sábado, 23 de dezembro de 2017

Roberto Carlos especial 2017

E ontem, dia 22, foi ao ar mais uma edição do Roberto Carlos especial, programa que desde 1974 encanta a família brasileira e carimba uma tradição natalina na telinha dos brasileiros. O rei veio de azul e branco abraçar seu público, com seus clássicos e seus inusitados convidados, quase acabando com o estoque de lenços país afora (também chorei, discretamente, mas chorei).

Mesmo a letra de Fera ferida, um dos bons resgates do repertório, dizer que ele não vai mudar, nesse show tivemos significativas mudanças: Emoções deu seu lugar de abertura à Força estranha, com direito a início à capela, para na sequência termos Amigo. Mas, o clássico que tanta gente reclama por abrir os shows teve seu momento em um trecho na voz da atriz Ísis Valverde e a deixa para Roberto cantar Sereia, sucesso da novela A força do querer.

Tiago Iorc e Roberto Carlos
Além de Fera ferida, tivemos momentos solos emocionantes com o rei resgatando clássicos como Falando sério (seguindo arranjo original), O côncavo e o convexo e apresentou um novo sucesso de seu próximo álbum em espanhol (Que yo te vea) que, não sei porque não foi exibido! Roberto ainda cantou Detalhes, Desabafo, Outra vez, Se você pensa e Cama e mesa, todas disponíveis apenas no Globo play (quase um novo especial). Com Tiago Iorc, nova promessa da música brasileira, cantou É preciso saber viver e Amei te ver.

Djavan e Roberto Carlos
Não aprecio (e isso não significa que deprecio) o trabalho de Simone e Simaria, mas gostei da participação delas e da emoção em relevar o sabor de estarem ali e cantarem com ele as canções Quando o mel é bom e Eu te amo te amo te amo. E foi com Djavan o ponto alto do show, a meu ver, pois estas duas lendas vivas nos emocionaram com Pétala e As curvas da estrada de Santos (esta bem no swing Djavan). Um outro momento descontraído foi a participação de Érika Ender, uma das compositoras de Despacito, com quem cantou esse sucesso mundial, com direito à participação luxuosa da bateria da Escola de samba Beija-flor. Por fim, Esse cara sou eu e Luz divina (que substituiu Jesus Cristo), pra encerrar o tradicional programa de final de ano que emociona esse e tantos caras e por isso agradecemos a Deus por estes e tantos grandes astros da nossa música, sobretudo por Roberto Carlos, que nos garante mais uma vez esses momentos lindos!

Um forte abraço e um Feliz Natal a todos!

5 comentários:

Julio J disse...

Excelente análise do Especial, parabéns! Achei lindo o novo arranjo de FERA FERIDA e me surpreendeu o número dele cantando a música QUANDO O MEL É BOM, ficou muito divertido. Com o DJAVAN também foi muito bom. Uma pena foi ter cortado da TV as músicas SE VOCE PENSA (com novo arranjo) e CAMA E MESA, que ficaram só no GloboPlay. Mas o Rei arrebentou mais uma vez!!!

C. Marley disse...

Nobre colega Everaldo,

Valeu pelo comentário de mais um especial do cara chamado de rei. Foi uma noite de muitas surpresas e grandes encontros. O reinado continua.

Um forte abraço

Baratta disse...

Grande Everaldo. Excelente postagem sobre o Especial. Eu queria ter feito uma postagem sobre o especial de sexta passada, mas esperei pra ver a sua primeiro, pois sou fã dos seus textos. Realmente o Especial desse ano foi diferente. Não ter começado com Emoções já fez muito fã de Roberto reclamão não dizer nada dessa vez, rs. Dos convidados, sinto a falta já faz alguns anos do Erasmo. Falando de convidados ainda, me estranha um pouco pois Roberto sempre convida cantores e cantoras que estão mais em evidência na atualidade. Hoje com a indústria fonográfica quebrada, o que faz sucesso é o que está na mídia, não mais em vendagens de discos. Despacito eu já tinha ouvido comentar, mas nunca, sim, nunca tinha ouvido. Já entrou pra lista de gênero ou música que só acabei escutando "por causa" do Roberto. Aconteceu a mesma coisa quando ele convidou o MC Leozinho em 2005 se minha memória não falha. Excelente postagem, Everaldo, parabéns.

Robert Moura disse...

Sem dúvidas, Roberto e Djavan cantando Pétala foi o grande momento do Especial. Fera Ferida, a minha canção predileta também me surpreendeu, tinha visto um setlist antes na internet, mas ela não constava. Também curti a participação da Erika Ender cantando essa música que acho que sou a única pessoa do planeta que não conhecia.

Abraço, Everaldo, feliz natal e um ano novo maravilhoso! ( e em breve te mando a entrevista!)

Baratta disse...

Opa, entrevista com o Robert Moura, tô esperando pra ver. Abraço a vocês amigos.