sábado, 6 de setembro de 2008

Eternas ondas

Amigos, a partir de hoje e semanalmente destacarei alguma letra da música brasileira, dessa melhor música do mundo que traz tanta poesia e cor em suas melodias e, também em suas letras que enriquecem nosso aprendizado. Espero contar com os comentários que, sem dúvida, contriuirão de forma positiva com cada simples mensagem em relação à tão rica poesia de qual dispomos. Hoje comentaremos um pouco sobre Eternas ondas, canção clássica do repertório do Zé Ramalho e da música brasileira.

Gravada por artistas como Fagner, Fábio Jr. e pelo próprio Zé Ramalho, Eternas ondas foi feita para o rei Roberto Carlos interpretar, fato esse contado no encarte do cd Antologia Acústica do Zé Ramalho, lançado em 1997. Zé nos relata que teve a honra de passear com o rei em seu iate particular e enviou uma canção para Roberto gravar. Mesclou seu misticismo com a religiosidade de sua majestade musical. Resultado: Uma canção carregada de metáforas que nos conta uma das passagens bíblicas mais antológicas - O Dilúvio.

A canção traz trechos que, ora mostram a natureza em fúria como em "Devastando a sêde desses matagais...", "Derrubando árvores, pensamentos, seguindo a linha...", ora as confronta com momentos de calmaria como em " E se teu amigo vento não te procurar..."! Uma das poesias mais lindas da mpb, segue letra abaixo da canção que o rei infelizmente não gravou, mas Fagner a interpretou muito bem, sobretudo na releitura feita em dueto com Fábio Jr. no cd Amigos e canções de 1998.

Eternas ondas
(Zé Ramalho)

Quanto tempo temos antes de voltarem aquelas ondas
Que vieram feito gotas em silêncio tão furioso
Derrubando homens entre outros animais
Devastando a sede desses matagais

Devorando árvores, pensamentos, seguindo a linha
do que foi escrito pelo mesmo lábio tão furioso.

E se teu amigo vento não te procurar
É porque multidões ele foi arrastar. (bis)

Um forte abraço a todos!

15 comentários:

James Lima disse...

Bicho, não conhecia essa canção. A letra é muito bonita, pena que o rei não gravou. Não conheci esse fato.

Vou procurar me informar mais.

Um abraço
James Lima
www.robertocarlos.vai.la

Carlos Marley disse...

Nobre colega Everaldo,

Esse faz parte da safra boa do Nordeste.

Um grande abraço

Juliana Moura disse...

Só gostaria de saber o motivo pelo qual Roberto Carlos não quis gravar uma música tão bonita. Achei muito curioso, principalmente porque eu não conhecia os detalhes acerca da música. Ótima idéia a tua! Espero encontrar aqui as letras de que mais gosto.

Beijos!

Tadeu Prado disse...

Já tinha ouvido falar sobre o fato de Eternas Ondas ter sido composta para o rei gravar... Só que aqui a informação está muito mais completa... parabéns mais uma vez Everaldo.

Mazé Silva disse...

Everaldo, sempre tenho passado por aqui, sem deixar o meu comentário.

Hoje, ao entrar aqui no seu cantinho, deparei-me com tanta coisa, interessante, que parei e estou a contemplar tamanha é a gendeza de suas postagens.

Essa canção Eternas Ondas, composta pelo Zé Ramalho, é uma música linda e foi uma excelente idéia você ter postado aqui, para fazermos relembrar dessa espetacular criação e que na voz de Fágner, fica deslumbrante.

A fotografia está magnífica, combinando bem com a letra da música, que é uma bela poesia e que apesar de conhecer, não sabia que o Zé Ramalho tinha composto para o Rei interpretar.

Excelente matéria e os meus parabéns Everaldo, pelo Blog, que está cada vez melhor.

Um beijo da amiga.

Mazé Silva

Vinícius Faustini disse...

Esta canção é um primor, contém tudo do bom e do melhor de Zé Ramalho - sua interpretação forte para letra e música muito bem escritas. Creio que o Roberto não gravou esta música pelo ar soturno que ela tem, em especial por conta da impressão que Zé dá em sua gravação original.

Abraços, homem!

Vinícius Faustini

www.emocoesrc.blogspot.com

Mazé Silva disse...

A canção é linda também no timbre que Zé Ramalho o autor interpreta, mas eu gosto mais dela interpretada pelo Fagner.

Questão de gosto não se discute. Sou fã e muito admiradora de Zé Ramalho. Gosto do seu jeito fime que canta com alma e deixa cada canção com o seu valor e um toque especial.

Beijos da amiga.

Mazé Silva.

Jorcenita disse...

Olá,
Ouvi Zé Ramalho cantando esta bela canção e fui procurar informações na internet sobre esta música.
Obrigada por seus comentários sobre a música.
Jorcenita Alves Vieira

Anônimo disse...

Essa música tem uma letra cheia de frases, de momentos, de viajens no tempo e no espaço, e ela no meu sentido, ao qual não é o mesmo pela qual foi criada, ela pode ser relacionada também a sociedade, o " bicho" homem, devastando ele préoprio, passando por cima de nós próprios "homens", assim como os animas , a natureza, em busca de poder. Pode-se se também relacinar com a política Brasileira. Sou um estdudante apenas, não tenho o conhecimento literário, de interpretações poéticas, mas quando escuto essa música me faz pensar nesses argumentos, afinal, á musica deveria ser vista dessa forma. Obrigado
Fabian Carvalho do Anjos

Vladi disse...

Queridos leitores,
sou um mero admirador da mpb. Sempre pensei nesta canção ´´Eternas ondas`` como uma pssagem Bíblica. O GRANDE DILÚVIO.
Alguém interpretou como eu?

abraço
Vladi-Ribeirão Preto

Anônimo disse...

Antonio Coelho

Zé Ramalho poderia ter gravado e ainda pode gravar muito mais o seu fiel fã clube espalhado por todo o Brasil não se afasta do Zé Ramalho.

Gilenio disse...

Interessante essa interpretação.Eu soube de uma outra interpretação que afirma ser a letra uma referência à repressão do regime militar iniciado em 1964 com o golpe de estado.Seja como for, o certo é que se trata de uma linda canção do gênio Zé Ramalho.

Luciano Borges disse...

Toda vez que escuto essa música só me lembro do Tsunami em 2004 que assolou com ondas gigantes zonas costeiras em 11 países. O saldo de mortos chegou a 250 mil. Parece um prenúncio!

Ana Lúcia Cardoso Cruz Cruz disse...

Amo essa música! Obrigada pela informação, Everaldo. Curto muito saber a razão das letras de música. Na pesquisa tive a felicidade de encontrar você. Valeu!

Arimatéia Gomes disse...

Odoro essa música e acho que na voz de Fagner ficou até que que ficaria na voz do rei, é uma música profunda.