quarta-feira, 19 de julho de 2017

CD Ângela Maria e as canções de Roberto e Erasmo

Um grande presente para a música brasileira, saindo do forno este novo CD da nossa Ângela Maria, em que interpreta só canções de Roberto e Erasmo, dois de seus seguidores, fãs, de quem também tornou-se fã, no decorrer dos anos. O próprio Erasmo participa dividindo os vocais na faixa Sentado à beira do caminho. Um dueto póstumo com Cauby Peixoto também se faz presente na faixa Como é grande o meu amor por você, em fonograma de uma gravação ocorrida em 2013.

Com repertório predominante da década de 70, época considerada mais fértil da dupla, haja vista os grandes sucessos, hoje clássicos, Ângela nos presenteia com pérolas como Você em minha vida, Sua estupidez, Desabafo, Não se esqueça de mim, Despedida, Eu disse adeus, Jovens tardes de domingo e O show já terminou, além das já citadas.

Para abrilhantar ainda mais este projeto, poderíamos ter um novo dueto com o rei, como aconteceu em 1995 na faixa Desabafo, que aqui temos uma gravação inédita apenas com a voz da sapoti. Se ela será uma das convidadas do especial de final de ano, não sabemos, mas que temos um luxuoso presente para todos nós, vindo de seus mais de 80 anos de glória na música brasileiro, isso nunca podemos negar, pois mesmo sem tanta potência vocal como antes, temos aqui a marca Ângela Maria em clássicos que amamos, produzindo uma combinação perfeita!

Um forte abraço a todos!

domingo, 16 de julho de 2017

♫As cidades cantadas - 18♫

A série que homenageia as cidades brasileiras volta este ano com uma belíssima cidade que também só conheci este ano e fiquei maravilhado: Campina Grande, no interior da Paraíba. Considerada dona de uma das melhores festas juninas do planeta, juntamente com Caruaru, descobri que possui várias homenagens através de nossa música.

De Elba Ramalho até Luiz Gonzaga, passando por Marinês e até por Marcos Valle, muitos já cantaram esta cidade que embeleza o interior do país. E é com Jackson do Pandeiro e sua Alô Campina Grande que rendemos nossa singela homenagem a uma das cidade mais lindas e cantadas deste país!

Alô Campina Grande
Severino Ramos

Alô Alô minha Campina Grande
Quem te viu e quem te vê
Não te conhece mais
Campina grande ta bonita, ta mudada
Muito bem organizada, cheia de cartaz

Recebe turista o ano inteirinho
Ao seu visitante trata com carinho
Quem vai a Campina, pede pra ficar
Tem muita menina pra se namorar
E se amarra na garota, não sai mais de lá

Ô não sai mais de lá, Ô não sai mais de lá
E se visita Zé Pinheiro não sai mais de lá
Ô não sai mais de lá, Ô não sai mais de lá
E se tomar cana da boa não sai mais de lá

Um forte abraço a todos!

domingo, 9 de julho de 2017

♫O mundo é um moinho♫

A sabedoria dos artistas está além da forma como interpretam aquilo que cantam e/ou compõem. Um grande exemplo disso é esta pérola do Cartola, já interpretada por tantos outros grandes intérpretes como Cazuza, Joanna, Beth Carvalho, Ney Matogrosso, dentre outros. Uma canção bastante atual, embora hoje em dia são raras as coisas escritas assim, com a mesma carga de grandes sentimentos e inteligência na construção da letra.

O mundo é um moinho fala de uma precipitação, algo que está acontecendo sem pensar, muito cedo. Alguém que aparenta pouca idade e experiência e já quer ganhar o mundo em busca de novas aventuras ou desilusões. E este equilíbrio que a letra sugere como rumo ideal está não apenas nos quatro versos, mas também no violão, na calma de quem canta e convence quem ouve. Mágicas da música.

O mundo é um moinho
Cartola

Ainda é cedo, amor
Mal começaste a conhecer a vida
Já anuncias a hora de partida
Sem saber mesmo o rumo que irás tomar

Preste atenção, querida
Embora eu saiba que estás resolvida
Em cada esquina cai um pouco a tua vida
Em pouco tempo não serás mais o que és

Ouça-me bem, amor
Preste atenção, o mundo é um moinho
Vai triturar teus sonhos, tão mesquinhos
Vai reduzir as ilusões a pó

Preste atenção, querida
De cada amor tu herdarás só o cinismo
Quando notares estás à beira do abismo
Abismo que cavaste com os teus pés

Um forte abraço a todos!

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Embalagem inteligente epack

Estão lançando vários CD´s com este tipo de embalagem. Roberto Carlos não foi o pioneiro, mas é o exemplo mais representativo dos últimos meses. Seu novo EP veio neste formato de embalagem, chamada de Epack, tida como embalagem inteligente e mais econômica. Já tinha visto alguns poucos títulos com este formato, mas depois dele, já vi outros artistas aderindo e lançando seus produtos assim, bem como coletâneas sendo relançadas já no Epack.

Entendo que a pirataria é uma praga que acabou  com as gravadoras, com artistas, com lojas do ramo, como já falei anteriormente. E sei que o preço dos CD´s estão meio que congelados pra não competir com os piratas, embora perceba que CD´s estão assim meio que como os vinis, virando artigos raros e de luxo.

Mas, considero esse tipo de lançamento em que o CD vem dentro de uma "caixinha de papelão", como eram vendidos os antigos CD´s virgens, um empobrecimento do produto, diminuindo aquele prazer em ter um álbum de determinado artista, que continha fotos, letras, informações técnicas, além da mídia em si. Torço pra que isso seja apenas uma tentativa de encontrar uma saída para essa arte tão almejada por colecionadores que ainda consideram disco como sendo cultura.

Um forte abraço a todos!

domingo, 2 de julho de 2017

♫Caminhos cruzados♫

As canções de Tom Jobim são apaixonantes e aqui temos um clássico que conheci pela gravação da Gal Costa e que depois descobri que muitas outras pessoas já interpretaram: Caetano Veloso, Vanessa da Mata, Ivan Lins, Zizi Possi, João Bosco estão entre os nomes que já deram sua lapidação a esta perfeita pérola.

Pudera, uma letra completa que fala de dois personagens maduros, que conhecem o amor e o que ele pode lhes proporcionar de bom e de aprendizado, por isso incentiva a uma nova sensação, aventura ou ilusão, destacando que é importante sempre tentar, mesmo que o sofrimento que tanto dói, também contribua para o crescimento humano.

Caminhos cruzados
Tom Jobim

Quando um coração que está cansado de sofrer,
Encontra um coração também cansado de sofrer,
É tempo de se pensar,
Que o amor pode de repente chegar

Quando existe alguém que tem saudade de outro alguém
E esse outro alguém não entender,
Deixa esse novo amor chegar,
Mesmo que depois seja imprescindível chorar.

Que tolo fui eu que em vão tentei raciocinar
Nas coisas do amor que ninguém pode explicar!
Vem, nós dois vamos tentar...
Só um novo amor pode a saudade apagar.

Um forte abraço a todos!