domingo, 1 de abril de 2018

♫Traumas♫

E hoje, domingo de Páscoa coincidindo com primeiro de abril, num contraste entre verdade e mentira, mês do aniversário de Roberto Carlos e o Blog junta todas essas ideias em uma canção lá de 1971: Traumas. Gravada por Roberto e, mais recentemente pelo grupo Los Hermanos, é uma das pérolas esquecidas por seus autores e também por quem regrava o repertório dele, e deveria ser mais lembrada, pois possui uma letra bastante atual e reflexiva.

Traumas revela um mundo de sonhos de uma criança em contraste com a realidade de um adulto. Põe em xeque a questão de nunca mentir e até onde isso torna-se necessário e até benéfico. Fala da relação de pai e filho, dos cuidados com a vida, dos pesadelos e medos que guardamos dentro de nós e pelos quais somos tantas vezes julgados e/ou condenados. Fala de quanto poderíamos sermos pessoas melhores e essa reflexão está em dias como os de hoje e os de sempre!

Traumas
Roberto Carlos e Erasmo Carlos

Meu pai um dia me falou
Pra que eu nunca mentisse
Mas ele também se esqueceu
De me dizer a verdade

Da realidade do mundo
Que eu ia saber
Dos traumas que a gente só sente
Depois de crescer

Falou dos anjos que eu conheci
No delírio da febre que ardia
Do meu pequeno corpo que sofria
Sem nada entender

Minha mulher em certa noite
Ao ver meu sono estremecido
Falou que os pesadelos são
Algum problema adormecido

Durante o dia a gente tenta
Com sorrisos disfarçar
Alguma coisa que na alma
Conseguimos sufocar

Meu pai tentou encher de fantasia
E enfeitar as coisas que eu via
Mas aqueles anjos agora já se foram
Depois que eu cresci

Da minha infância agora tão distante
Aqueles anjos no tempo eu perdi
Meu pai sentia o que eu sinto agora
Depois que cresci

Agora eu sei o que meu pai
Queria me esconder
Às vezes as mentiras
Também ajudam a viver

Talvez um dia pro meu filho
Eu também tenha que mentir
Pra enfeitar os caminhos
Que ele um dia vai seguir

Meu pai tentou encher de fantasia
E enfeitar as coisas que eu via
Mas aqueles anjos agora já se foram
Depois que eu cresci

Da minha infância agora tão distante
Aqueles anjos no tempo eu perdi
Meu pai sentia,
Sentia o que eu sinto agora
Depois que cresci

Um forte abraço a todos!

Nenhum comentário: