs deste país admiram seu trabalho e gostariam de adquirir seus discos, sobretudo dos anos 80 e 90.

Um forte abraço a todos!

domingo, 12 de novembro de 2017

♫Meu mundo e nada mais♫

Guilherme Arantes é dono de grandes sucessos que compuseram a trilha sonora de tantos brasileiros, durante os últimos anos, seja nos hits que iam direto para o topo das paradas das rádios, ou alguns que passavam antes pelas trilhas de grandes novelas. Meu mundo e nada mais foi o primeiro grande sucesso dele e pelo que me consta das pesquisas que fiz, foi composta em 1969, mas lançada apenas em 1976, tema da novela Anjo mau.

Já teve várias releituras do Guilherme em shows e também de Daniel e Adriana Calcanhoto, entre outros. Sua letra fala de um dos momentos mais tristes que o ser humano passa: a dor da partida, do término de um relacionamento, onde uma das partes ainda desejaria a continuidade deste. Muitas vezes, as pessoas projetam seu mundo em outras pessoas ou fazem de seu mundo algo muito particular, onde alguns personagens não devem nunca se ausentar dele, como se isso fosse eternamente possível. Talvez nos sonhos, nos pensamentos, mas na vida real, isso pode se romper e a dor é inevitável e seu tamanho imensurável, como diz esse clássico da música brasileira.

Meu mundo e nada mais
Guilherme Arantes

Quando eu fui ferido vi tudo mudar
Das verdades que eu sabia
Só sobraram restos que eu não esqueci
Toda aquela paz que eu tinha

Eu que tinha tudo hoje estou mudo, estou mudado
À meia-noite, à meia luz, pensando
Daria tudo por um modo de esquecer

Eu queria tanto estar no escuro do meu quarto
À meia-noite, à meia luz, sonhando
Daria tudo por meu mundo e nada mais

Não estou bem certo se ainda vou sorrir
Sem um trago de amargura
Como ser mais livre, como ser capaz
De enxergar um novo dia

Um forte abraço a todos!

domingo, 5 de novembro de 2017

♫Maresia♫

Essa é uma clássica canção do repertório da Adriana Calcanhotto, que me fez crer que se tratava de sua autoria até pesquisar e perceber que se trata de um poema de Antônio Cícero, musicado por Paulo Machado e imortalizado pela Adriana já nos anos 2000, embora já tivesse sido gravada anteriormente por Marina Lima, irmã do poeta-autor da canção. Zeca Baleiro obteve bastante êxito com uma regravação recente, numa levada mais "havaí", vamos dizer assim.

A letra de Maresia fala de alguém que sofreu abandono e que vê no cotidiano do marinheiro um desejo de fuga. Deseja a vida nômade do marinheiro como solução do abandono e solidão na qual se sente inserido. Uma vida sem muita dedicação para evitar novas decepções, formas diferentes de encarar a vida e suas contrariedades.

Maresia
Paulo Machado e Antônio Cícero

O meu amor me deixou
levou minha identidade
não sei mais bem onde estou
nem onde há realidade

Ah, se eu fosse marinheiro
era eu quem tinha partido
mas meu coração ligeiro
não se teria partido

ou se partisse colava
com cola de maresia
eu amava e desamava
sem peso e com poesia

Ah, se eu fosse marinheiro
seria doce meu lar
não só o Rio de Janeiro
a imensidão e o mar

leste oeste norte sul
onde um homem se situa
quando o sol sobre o azul
ou quando no mar a lua

não buscaria conforto
nem juntaria dinheiro
um amor em cada porto
Ah, se eu fosse marinheiro...

Um ótimo domingo a todos!

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Vou pr´onde você está...

Um artista da nova geração que tá fazendo cada vez mais sucesso e obtendo reconhecimento dos colegas é Tiago Iorc. Natural de Brasília, cresceu em Passo fundo (RS) e, posteriormente em Curitiba (PR), e lançou seu primeiro trabalho em 2008, só com canções em inglês, linha que seguiu no segundo trabalho. Apenas a partir do terceiro álbum, que lança canções em português.

Com grandes parcerias, que passam por Maria Gadu, Sandy e, mais recentemente com Milton Nascimento, já coleciona sucessos como Música inédita, Forasteiro, Coisa linda, Me espera e Amei te ver. O dueto com Milton é mais recente, na belíssima canção Mais bonito não há, parceria de ambos.

Com a música brasileira deixando a desejar em algumas novas criações, com novos artistas sem muita coisa boa para ofertar, é interessante perceber que temos um novo artista assim que apresenta boas canções, algumas já radiofônicas e que se preocupa em apresentar arte, lapidando sempre a nossa boa música brasileira.

Um forte abraço a todos!

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

CD Francis Hime 50 anos

Francis Hime foi outro gênio da nossa música que completou 50 anos de carreira em 2015 e lançou projeto contendo CD e DVD ao vivo de show comemorativo, gravado no Espaço Tom Jobim, no Rio de Janeiro, com seus grandes clássicos, algumas peças e também coisas inéditas.

Entre as peças, temos Fantasia para harpa e orquestra e também Fantasia para violino e orquestra, além da inédita Navega ilumina, parceria com Geraldo Carneiro. E os sucessos que também não poderiam faltar que trazem Amor barato, Sem mais adeus, Minha, Passaredo, Atrás da porta e Trocando em miúdos.

Dono de verdadeiros clássicos, Francis ainda traz outras canções menos executadas de seu repertório como Ilusão, Maria da luz, Amorosa, Sessão da tarde, Breu e graaal, Mistério e Canção apaixonada. No DVD, há ainda interpretações para Anoiteceu, Olha Maria e Sabiá, num projeto que promove comemoração em grande estilo a este excelente artista da nossa música.

Um forte abraço a todos!

domingo, 22 de outubro de 2017

♫Caleidoscópio♫

Os Paralamas do sucesso são sempre uma boa pedida, quando se deseja compreender o pop rock nacional do Brasil, com um alto nível de composição. Uma das minhas preferidas é esta, composta por Herbert Vianna e sempre executada em seus shows.

A letra de Caleidoscópio aborda um amor que chegou ao fim, mas que ainda permanece na mente do personagem da canção de uma forma muito forte e confusa, como uma imagem sem lógica de um caleidoscópio e, de repente, passa a questionar o porquê do fim, se parece necessário estarem mais juntos, por todo o histórico, em parte descrito no decorrer da letra.

Caleidoscópio
Herbert Vianna

Não é preciso apagar a luz
Eu fecho os olhos e tudo vem
Num caleidoscópio sem lógica

Eu quase posso ouvir a tua voz
Eu sinto a tua mão a me guiar
Pela noite a caminho de casa

Quem vai pagar as contas deste amor pagão
Te dar a mão, me trazer à tona prá respirar
Quem vai chamar meu nome
Ou te escutar

Me pedindo prá apagar a luz
Amanheceu, é hora de dormir
Nesse nosso relógio sem órbita

Se tudo tem que terminar assim
Que pelo menos seja até o fim
Prá gente não ter nunca mais que terminar

Um forte abraço a todos!

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

CD Emílio Santiago Bossa Nova

Saudades desse cara e de sua alta qualidade musical. Talvez o melhor cantor de todos os tempos do país, um dia resolveu associar seu canto ao ritmo mais brasileiro do mundo todo e o que resultou? Este maravilhoso trabalho onde Emílio Santiago canta sucessos da Bossa Nova e, ou associados a este movimento.

O que dizer de interpretações únicas dadas a clássicos como Corcovado, Você e eu, Insensatez, Doce viver, Rio, Manhã de carnaval, A felicidade, Bateu pra trás, Faixa de cetim, Canto de Ossanha, A volta, Naquela estação, Aula de matemática, Chuva e Garota de Ipanema? Depois de sua gravação fica difícil alguém querer acrescentar algo!

Lançado em 2000, não podemos dizer que não dispomos de boas coisas neste século. No formato CD e DVD, temos aqui um ótimo presente para qualquer instante que se deseje conhecer um pouco mais da nossa música e de seu maior intérprete!

Um forte abraço a todos!

domingo, 15 de outubro de 2017

♫É tão sublime o amor♫

Dia dos professores e o Blog traz hoje mais um sucesso do cara que sempre foi considerado "o professor" da MPB, o saudoso Cauby Peixoto. Numa regravação de 1997, com grande arranjo, Cauby assina a versão definitiva desse clássico de seu repertório, É tão sublime o amor, gravado originalmente por ele em 1956.

E um dos sucessos mais românticos de seu repertório, que aclama o amor como algo maior entre duas almas apaixonadas, pode ser usado também em uma dia comemorativo como este, um sublime amor, que pode ser traduzido também no amor pela profissão que cada um tem, sobretudo os profissionais de sala de aula. Essa canção simplesmente lembra que, apesar dos pesares, sempre serão inesquecíveis seus grandes professores, seus amores e Cauby!

É tão sublime o amor (Love is a many splendored thing)
Paul Webster, Sammy Fain e Alberto de Almeida

É tão sublime o amor
O amor que tem da meiga flor o perfume, a cor
Uma estrada tão florida
Razões da própria vida
O sonho mais feliz de um sonhador

Foi só depois que te encontrei
Que aprendi a ver no nosso amor
A suprema lei
E não pode haver ninguém no mundo,
Seja lá quem for,
Sorrindo sem ter um grande amor

Um forte abraço a todos!

domingo, 8 de outubro de 2017

♫Olhar matreiro♫

Cazuza sempre foi um poeta surpreendente e, de repente, encontramos algumas coisas que nos faz crer que sua obra ainda renderá por muito tempo. É o caso dessa canção, dobradinha com o Fagner, ainda nos anos 80, que permaneceu inédita até 2001, quando o cearense a gravou brilhantemente no CD lançado naquele ano.

E, sem desmerecer uma nota musical à interpretação magistral do Fagner, queria ouvir o próprio Cazuza a cantando, por sentir que a letra parece tanto com ele, com seu jeito de contar as coisas e seu romantismo próprio. Uma canção que fala de uma possível volta, de um cara que está seguro que isto acontecerá, que mudou e que merece novas chances, reconquistando seu amor, com aquelas características que só eles reconhecem.

Olhar matreiro
Fagner e Cazuza

Quando eu voltar pra você
Eu vou voltar inteiro
Quando eu chegar
Com o meu olhar matreiro
Quando eu tocar a campainha
Me aninha
Estou certo que você é minha rainha

Eu tenho andado tão triste
Feito lixo ao sol
Pode dizer que não quer
Mas você vai ser de novo minha mulher

É que eu sou tão diferente
Daquele que te maltratou
Você vai ver, você vai gostar

Olha a lua lá no céu
Magrinha, turca
Olha o ar, olha o mar, olha as estrelas

Nada disso tem importância
A natureza é uma coisa
Tão sem importância
Contra a tua natureza

Um forte abraço a todos!

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Os Intérpretes do Brasil - 55

Wanderléa, a eterna rainha da Jovem Guarda, é intérprete por natureza, visto que em toda sua obra, não figurou até hoje com destaque no ramo da composição. Por isso, fica fácil comentá-la nesta série, quando destacamos grandes intérpretes dessa nossa música. Ao mesmo, tempo, com muitos sucessos, fica difícil destacar apenas três grandes interpretações.

Os clássicos Foi assim, Pare o casamento e Prova de fogo, por si só já resumiriam canções que até podemos ouvir outras pessoas cantando, mas que logo nos remeteríamos à Wandeca, por conta de sua marca registrada de gravações e muitas apresentações em shows.

Gosto muito também de Te amo, que José Augusto reviveu já no final dos anos 90 e destacaria ainda a canção Você vai ser o meu escândalo, que Roberto e Erasmo fizeram pra ela em 1969 e que, 40 anos depois, ela se superou ainda mais quando cantou essa canção no show Elas cantam Roberto, mostrando que um bom intérprete só se aprimora com o passar do tempo.

Um forte abraço a todos!

domingo, 1 de outubro de 2017

♫Que pena♫

Esta é uma das mais lindas canções do repertório do Jorge Benjor, gravada por ele mesmo e também por outros intérpretes como Gal Costa, Paulo Ricardo (em dueto com Fernanda Abreu) e, descobri que uma versão que eu gostava muito dos anos 90 foi feita pela Joanna. Pela beleza e leveza da canção, poderia ser resgatada por mais nomes da nossa música, merecendo uma a versão ainda mais atual.

A letra de Que pena lamenta o fim de um romance entre um personagem e alguém de estatura mediana. Mas, este lamento, embora profundo, não é vivenciado com imensa tristeza ou autopiedade, e sim com o impedimento dessa depressão com a alegria associada ao ritmo que se confere a este clássico da nossa música.

Que pena
Jorge Benjor

Ela já não gosta mais de mim
Mas eu gosto dela mesmo assim
Que pena, que pena
Ela já não é mais a minha pequena
Que pena, que pena

Pois não é fácil recuperar
Um grande amor perdido
Pois ela era uma rosa
Ela era uma rosa
As outras eram manjericão
As outras eram manjericão
Ela era uma rosa
Ela era uma rosa
Que mandava no meu coração
Coração, coração

Ela já não gosta mais de mim
Mas eu gosto dela mesmo assim
Que pena, que pena
Ela já não é mais a minha pequena
Que pena, que pena

Mas eu não vou chorar
Eu vou é cantar
Pois a vida continua
Pois a vida continua
E eu não ficar sozinho
No meio da rua, no meio da rua
Esperando que alguém me dê a mão
Me dê a mão, eu não!

Um forte abraço a todos!

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

CD Simone Loca

Ando com saudades da Simone, pois poucas são as intérpretes deste país que oferecem um profissionalismo ímpar na hora de apresentar novas gravações e/ou novos espetáculos. É o que verificamos neste trabalho, lançado em 1998 e ofuscado de sua discografia, embora tenha sido direcionado para o mercado latino, pois é todo revestido do repertório do Julio Iglesias, com todas as canções em espanhol.

Dirigido por Max Pierre e Moogie, o CD apresenta verdadeiros clássicos da obra do cantor espanhol, alguns em versões inéditas nesta língua, já que Julio também grava com bastante êxito em inglês. A faixa de abertura e que dá nome ao trabalho, Loca, é uma versão do clássico Crazy. O mesmo aconteceu com Mi amor, versão de My love, que Julio ganhou de presente de Stevie Wonder.

Outros clássicos deste álbum lançado em 1998 foram Hey, Júrame, Abrázame (com a participação de Rafael Basurto, do Trio Los Panchos), Grande grande grande, La nave del olvido, Lo mejor de tu vida, Por ella (em dueto com Willy Chirino), Amor e Y anque te haga calor. Um belo trabalho, com aquela qualidade ímpar de nossa intérprete, com canções inesquecíveis do grande Julio!

Um forte abraço a todos!

domingo, 24 de setembro de 2017

♫Amanhã talvez♫

Muitos consideram esta a melhor canção da Joanna. Pudera, uma compositora de mão cheia e uma intérprete idem só podia dar nisso: cantar uma canção de forma tão pessoal que todos, ao ouvirem, associam esta pérola à Joanna, embora seja uma composição dos dois grandes gênios, criadores de hits, sobretudo nos anos 80, Michael Sullivan e Paulo Massadas.

Uma canção muito executada pelos cantores românticos da noite, sua letra traz o que chamo de "gênese do ficar", pois em 1986, ano de seu lançamento, as pessoas não tinham muito isso de ficarem umas com as outras e depois não estabelecerem laços mais duradouros. Ao menos, entendo sua letra assim, como um amor muito bom, mas que deixa dúvidas quanto a sua continuidade, embora se insista na ideia de o que é bom deve ter repetições!

Amanhã talvez
Michael Sullivan e Paulo Massadas

Faz, que desse jeito
Só você sabe fazer
Olhos nos olhos
Tanta vida pra viver
Charminho doce
Pedacinho de você

Diz a frase certa
Só você sabe me abrir
É só assim
Que eu consigo descobrir
Como é gostoso
Me entregar e te sentir

É, quando se ama
A gente finge que não vê
Que o tempo passa
E mais um pouco de você

Melhor assim
Bom pra você, melhor pra mim
E amanhã
Quem sabe a gente outra vez

Só mais uma vez
Amanhã talvez
Só mais uma vez
O amor que a gente fez

Um forte abraço a todos!

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

CD Elis Regina Falso brilhante

Da discografia da Elis Regina vem essa grande pérola da música brasileira. Mesmo Elis não possuindo uma discografia tão vasta, cada álbum é um momento único da nossa música e da vida da eterna pimentinha.

Basta citar que só neste trabalho temos os clássicos Como nossos pais e Fascinação. Conheci recentemente outra canção que acho um espetáculo, composta pelo Belchior e imortalizada por Elis: Velha roupa colorida, que possui frases musicais bastante atuais, embora ditas há mais de 40 anos, pois este álbum foi lançado originalmente em 1976.

Outras canções que completam o disco são Los hermanos, Um por todos, Jardins de infância, Quero, Gracias a la vida, O cavaleiro e os moinhos, Tatuagem. Num álbum que reúne a maior intérprete deste país a compositores como Belchior, Chico Buarque, João Bosco, Aldir Blanc, com produção de Mazzola e arranjos de César Camargo Mariano só podemos mesmo classificar este álbum clássico como uma grande pérola da nossa música!

Um forte abraço a todos!

domingo, 17 de setembro de 2017

Os compositores do Brasil - 96

Natural de São Luís/MA, ele é poeta, crítico e também letrista, por isso o abordo nesta série onde contemplamos a obra de grandes compositores nacionais, como é o caso de José Ribamar Ferreira, que todos nós conhecemos como Ferreira Gullar.

Como letrista, já teve canções gravadas por Maria Bethânia, Caetano Veloso, Edu Lobo, Fagner, Chico Buarque, Ney Matogrosso, Milton Nascimento, Simone, Paulinho da Viola, entre outros em pérolas que se tornaram alguns verdadeiros clássicos da nossa música como Traduzir-se, O trenzinho caipira, Borbulhas de amor, Onde estarás, Bela bela, Me leve, Definição da moça, Solução de vida, etc.

Ferreira Gullar partiu para a eternidade em 2016 e é mais lembrado por sua obra poética, porém, com tantas canções importantes e com tantos intérpretes em seu currículo, não poderia ficar de fora de uma série que enaltece grandes compositores, como é o seu caso.

Um forte abraço a todos!

domingo, 10 de setembro de 2017

♫Escancarando de vez♫

Essa deve ser a canção mais importante do repertório do Elymar Santos. Ao menos, é minha preferida dele, aquela que podemos ouvir qualquer um cantando, mas que reconhecemos a marca de grande intérprete que o Elymar possui. Um verdadeiro clássico da música romântica que fala em sensualidade da raça humana com todas as letras, sem vulgarizar nada.

É isso que a letra desses dois grandes compositores, Mauro Motta e Paulo Sérgio Valle tratam, do amor com sexo, de um sexo que dá prazer e que é vivido em seu ápice, sem precisar ser vulgar aos ouvidos de quem escuta e ainda promove a liberdade dos pensamentos de quem se delicia neste perfeito bolero.

Escancarando de vez
Mauro Motta e Paulo Sérgio Valle

Tem certas coisas que são muito perigosas
Situações um tanto quanto escandalosas
Mas sempre vale a pena até correr o risco
A vida é pra viver

Se de repente a gente encontra alguém na rua
Pode acabar até envergonhando a lua
Num desses lances muito loucos que acabam
num quarto de motel

E às vezes basta a porta aberta do banheiro
Uma tremenda brincadeira no chuveiro
E às vezes basta uma pergunta embaraçosa
Pra gente confessar

Quem é que nunca recebeu uma cantada
Quem é que nunca respondeu no mesmo tom
Quem é que nunca recebeu um bilhetinho
Das mãos de um garçom

Eu e você assim ao som de um bolero
Pra lá, pra cá, do jeito que eu quero
Vem cá, me dá, que eu sei aonde vai chegar

Se o corpo quer assim, assim coladinho
Pra lá, pra cá, do nosso jeitinho
Me traz, me faz, me roça e deixe acontecer

E o que me importa o que eles vão pensar de mim
Eu quero mais comer o fruto até o fim
Eu e você, a dois, a três escancarando de vez

Um forte abraço a todos!

domingo, 3 de setembro de 2017

♫Flor do ipê♫

Setembro chega com suas flores e uma das flores da MPB nos presenteia com um grande sucesso. Trilha da novela A força do querer, Flor do ipê tem letra de Cezar Mendes, Tom Veloso e do tribalista Arnaldo Antunes e voz da outra tribalista Marisa Monte. Aliás, o retorno dos Tribalistas é outra grata surpresa desses dias, que comentaremos adiante.

E, voltando à flor deste belo ipê amarelo, admira a capacidade de Marisa em interpretar canções assim que falam de saudade, amor ausente, melancolia, mas tudo na dose certa de voz e alma num som que deixa a canção gostosa de se ouvir e até dançar. A letra ainda apresenta algo sereno, um conformismo sem autopiedade que supera o fato de não ser o escolhido para viver um amor em paz, como tantos sonham ter sempre.

Flor do Ipê
Cezar Mendes, Tom Veloso e Arnaldo Antunes

Onde quer que eu vá levo o meu amor
De Botafogo até o Arpoador
Levo meu amor para onde eu for
Do Capricórnio até o Equador

Quando a noite cai me dá saudade
Quando cai no chão a flor do Ipê
Tenho essa felicidade
Posso recordar você

Levo meu amor com a solidão
É bom assim, a paz não é pra mim

Para onde eu for levo o meu amor
Na rua, no hotel, no elevador
Levo o meu amor onde quer que eu vá
Na Lapa, Niterói, Paquetá

Na calçada, flores amarelas
Formam um tapete ao pé do ipê
Você não é mais aquela
Mas ainda faz doer

Levo meu amor com a solidão
Tá certo assim, a paz não é pra mim

Um forte abraço a todos!

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Olhando as estrelas - 64

A série Olhando as estrelas traz hoje dois grandes nomes consagrados da nossa música por suas respectivas obras e que, juntos, já agregaram grandes valores à música brasileira, frente a parceria que existe em canções, apresentações e ao teatro, já que também dividiram este ofício. Chico Buarque e Edu Lobo tem uma parceria invejável, dividindo a autoria de grandes clássicos.

Só pra citar alguns, temos A bela e a fera, A história de Lily Braun, A moça do sonho, Bancarrota blues, Beatriz, Choro bandido, Ciranda da bailarina, Embarcação, Ode aos ratos, Sobre todas as coisas, Valsa brasileira, entre outras.

Chico, que já compôs com tantos nomes, onde as parcerias mais constantes foram Tom Jobim, Francis Hime, Vinícius de Moraes e Edu Lobo, considero este último o mais presente desde o início da carreira, até os lançamentos mais recentes de ambos. Grandes estrelas que, juntos, conseguem enaltecer ainda mais a amizade de ambos em seus trabalhos.

Um forte abraço a todos!

domingo, 20 de agosto de 2017

♫Evidências♫

Essa canção é um clássico sertanejo, mas poucos sabem que seu autor não é bem do segmento: José Augusto, o grande cantor romântico, em parceria com Paulo Sérgio Valle, é o autor de Evidências, que ficou imortalizada na voz da dupla Chitãozinho e Xororó, embora tenhamos outras releituras como é o caso do próprio Zé Augusto, em dueto com Roberta Miranda.

Mas, Evidências merece o status de clássico romântico pela belíssima melodia associada a uma letra arrebatadora, que fala de um amor imenso, verdadeiro e que não dá pra esconder, mesmo que tente se negar um pouco, o sentimento transborda em cada atitude, mesmo nas adversas.

Evidências
José Augusto e Paulo Sérgio Valle

Quando eu digo que deixei de te amar
É porque eu te amo
Quando eu digo que não quero mais você
É porque eu te quero

Eu tenho medo de te dar meu coração
E confessar que eu estou em tuas mãos
Mas não posso imaginar o que vai ser de mim
Se eu te perder um dia

Eu me afasto e me defendo de você
Mas depois me entrego
Faço tipo, falo coisas que eu não sou
Mas depois eu nego

Mas a verdade é que eu sou louco por você
E tenho medo de pensar em te perder
Eu preciso aceitar que não dá mais
Pra separar as nossas vidas

E nessa loucura de dizer que não te quero
Vou negando as aparências
Disfarçando as evidências
Mas pra que viver fingindo
Se eu não posso enganar meu coração?
Eu sei que te amo!

Chega de mentiras , de negar o meu desejo
Eu te quero mais que tudo
Eu preciso do seu beijo
Eu entrego a minha vida
Pra você fazer o que quiser de mim
Só quero ouvir você dizer que sim!

Diz que é verdade, que tem saudade
Que ainda você pensa muito em mim
Diz que é verdade, que tem saudade
Que ainda você quer viver pra mim

Um forte abraço a todos!

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

♪Partituras musicais dos fãs 33 - André Melo♪

E hoje a série Partituras musicais dos fãs traz um amigo que já há algum tempo peço sua participação. Natural do Recife/PE, meu amigo conterrâneo André Melo é o entrevistado desta série. Conhecido por sua opinião sólida sobre a obra de Roberto Carlos, conheci André há mais de dez anos e afirmo ser um cara do bem, uma pessoa de alma limpa, como poucos se encontram por aí! 

Só quem conhece pessoalmente este cara sabe que por trás de opiniões que parecem inflexíveis, de tantas participações no Portal Clube do rei e nas comunidades do Facebook, existe um ser muito educado e amigo. Quem bom que chegou o dia de você expor suas opiniões por aqui e entendermos melhor você, RC e a música, nesta entrevista que teremos agora:

1 - Uma música?

♪Pergunta dificil. Podem ser duas? Como é grande meu amor por você. Simples e bela ao mesmo tempo. A outra: Eu quero apenas. Um resumo para um mundo ideal. Talvez no contexto do país dividido pela política, indicaria O quintal do vizinho, mas aí já foram três, rsrs.

2 - Um momento musical inesquecível?
♪O primeiro show ao vivo que assisti de RC no Geraldão, em Recife.

3 - Qual show do Roberto gostaria de ter visto e não pode ver?

♪Gostaria de ter visto o do Canecão, no início dos anos 70 ou o Emoções de 81, com grande orquestra incluindo cordas e violinos. Sinto falta de um som menos eletrônico e mais acústico e harmônico.

4 - Você curte bastante o Roberto dos anos 70 mais até que o de outras décadas. Por quê?

♪Sempre acompanhei RC pelos discos e me agradava muito a sonoridade. Com o passar dos anos, vim descobrir que os discos eram gravados nos Estados Unidos, com grandes músicos e arranjadores de renome, que trabalhavam com grande artistas internacionais como Barbra Streissand e Sinatra. Acho que os músicos conseguem imprimir uma emoção na execução das músicas. A gravação la fora trazia pro Brasil uma sonoridade diferenciada pros discos de RC, aliada a grande inspiração melódica do rei naquele período dos anos 70 e inicio dos anos 80, que particularmente me agrada muito. Creio que o grande diferencial de RC sobre artistas românticos latinos de modo geral se deve a esses fatores. Chico Buarque atribuiu a Roberto a condição de mais moderno dos cantores românticos. Creio que essa modernidade se manifeste na medida que vemos clássicos antigos sendo regravados como músicas atuais, como vimos no recente primeira fila gravado no Abbey Road em Londres e a regravação de Sua Estupidez. Essa última tem um ar tão atual e melódico bem superior ao que se ouve atualmente nas rádios. Os clássicos do rei são absolutamente atemporais e vão estar presentes, você vai ver....

5 - Você também sempre apreciou mais os primeiros especiais do rei que os mais recentes. O que considera faltar hoje em dia?

♪Acho que havia toda uma concepção artística bem como seleção de grandes músicos para participar dos especiais. Sinto saudades da época do Augusto Cesar Vanucci. Havia mais cultura, mais arte e menos preponderância do mercadológico.

6 - Os arranjos dos anos 70 também são destaques em seus comentários. Conta por que aprecia aquele formato?

♪Um amigo da área musical me disse, ao comentar o resultado da gravação recente em Abbey road, que os músicos la fora conseguem produzir as notas musicais e fraseados passando a emoção ao tocá-las. Os arranjos parecem ser concebidos para enaltecer a beleza melódica das canções, com emoção. No Brasil o maestro Chiquinho de Moraes produziu belíssimos arranjos nessa mesma concepção na década de 70. Acho a produção de RC primorosa ate 84, quando o produtor era o Evandro Ribeiro. Mais recentemente o lançamento Primeira fila trouxe a lembrança daqueles anos que RC me agradava mais. Não tenho certeza, mas acho que o excesso do eletrônico termina por ofuscar o brilho e harmonia das musicas. Por exemplo, acho mais bela a gravação de And I Love her do projeto Primera fila do que a gravação presente no disco de 84, a versão em português Eu te amo, da mesma música. Ressalto que a versão de 84 foi gravada nos Estados Unidos, mas de acordo com minha percepção, resultou inferior à gravação mais recente em Abbey road.

7 - Você curte o trabalho do Eduardo Lages? Destaca algo?

♪Gostei muito do DVD onde ele gravou canções de RC, inclusive Cama e Mesa numa versão inimaginável, em chorinho.

8 - Um compositor brasileiro?

♪RC e EC, a parceria de maior êxito musical, no Brasil e na América Latina.

9 - Um músico brasileiro?

♪Tom Jobim e Gonzagão, belíssimas melodias também.

10 - O arranjo que mais aprecia em alguma canção nacional?

♪O da canção 120, 150, e 200 KM por hora, arranjo brasileiro.

11 - Cite três discos que escuta sem pular nenhuma faixa. (pode ser do rei ou de outros artistas também).

♪Os discos da década de 70 e início dos anos 80 de RC, os ouvia praticamente sem pular faixas.
O disco de 70 é um bom exemplo. Hoje, até por causa da música em formato digital, seria difícil ouvir músicas de um disco sem pular faixa ou escolher as que quero ouvir.

12 - O que gostaria de ouvir Roberto cantar em seus shows?

♪O show já terminou, uma canção há muito esquecida dos shows. Mas, sucessos tem de sobra pra reciclar repertórios de shows para cada ano. Difícil é selecionar.

13 - Seu especial de fim de ano favorito?

♪Não sei se existiria um favorito. Diria momentos marcantes como RC cantando Força Estranha no alto da montanha num cenário de beleza natural do Rio. Em 74 cantando Eu quero apenas e O show já terminou.

14 - Um dueto inesquecível desses especiais?

♪Maria Bethânia e RC cantando Eu sei que vou te amar, com Tom Jobim ao piano, em 1981.

15 - Quem ainda merecia ser convidado para o especial de fim de ano?

♪Existe um gravação de Oswaldo Montenegro de Como é Grande Meu Amor por você que acho muito bela. Como o Oswaldo tem uma suavidade no cantar, o indicaria.

16 - Qual dueto em disco gostaria de ver com Roberto?

♪Já que a Bethânia já participou, quem sabe a Gal Costa.

17 - Além do rei, quais outros artistas aprecia na música brasileira?

♪Tim Maia, Jorge Ben, Gal, Bethânia, Adriana Calcanhoto, Tom Jobim. Mas não conheço a obra de nenhum outro artista com a mesma profundidade que conheço a de RC.

18 - Um trecho de uma canção?

♪"Eu quero amor decidindo a vida", de Eu quero apenas, Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1974. Resume tudo.

19 - Como define Roberto Carlos?

♪Roberto Carlos é o cantor das gerações. É uma artista com inúmeros sucessos absolutamente atemporais e seu canto ultrapassa as fronteiras. Como disse Simon Perez no encontro por ocasião do show em Jerusalém, sua voz chegou antes aqui.

20 - Quem você sugere para entrevistarmos nesta série?

♪Rapaz, difícil hein.

André, demorou, mas saiu nossa entrevista. Desculpe pela insistência e obrigado por participar, pois numa série desta em que presto essa simples homenagem a amigos queridos com os quais aprendo sobre música, você é um nome que não poderia faltar e diante de seu relato, entendemos porque isso é uma verdade, vindo  de uma pessoa verdadeira como é!

Um forte abraço a todos!

domingo, 13 de agosto de 2017

♫Pai♫

Semana do dia dos pais e o Blog resgata um clássico da música brasileira. O primeiro e mais famoso sucesso de Fábio Jr., sua marca registrada, a canção Pai. Tema de novela e imortalizada por seu autor, também já foi gravada por Fafá de Belém, mais recentemente. E não há um só dia dos pais que ela não toque e emocione a tantos. Qualquer um se sente desafiado a ser um pai melhor depois de ouvir e meditar essa canção!

Durante um bom tempo pensei que era uma canção de um filho que tinha uma relação difícil com o pai, até prestar atenção à sua letra e perceber que as dificuldades não eram o mais marcante da letra e sim a superação a qualquer barreira ou diferença que impeça fluir naturalmente o amor entre pai e filho. 

Pai
Fábio Jr.

Pai
Pode ser que daqui algum tempo
Haja tempo pra gente ser mais
Muito mais que dois grandes amigos
Pai e filho talvez

Pai
Pode ser que daí você sinta
Qualquer coisa entre esses 20 ou 30
Longos anos em busca de paz

Pai
Pode crer eu tô bem, eu vou indo
Tô tentando, vivendo e pedindo
Com loucura pra você renascer

Pai
Eu não faço questão de ser tudo
Só não quero e não vou ficar mudo
Pra falar de amor pra você

Pai
Senta aqui que o jantar tá mesa
Fala um pouco tua voz tá tão presa
Nos ensina esse jogo da vida
Onde vida só paga pra ver

Pai
Me perdoa essa insegurança
É que eu não sou mais aquela criança
Que um dia morrendo de medo
Nos seus braços você fez segredo
Nos seus passos você foi mais eu

Pai
Eu cresci e não houve outro jeito
Quero só recostar no teu peito
Pra pedir pra você ir lá em casa
E brincar de vovô com meu filho
No tapete da sala de estar

Pai
Você foi meu herói, meu bandido
Hoje é mais muito mais que um amigo
Nem você, nem ninguém tá sozinho
Você faz parte desse caminho
Que hoje eu sigo em paz

Um forte abraço a todos!

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

CD Paulo Ricardo Novo álbum

Ano passado Paulo Ricardo presenteou seus fãs com um novo álbum contendo canções inéditas e o título não poderia ser mais sugestivo, além da capa que traz um de seus filhos. Outro filho, no caso, filha é homenageada pela faixa carro-chefe do CD, Isabela.

E neste novo trabalho temos a musicalidade atual do Paulo que há dez anos não lançava novos trabalhos assim. Do dançante ao rock, temos as faixas Novo single, Raios X, Como você, Sexy, Eu e você, Tanta coisa, Eu não sei, Vida nova, Juntos e uma nova versão de Vida real, tema do Big brother.

Vale a pena adquirir um trabalho de um artista que sempre busca se renovar, sem perder aquela raiz de roqueiro dos anos 80, com a sabedoria que a maturidade lhe oferece para produzir bons trabalhos, tão escassos em dias atuais.

Um forte abraço a todos!

domingo, 6 de agosto de 2017

♫Dizem (Quem me dera)♫

Essa canção é uma belíssima reflexão gravada pela Marisa Monte em seu mais recente CD ao vivo. Descobri que Arnaldo Antunes, um de seus compositores, também a gravou. E ao ouví-la, penso logo no planeta terra, em seus habitantes e todo conjunto de sentimentos que habitam este lugar que, por muitas vezes, parece ser uma limitação humana e de seus sentimentos.

A letra de Dizem nos faz refletir em cima de nossos avanços, conquistas e até onde podemos chegar. Os desafios de superarmos não apenas distâncias intergaláticas, mas também nossas próprias limitações humanas em acabarmos com essa violência que nos extermina a cada instante e assim podermos construir pontes de paz com nossas filiais.

Dizem (Quem me dera)
Arnaldo Antunes, Dadi Carvalho e Marisa Monte

O mundo está bem melhor
Do que há cem anos atrás, dizem
Morre muito menos gente
As pessoas vivem mais

Ainda temos muita guerra
Mas todo mundo quer paz, dizem
Tantos passos adiante
E apenas alguns atrás

Já chegamos muito longe
Mas podemos muito mais, dizem
Encontrar novos planetas
Pra fazermos filiais

Quem me dera
Não sentir mais medo
Quem me dera
Não me preocupar

Temos inteligência
Pra acabar com a violência, dizem
Cultivamos a beleza,
Arte e filosofia

A modernidade agora
Vai durar pra sempre, dizem
Toda a tecnologia
Só pra criar fantasia

Deuses e ciência
Vão se unir na consciência, dizem
Vivermos em harmonia
Não será só utopia

Quem me dera
Não sentir mais medo
Quem me dera
Não me preocupar

Quem me dera
Não sentir mais medo algum

Um forte abraço a todos!

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Os Intérpretes do Brasil - 54

Daniel tem uma carreira bastante sólida, sobretudo como intérprete por excelência. E não poderia faltar nesta série onde destacamos algumas de suas lapidações. A primeira que destaco é Adoro amar você, o primeiro sucesso de sua carreira solo, que todos sabem ser da autoria do Peninha, mas que Daniel imortalizou para o Brasil.

Quando ainda estava em dupla com seu inesquecível parceiro João Paulo, também lançaram um grande sucesso, a versão Estou apaixonado, o maior sucesso da dupla e que sempre será associada à sua voz. Gosto muito também da canção Pra falar a verdade, menos conhecida de seu repertório e também lá de seu primeiro CD solo.

Mas, pra ficar apenas em três como são as regras dessa postagem é algo difícil, pois Daniel já cantou muito bem clássicos sertanejos como Romaria ou Saudade da minha terra, canções de Roberto ou de Julio como Do fundo do meu coração ou Viver a vida, ou outros sucessos de seu próprio repertório como Vai dar samba, Quando o coração se apaixona e tantos outros que justificam o grande intérprete que temos!

Um forte abraço a todos!

domingo, 30 de julho de 2017

♫Sei lá (a vida tem sempre razão)♫

Gol de placa da dupla Toquinho e Vinícius de Moraes, interpretado por grandes nomes da nossa música, entre eles seus autores, Tom Jobim, Chico Buarque, Miúcha, esta canção foi tema de abertura de novela global Viver a vida e engloba um dos grandes clássicos da dupla Toquinho/Vinícius.

A letra de Sei lá é uma reflexão sobre a vida, sobre as contrariedades e adversidades da vida, recheada de frases de efeito e de um senso de equilíbrio entre coisas positivas e negativas para seguirmos de forma serena, acreditando e curtindo o que de melhor temos dessa nossa vida!

Sei lá
Toquinho e Vinícius de Moraes

Tem dias que eu fico pensando na vida
E sinceramente não vejo saída
Como é, por exemplo que dá pra entender
A gente mal nasce, começa a morrer

Depois da chegada vem sempre a partida
Porque não há nada sem separação

Sei lá, sei lá
A vida é uma grande ilusão
Sei lá, sei lá
Só sei que ela está com a razão

Ninguém nunca sabe que males se apronta
Fazendo de conta, fingindo esquecer
Que nada renasce antes que se acabe
E o sol que desponta tem que anoitecer

De nada adianta ficar-se de fora
A hora do sim é um descuido do não

Sei lá, sei lá
Só sei que é preciso paixão
Sei lá, sei lá
A vida tem sempre razão

Um forte abraço a todos!

quarta-feira, 26 de julho de 2017

♪Partituras musicais dos fãs - 32 - Renato Gianerinni♪

A série Partituras musicais volta em 2017 com alguns amigos e entre eles, apareceu um que perguntou como faria para participar da série porque gostaria de ser um dos temas abordados. Alegria grande conhecer Renato Gianerinni, através do facebook e poder contar com algumas de suas opiniões sobre a música brasileira, e em especial, sobre obra do Roberto Carlos.

Renato é natural de São Gonçalo e reside atualmente em Itaboraí, ambas no Rio de Janeiro. Bom menino, religioso, apreciador sobretudo de vinil e sempre posta alguma pérola da obra do rei ou de outros artistas que aprecia, compartilhando seus conhecimentos, o que podemos comprovar na entrevista que se segue:

1 - Uma música?

♪Emoções (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1981). 

2 - Um momento musical inesquecível? 

♪A Parceria com Erasmo Carlos no clipe "Sentado A Beira do Caminho" 

3 - Qual show do Roberto gostaria de ter visto e não pode ver?

♪Essa é bem difícil, mas vamos lá: O Especial de Fim de Ano de 2016 

4 - O que coleciona em termos de música brasileira? 

♪Coleciono discos de vinil, fita cassete, Cd's... 

5 – Tem alguma experiência como músico? 

♪Não 

6 – Você também é fã do Eduardo Lages? 

♪Sim 

7 – O que gostaria que o maestro gravasse em futuros projetos? 

♪As releituras feitas do cantor lançadas nos discos da "Orquestra Brasileira de Espetáculos". 

8 - Um compositor brasileiro? 

♪Erasmo Carlos 

9 - Um músico brasileiro? 

♪Ronaldo Bôscoli 

10 - O arranjo que mais aprecia em alguma canção nacional? 

♪Na música "E Por Isso Estou Aqui"

11 - Cite três discos que escuta sem pular nenhuma faixa. (pode ser do rei ou de outros artistas também)

♪A Guerra dos Meninos (1980), Emoções (1981) e Caminhoneiro (1984). 

12 - O que gostaria de ouvir Roberto cantar em seus shows? 

♪"O Mexerico da Candinha". 

13 - Seu especial de fim de ano favorito? 

♪O Especial de 1992, ano em que nasci. 

14 - Um dueto inesquecível desses especiais? 

♪Fagner e o Roberto cantando "Mucuripe", em 1991.

15 - Quem ainda merecia ser convidado para o especial de fim de ano? 

♪Zizi Possi, poderia ir novamente, mesmo já tendo ido em 1982.

16 - Qual dueto em disco gostaria de ver com Roberto?

♪com a Simone. 

17 - Além do rei, quais outros artistas aprecia na música brasileira? 

♪Alcione, Benito de Paula, Paul Mauriat, Zezé di Camargo & Luciano, Zizi Possi e entre outros (menos os atuais). 

18 - Um trecho de uma canção? 

♪"Se chorei ou se sorri,o importante é que emoções eu vivi".  Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1981.

19 - Como define Roberto Carlos? 

♪ Um cantor extraordinário, que com o sentimento de seu coração, conseguiu conquistar o público com suas musicas. 

20 - Quem você sugere para entrevistarmos nesta série? 

♪Nando Carlos (Fernando Carlos Gama)

Amigo, obrigado por sua participação, por sua requisição em querer participar de algo que é tão simples, mas que envolve muitos de nossos amigos que, assim como você, aceitam humildemente nos mostrar um pouco sobre o que sabem da nossa música!

Um forte abraço a todos!

domingo, 23 de julho de 2017

♫Olhos coloridos♫

Sempre defendo em algumas postagens que artistas como Sandra de Sá deveriam ter mais espaço na mídia para que as pessoas, sobretudo novas gerações, percebessem o conteúdo de sua fantástica obra. Esta é uma dessas pérolas, canção que une todo gingado da miscigenação brasileira, seja na raça ou na musicalidade, difundindo a diversidade brasileira tão rica.

Olhos coloridos foi lançada no início dos anos 80 e em época de "chapinha" e de um preconceito racial ainda existente, torna-se sempre atual. Fora isso, a levada, as frases luxuosas dos metais, os backing vocais e claro, a interpretação da diva Sandra de Sá tornam essa canção imprescindível aos ouvidos de quem deseja conhecer um pouco da cultura brasileira.

Olhos coloridos
Macau

Os meus olhos coloridos
Me fazem refletir
Eu estou sempre na minha
E não posso mais fugir

Meu cabelo enrolado
Todos querem imitar
Eles estão baratinados
Também querem enrolar

Você ri da minha roupa
Você ri do meu cabelo
Você ri da minha pele
Você ri do meu sorriso

A verdade é que você
Tem sangue crioulo
Tem cabelo duro
Sarará crioulo

Sarará crioulo (sarará crioulo)
Sarará crioulo (sarará crioulo)
Sarará crioulo (sarará crioulo)
Sarará crioulo (sarará crioulo)

Um forte abraço a todos!

quarta-feira, 19 de julho de 2017

CD Ângela Maria e as canções de Roberto e Erasmo

Um grande presente para a música brasileira, saindo do forno este novo CD da nossa Ângela Maria, em que interpreta só canções de Roberto e Erasmo, dois de seus seguidores, fãs, de quem também tornou-se fã, no decorrer dos anos. O próprio Erasmo participa dividindo os vocais na faixa Sentado à beira do caminho. Um dueto póstumo com Cauby Peixoto também se faz presente na faixa Como é grande o meu amor por você, em fonograma de uma gravação ocorrida em 2013.

Com repertório predominante da década de 70, época considerada mais fértil da dupla, haja vista os grandes sucessos, hoje clássicos, Ângela nos presenteia com pérolas como Você em minha vida, Sua estupidez, Desabafo, Não se esqueça de mim, Despedida, Eu disse adeus, Jovens tardes de domingo e O show já terminou, além das já citadas.

Para abrilhantar ainda mais este projeto, poderíamos ter um novo dueto com o rei, como aconteceu em 1995 na faixa Desabafo, que aqui temos uma gravação inédita apenas com a voz da sapoti. Se ela será uma das convidadas do especial de final de ano, não sabemos, mas que temos um luxuoso presente para todos nós, vindo de seus mais de 80 anos de glória na música brasileiro, isso nunca podemos negar, pois mesmo sem tanta potência vocal como antes, temos aqui a marca Ângela Maria em clássicos que amamos, produzindo uma combinação perfeita!

Um forte abraço a todos!

domingo, 16 de julho de 2017

♫As cidades cantadas - 18♫

A série que homenageia as cidades brasileiras volta este ano com uma belíssima cidade que também só conheci este ano e fiquei maravilhado: Campina Grande, no interior da Paraíba. Considerada dona de uma das melhores festas juninas do planeta, juntamente com Caruaru, descobri que possui várias homenagens através de nossa música.

De Elba Ramalho até Luiz Gonzaga, passando por Marinês e até por Marcos Valle, muitos já cantaram esta cidade que embeleza o interior do país. E é com Jackson do Pandeiro e sua Alô Campina Grande que rendemos nossa singela homenagem a uma das cidade mais lindas e cantadas deste país!

Alô Campina Grande
Severino Ramos

Alô Alô minha Campina Grande
Quem te viu e quem te vê
Não te conhece mais
Campina grande ta bonita, ta mudada
Muito bem organizada, cheia de cartaz

Recebe turista o ano inteirinho
Ao seu visitante trata com carinho
Quem vai a Campina, pede pra ficar
Tem muita menina pra se namorar
E se amarra na garota, não sai mais de lá

Ô não sai mais de lá, Ô não sai mais de lá
E se visita Zé Pinheiro não sai mais de lá
Ô não sai mais de lá, Ô não sai mais de lá
E se tomar cana da boa não sai mais de lá

Um forte abraço a todos!

domingo, 9 de julho de 2017

♫O mundo é um moinho♫

A sabedoria dos artistas está além da forma como interpretam aquilo que cantam e/ou compõem. Um grande exemplo disso é esta pérola do Cartola, já interpretada por tantos outros grandes intérpretes como Cazuza, Joanna, Beth Carvalho, Ney Matogrosso, dentre outros. Uma canção bastante atual, embora hoje em dia são raras as coisas escritas assim, com a mesma carga de grandes sentimentos e inteligência na construção da letra.

O mundo é um moinho fala de uma precipitação, algo que está acontecendo sem pensar, muito cedo. Alguém que aparenta pouca idade e experiência e já quer ganhar o mundo em busca de novas aventuras ou desilusões. E este equilíbrio que a letra sugere como rumo ideal está não apenas nos quatro versos, mas também no violão, na calma de quem canta e convence quem ouve. Mágicas da música.

O mundo é um moinho
Cartola

Ainda é cedo, amor
Mal começaste a conhecer a vida
Já anuncias a hora de partida
Sem saber mesmo o rumo que irás tomar

Preste atenção, querida
Embora eu saiba que estás resolvida
Em cada esquina cai um pouco a tua vida
Em pouco tempo não serás mais o que és

Ouça-me bem, amor
Preste atenção, o mundo é um moinho
Vai triturar teus sonhos, tão mesquinhos
Vai reduzir as ilusões a pó

Preste atenção, querida
De cada amor tu herdarás só o cinismo
Quando notares estás à beira do abismo
Abismo que cavaste com os teus pés

Um forte abraço a todos!

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Embalagem inteligente epack

Estão lançando vários CD´s com este tipo de embalagem. Roberto Carlos não foi o pioneiro, mas é o exemplo mais representativo dos últimos meses. Seu novo EP veio neste formato de embalagem, chamada de Epack, tida como embalagem inteligente e mais econômica. Já tinha visto alguns poucos títulos com este formato, mas depois dele, já vi outros artistas aderindo e lançando seus produtos assim, bem como coletâneas sendo relançadas já no Epack.

Entendo que a pirataria é uma praga que acabou  com as gravadoras, com artistas, com lojas do ramo, como já falei anteriormente. E sei que o preço dos CD´s estão meio que congelados pra não competir com os piratas, embora perceba que CD´s estão assim meio que como os vinis, virando artigos raros e de luxo.

Mas, considero esse tipo de lançamento em que o CD vem dentro de uma "caixinha de papelão", como eram vendidos os antigos CD´s virgens, um empobrecimento do produto, diminuindo aquele prazer em ter um álbum de determinado artista, que continha fotos, letras, informações técnicas, além da mídia em si. Torço pra que isso seja apenas uma tentativa de encontrar uma saída para essa arte tão almejada por colecionadores que ainda consideram disco como sendo cultura.

Um forte abraço a todos!

domingo, 2 de julho de 2017

♫Caminhos cruzados♫

As canções de Tom Jobim são apaixonantes e aqui temos um clássico que conheci pela gravação da Gal Costa e que depois descobri que muitas outras pessoas já interpretaram: Caetano Veloso, Vanessa da Mata, Ivan Lins, Zizi Possi, João Bosco estão entre os nomes que já deram sua lapidação a esta perfeita pérola.

Pudera, uma letra completa que fala de dois personagens maduros, que conhecem o amor e o que ele pode lhes proporcionar de bom e de aprendizado, por isso incentiva a uma nova sensação, aventura ou ilusão, destacando que é importante sempre tentar, mesmo que o sofrimento que tanto dói, também contribua para o crescimento humano.

Caminhos cruzados
Tom Jobim

Quando um coração que está cansado de sofrer,
Encontra um coração também cansado de sofrer,
É tempo de se pensar,
Que o amor pode de repente chegar

Quando existe alguém que tem saudade de outro alguém
E esse outro alguém não entender,
Deixa esse novo amor chegar,
Mesmo que depois seja imprescindível chorar.

Que tolo fui eu que em vão tentei raciocinar
Nas coisas do amor que ninguém pode explicar!
Vem, nós dois vamos tentar...
Só um novo amor pode a saudade apagar.

Um forte abraço a todos!

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Os Músicos do Brasil - 67

Esta é uma das grandes sanfoneiras da atualidade. Podemos classificá-la como professora de muitos nomes hoje famosos aqui no Nordeste. Natural de Salgueiro/PE, a série Os Músicos homenageia hoje não apenas uma artista dedicada à sanfona, mas também a transferir este ofício a outros que se interessam por ela e que seguem o caminho trilhado pelas notas deste instrumento.

Terezinha do acordeon é uma verdadeira escola viva, pois por ela já passaram nomes como Cezinha e Beto Ortiz, por exemplo, que hoje batalham por suas carreiras. Ela também já tocou com nomes como Dominguinhos, Elba Ramalho, Nando Cordel, entre outros.

Com alguns discos já lançados, Terezinha ergue a bandeira do autêntico forró e o que aprendeu na escola Gonzaga, transfere para outros, podendo ser considerada uma das melhores, se não, a melhor professora de sanfona deste país!

Um forte abraço a todos!

domingo, 25 de junho de 2017

♫Casa abandonada♫

De Alcymar Monteiro curto bastante algumas canções românticas e em especial esta em que mistura guitarra e sanfona em algumas frases musicais. O clipe que passava na época em que foi lançada, em 2001, também era bastante legal, onde retratava junto, com sua letra, imagens bastante regionais.

A letra de Casa abandonada fala de saudade na parte mais profunda da alma. Aquela saudade sem cura, naquele personagem que repara pela janela, nos caminhos mais distantes, na esperança da volta que devolve o brilho ao olhar. As prosopopeias em volta da rede, roseira, do passarinho, da casa, enfim tornam esse clima nordestino ainda mais vibrante nesta bela canção de Alcymar.

Casa abandonada
Alcymar Monteiro

Saudade meu bem saudade
Saudade do meu amor
Que um dia foi sim bora
Nenhuma carta deixou

Passo o dia na janela tentando desparecer
Cominando, relembrando, rebuscando
Me perco te procurando me lembrando de esquecer
O tempo todo, todo tempo só pensando
Me pego me perguntando onde andara você

A rede armada balançando sem ninguém
Nossa casa abandonada pergunta quando cê vem
Nossa roseira já morreu de solidão
Tal e qual meu coração
Também não tem mais ninguém
O passarinho lá na copa do moquém
Vive cantando vem vem
Todo o dia, o dia todo
Chamando e você não vem

Um forte abraço a todos!

domingo, 18 de junho de 2017

♫Lembrança de um beijo♫

Gosto muito quando algum artista que possui alcance nacional grava algo aqui do Nordeste para o Brasil inteiro ouvir. Fagner faz isso muito bem e acho que outros artistas poderiam prestar mais atenção a grandes pérolas que possuímos. E talvez pelas raízes, nosso cearense seja mestre nessa modalidade.

Lembrança de um beijo foi gravada naquele grande disco de 1994 em que ele canta vários sucessos deste ritmo. Antes, já havia sido cantada por Santanna, o cantador. Está entre as minhas preferidas do grande e saudoso Accioly Neto e também do Fagner em ritmo de forró. Sua letra fala do cabra forte, valente, bem sucedido, que se desmancha em lágrimas pela saudade que percorre suas veias, pela lembrança de um beijo inesquecível.

Lembrança de um beijo
Accioly Neto

Quando a saudade invade o coração da gente
Pega a veia onde corria um grande amor
Não tem conversa nem cachaça que de jeito
Nem um amigo do peito que segure o chororô

Que segure o chororô
Que segure o chororô...

Saudade já tem nome de mulher
Só pra fazer do homem o que bem quer
Saudade já tem nome de mulher
Só pra fazer do homem o que bem quer

O cabra pode ser valente e chorar
Ter meio mundo de dinheiro e chorar
Ser forte que nem sertanejo e chorar
Só na lembrança de um beijo, chorar...

Um forte abraço a todos!