domingo, 14 de junho de 2009

A terceira lâmina

Zé Ramalho é dos grandes compositores e intérpretes que lançam canções incríveis e algumas vezes com mensagens indiretas sobre determinado assunto. No caso específico do Zé isso se torna mais evidente, sobretudo por seu misticismo característico.

Essa canção foi título de seu terceiro disco, lançado em 1981 e, por isso remete à palavra lâmina, pela qual define o antigo Lp. Também está presente no cd Antologia Acústica de 1997, que tem o acordeão do Dominguinhos, num arranjo lindo e dançante, próprio para essa época. Mas, acima disso está uma letra de interpretação difícil, a começar pelo título: A terceira lâmina, como explicado acima tem a ver com seu terceiro disco lançado.

E de acordo com o encarte do projeto acústico, a letra penetra na solidão e na tristeza "dos que vivem calados, pendurados no tempo", os miseráveis que vivem debaixo de pontes, em guetos, dormem sob jornais ou caixas de papelão. Muita arte por parte dele unir e divulgar seu trabalho como um anunciador de um problema para o qual muitos fecham os olhos. A terceira lâmina, ou seja, seu terceiro disco anuncia isso "na garganta do fosso da voz de um cantador". E como presenciamos em toda parte do nosso planeta essas imagens descritas na letra, não?

A terceira lâmina
(Zé Ramalho)

É aquela que fere
Que virá mais tranqüila
Com a fome do povo
Com pedaços da vida
Como a dura semente
Que se prende no fogo
De toda multidão
Acho bem mais
Do que pedras na mão...

Dos que vivem calados
Pendurados no tempo
Esquecendo os momentos
Na fundura do poço
Na garganta do fosso
Na voz de um cantador...

E virá como guerra
A terceira mensagem
Na cabeça do homem
Aflição e coragem
Afastado da terra
Ele pensa na fera
Que o começa a devorar
Acho que os anos
Irão se passar

Com aquela certeza
Que teremos no olho
Novamente a ideia
De sairmos do poço
Da garganta do fosso
Na voz de um cantador...

Um forte abraço a todos!

5 comentários:

Lira Santos disse...

Adora esta musica,
e acho que faz muito bem para para a mente e o coraçao,uma boa canción
Ñ sei como faço para seguir o seu blog,pq gostei muito.
Abraço

Juliana Moura disse...

Nunca havia prestado atenção à letra dessa música, apenas à melodia. É mesmo muito bonita, e o seu significado une o misticismo de Zé Ramalho, que vc mencionou no texto, a uma crítica social contundente.
Muito bom!!!

Beijos!

Anônimo disse...

Adorei a melodia, a letra, enfim é bastante interessante.

Bottary disse...

Caro Amigo, Everaldo

É sempre bom fazer um comentário em seu blog, dado que este enriquecido que é, nos elucida sobremaneira acerca das entrelinhas na MPB.

Confesso que cantando esta música por várias e várias noites, no Pandeiro de Prata, nunca me atinei com tanta precisão do conteúdo. No entanto, fazia de minha interpretação, algo como quê o melhor possível, no amplexo interpretativo.

Eu gostava por demais de cantar esta música.

Obrigado mais uma vez por ser este músico que é, e que nos traz a verdadeira interpretação íntegra da história de cada música que aqui vc coloca.

Um grande abraço!

victor2347 disse...

Música muito bonita, especialmente a versão em que ele canta com Elba. Uma perspectiva muito interessante a sua. Posso até estar errado, ou apenas ter interpretado considerando meu próprio contexto, mas eu particularmente percebi essa música por uma ótica diferente. Seria talvez uma alegoria a uma possível terceira guerra mundial de cunho esquerda-revolucionário. É o que eu acho, e a subjetividade da música permite muitas facetas. Grato pela atenção, e aliás, blog bastante curioso esse seu. ;D