quarta-feira, 24 de maio de 2017

CD Rita Lee MTV ao vivo

A MTV não oferecia apenas grandes projetos acústicos, que poderiam ser ao vivo ou em estúdio. Também havia o projeto ao vivo em que determinado artista gravava seu atual show. E grandes nomes participaram destas edições como foi o caso da Rita Lee, que fez seu acústico em 1997 e seu Rita Lee ao vivo MTV em 2004.

Baseado na turnê Balacobaco, que a Rita fazia na época, saiu em CD/DVD e foi exibido pela extinta emissora. Mesclando sucessos antigos e recentes. alguns há muito tempo não cantados, convidados e também duas canções inéditas: Meio fio e Coração babão, temos no CD as canções Saúde, Mamãe natureza, Esse tal de roque enrow (com Pitty), Amor e sexo, Panis et circenses, Lucy in the sky with diamonds, Pagu (com Zélia Duncan), Baila comigo, Caso sério, Eu quero ser sedado, Ando jururu e Tudo vira bosta.

Apenas nos DVD temos ainda Nem luxo nem lixo, Quando te vejo, Doce vampiro, Ovelha negra, Caso sério e Lança perfume. Este pode não ser o melhor trabalho da Rita ao vivo, mas dá pra matar as saudades da Zorra, sobretudo depois de vermos a mais recente entrevista dela ao programa do Bial, quando esta saudade aumentou.

Um forte abraço a todos!

domingo, 21 de maio de 2017

♫Amado♫

Essa é daquelas românticas pra quem curte uma voz calma e suave como é o som produzido por Vanessa da Mata, nesta composição em parceria com Marcelo Jeneci. Tema da novela global A favorita, é uma belíssima balada que, a meu ver, não combinou com a versão remix.

A letra de Amado fala sobre aquele amor platônico de alguém que deseja, sonha com outro alguém que não possui e que, mesmo sugerindo a união como um ápice, sofre por isso não acontecer e talvez nunca aconteça. E quem nunca viveu um amor platônico assim, mesmo sabendo que eles são muito melhores nos sonhos que na realidade? Essa identificação é mais uma característica que a boa música brasileira tem com seu público.

Amado
Vanessa da Mata e Marcelo Jeneci

Como pode ser gostar de alguém
E esse tal alguém não ser seu
Fico desejando nós, gastando o mar
Pôr-do-sol, postal, mais ninguém

Peço tanto a Deus
Para lhe esquecer
Mas só de pedir me lembro
Minha linda flor
Meu jasmim será
Meus melhores beijos serão seus

Sinto que você é ligado a mim
Sempre que estou indo, volto atrás
Estou entregue a ponto de estar sempre só
Esperando um sim ou nunca mais

É tanta graça lá fora passa
O tempo sem você
Mas pode sim
Ser sim amado e tudo acontecer

Sinto absoluto o dom de existir
Não há solidão, nem pena
Nessa doação, milagres do amor
Sinto uma extensão divina

É tanta graça lá fora passa
O tempo sem você
Mas pode sim
Ser sim amado e tudo acontecer
Quero dançar com você
Dançar com você
Quero dançar com você
Dançar com você

Um forte abraço a todos!

domingo, 14 de maio de 2017

♫Dona do horizonte♫

Dia das mães e nada melhor que vivenciar esta data com canções tão cheias de amor e sensibilidade como são esses anjos maternos. Djavan, em seu mais recente CD, escreveu sua homenagem a elas, contando como era seu relacionamento com sua mãe, pedra fundamental em sua formação, segundo relata nesta belíssima letra.

Dona do horizonte resume um menino que nem sabia por onde ir, mas que era privilegiado por ser guiado por alguém que já sentia os aplausos a seu rebento. E, dessa forma, proporcionava aos ouvidos e conhecimentos do futuro astro só enciclopédias da nossa música, sucessos da época como Orlando Silva, nosso Luiz Gonzaga e Dalva de Oliveira e Ângela Maria, sem o devido cuidado com os estudos. Djavan retribui com essa pérola de canção e com algumas frases simples, sucintas, mas precisas como: "mãe é o nome do amor"! E está certíssimo. 

Dona do horizonte
Djavan

Eu já nasci
Minha mãe quem diz
Predestinado ao canto
Ela falou
Que eu tinha o dom
Quando eu estava
Na soleira
Dos meus poucos anos!

Foi indo assim, quando dei por mim
Já não fazia outra coisa
Cantava ali, só pra ela ouvir
E me dizer coisas tão boas
Por exemplo:

Quero vê-lo o mais querido
Como nosso Orlando
Hei de ler seu nome escrito
Em placa de avenida

Não vai mudar, toda mãe é assim
Mãe é o nome do amor!

Logo cresci
Minha mãe ali
Dona do horizonte
Me fez ouvir
Dalva de Oliveira
E Ângela Maria todo dia
Deusas que adorava

Tinha prazer
Em me levar pra ver
Luiz Gonzaga cantar
Não sem deixar
De advertir
Pra que eu estudasse sempre mais
E sem descanso

Quero vê-lo o mais querido
Como nosso Orlando
Hei de ler seu nome escrito
Em placa de avenida
Não vai mudar, toda mãe é assim
Mãe é o nome do amor!

Um forte abraço a todos!

quarta-feira, 10 de maio de 2017

CD Milton Nascimento E a gente sonhando

Milton Nascimento é um dos artistas que continuam a produzir coisas boas, mesmo com o passar do tempo. Em 2010, por exemplo, lança este projeto que reúne novas canções e algumas regravações, juntamente com novos músicos parceiros e alguns antigos, como é o caso do amigo Wagner Tiso.

Nas regravações temos Raras maneiras (que Simone já havia gravado), Resposta ao tempo (gravada pela Nana Caymmi), Adivinha o quê? (do Lulu Santos) e O sol (do Jota Quest), além de E a gente sonhando, Me faz bem (sua, mas gravada anteriormente por Gal Costa), Espelho de nós (também sua e gravada anteriormente pela Simone) e Amor do céu amor do mar (que o próprio Milton havia gravado antes). Um ponto também interessante é o fato do disco contar com um coral formado por jovens da cidade mineira de Três Pontas, selecionados pelo próprio Milton.

Completam o repertório a belíssima Estrela estrela, além de Flor de Ingazeira, O ateneu, Do samba do jazz do menino e do bueiro, Gota de primavera, Sorriso, Olhos do mundo e Pescador. A bela voz do Milton, em arranjos delicados que podem não representar clássicos em seu repertório, mas que sempre serão agradáveis a quem curte um bom CD de música brasileira.

Um forte abraço a todos!

domingo, 7 de maio de 2017

♫Apenas um rapaz latino americano♫

E há uma semana Belchior nos deixou. Antes dele, Jerry; nestes últimos dias, Guineto. E como é o artista, vai, mas fica. Isso porque alguma coisa ele nos disse que aprendemos, refletimos e depois esquecemos e depois revivemos e assim segue algo cíclico que podemos chamar de vida. Nunca ouvi muito nenhum dos três, mas esta canção do Belchior tocou bastante nesses dias e parei pra prestar atenção nela.

Aliás, frases de efeitos é o que não falta. Quantos rapazes vindos do interior já não se identificaram com este clássico, mesmo sem parentes importantes ou sem dinheiro? Este êxodo foi e continua sendo tão comum, mesmo 40 anos depois do lançamento desta pérola. E podemos passar desapercebido dos questionamentos de sua obra, de letras tão extensas e sempre reflexivas? Não nos prenderemos a nostalgias, pois tudo muda e com toda razão e, se ao vivo, é mesmo pior, vamos ao menos agradecer por tais palavras que cantadas nunca ferirão quem se identificar com elas.

Apenas um rapaz latino americano
Antônio Carlos Belchior

Eu sou apenas um rapaz
Latino-Americano
Sem dinheiro no banco
Sem parentes importantes
E vindo do interior

Mas trago de cabeça
Uma canção do rádio
Em que um antigo
Compositor baiano
Me dizia
Tudo é divino
Tudo é maravilhoso

Tenho ouvido muitos discos
Conversado com pessoas
Caminhado meu caminho
Papo, som, dentro da noite
E não tenho um amigo sequer
Que ainda acredite nisso não
Tudo muda!
E com toda razão

Eu sou apenas um rapaz
Latino-Americano
Sem dinheiro no banco
Sem parentes importantes
E vindo do interior

Mas sei
Que tudo é proibido
Aliás, eu queria dizer
Que tudo é permitido
Até beijar você
No escuro do cinema
Quando ninguém nos vê

Não me peça que eu lhe faça
Uma canção como se deve
Correta, branca, suave
Muito limpa, muito leve
Sons, palavras, são navalhas
E eu não posso cantar como convém
Sem querer ferir ninguém

Mas não se preocupe meu amigo
Com os horrores que eu lhe digo
Isso é somente uma canção
A vida realmente é diferente
Quer dizer
Ao vivo é muito pior

E eu sou apenas um rapaz
Latino-Americano
Sem dinheiro no banco
Por favor
Não saque a arma no "saloon"
Eu sou apenas o cantor

Mas se depois de cantar
Você ainda quiser me atirar
Mate-me logo!
À tarde, às três
Que à noite
Tenho um compromisso
E não posso faltar
Por causa de vocês

Eu sou apenas um rapaz
Latino-Americano
Sem dinheiro no banco
Sem parentes importantes
E vindo do interior
Mas sei que nada é divino
Nada, nada é maravilhoso
Nada, nada é secreto
Nada, nada é misterioso, não

Um forte abraço a todos!

quarta-feira, 3 de maio de 2017

CD Sérgio Reis & convidados

Um dos melhores discos do Sérgio Reis, se não, o melhor é este aqui, lançado em 2000, com grandes sucessos e grandes amigos convidados a dividir algumas faixas. O medley formado por Panela velha e Pinga ni mim abre o trabalho que traz logo em seguida a dupla Chitãozinho & Xororó no clássico O menino da porteira.

Outro clássico, Saudade da minha terra vem na sequência e, posteriormente temos a participação de Zezé di Camargo & Luciano na faixa Todas as manhãs, de Roberto e Erasmo. Depois da canção O menino da gaita, mais um medley formado por Cabecinha no ombro e Meu primeiro amor, com Roberta Miranda. Mais um medley com as canções Chico Mineiro e Chalana. 

Temos ainda Comitiva esperança, Filho adotivo, Maluco pelo Rio Grande, O caminho de partir é o mesmo de voltar, Nada me consola, além dos duetos com Reginaldo Rossi em Coração de papel e, Djavan em Estória de cantador. Para quem curte o som de um verdadeiro sertanejo raiz, tá aqui uma pérola que não pode faltar em qualquer coleção.

Um forte abraço a todos!